acquaria-sandy-junior

O filme Aquarius foi lançado no festival em Cannes e causou polêmica imediata. Não pelo conteúdo do filme, de todo irrelevante para a questão: todo filme nacional, sobre a ditadura ou sobre os morros cariocas (com costumeiras referências à ditadura neste caso) é rigorosamente idêntico.

Tratou-se antes da atuação dos envolvidos na produção cinematográfica durante o lançamento em Cannes, aquele festival no qual um dia do ano fingimos que faz diferença nos outros dias do ano.

Maeve Jinkings, Sonia Braga, Carla Ribas, Kleber Mendonça Filho e Humberto Carrão (como todos os comuns mortais, só sabemos quem é Sonia Braga) fizeram cartazes em várias línguas afirmando que o Brasil “não é mais uma democracia”, que está sofrendo um “golpe” e alguns outros vastos argumentos complexos e originais para criticar o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Para o leitor pouco versado em línguas estrangeiras, traduzimos os cartazes:

aquarius-rouanet-teta

O filme de Kleber Mendonça Filho (à direita) recebeu dinheiro do BNDES e da Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco. Kleber Mendonça Filho ele próprio, além de ser beneficiário da Lei de Audiovisual em Aquarius, possui cargo que depende de nomeação federal: é Coordenador do Cinema da Casa do Museu, vinculada à Fundação Joaquim Nabuco, em Recife.

Kleber Mendonça Filho, o diretor do filme Aquarius, defende o PT e usa Cannes como um palanque político não para falar do seu filme, e sim afirmar que os 66% de brasileiros favoráveis ao impeachment da presidente mais impopular da história com uma carrada de crimes de responsabilidade e comuns em suas costas são “golpistas”.

Para Wagner Moura, isto é mera coincidência. Quem crê que o Ministério da Cultura só serve para entupir comunistas de dinheiro em troca de propaganda do PT, diz Wagner Moura, são uns malucos de extrema-direita. Como se vê olhando para a realidade, nada disso é verdade. Não é?

Mais uma vez, os recebedores de dinheiro público confundem “cultura” com eles próprios.

Crêem que a cultura nacional significa um filme como Aquarius receber dinheiro via Lei do Audiovisual para pagar até os lucros esperados dos seus “empreendimentos” – o que o público poderia fazer muito bem sozinho, mas como filmes como Aquarius costumam ser umas desgraças, aboletam-se em leis que obrigam o trabalhador a compras compulsórias, pagando pelos dividendos de filmes inúteis mesmo que não queiram vê-los, enquanto não tem dinheiro nem para saneamento básico.

Os “artistas” e jornalistas que os repetem chamam a isso de “investimento na Cultura”. Quando a mamata aos endinheirados é cortada, manchetes sobre “corte de investimentos” pululam por todo canto.

Eles continuam muito bem em Cannes comendo canapés e dizendo que o Brasil sofre um “golpe”, enquanto recebem dinheiro dos próprios supostos “golpistas” para lançar Aquarius (filme do qual ninguém fala por motivos de: who cares?) em sessão de gala. Os tais “golpistas” continuam morrendo na fila do SUS, amargando o pior desemprego e a maior crise em duas décadas, regredindo a padrões de vida pré-Collor.

sonia-braga-rouanet

Não é que os “cineastas” e “atores” tão endinheirados estejam alheios a isso. O povo está nesta calamidade justamente porque tem de pagar o salário de tais atores. E jornalistas. E músicos. E sindicalistas. E toda a sorte de quem defende o PT e a esquerda como sacrossanto e vítima da “elite”. É a rouanetosfera. A blogosfera progressista. Os aboletados em cargos comissionados.

Não existe petista grátis.

O problema foi a campanha de boicote que foi feita ao filme. O brasileiro finalmente compreendeu que boicote funciona e é uma das bases morais que torna o capitalismo tão superior a sistemas de compras compulsórias e coletivas como a social-democracia e o socialismo: se sua consciência individual não concordar com um agente econômico, pode simplesmente se recusar a dar dinheiro para ele.

Um filme como Aquarius, entretanto, já foge à regra, por já receber o nosso dinheiro. O boicote, claro, faz sentido: não precisamos dar mais dinheiro a pessoas envolvidas no cinema que nos chamam de “golpistas” e fazem o Brasil passar vergonha perante o mundo com propaganda partidária obrigatória. Ademais, ninguém sabe do filme, mas já se pode ter quase certeza de que não é lá essas coisas.

Mas o maior problema com a campanha de boicote a Aquarius, que fez a hashtag #BoicoteAquarius ficar entre os assuntos mais comentados no Twitter é justamente sua base: ninguém veria esse filme de toda forma. As únicas propagandas que o filme possui são as estatais, que ninguém liga, e as polêmicas.

Se antes os 9% de apoiadores de Dilma Rousseff e do PT teriam simplesmente se esquecido do filme, agora já o estarão a elogiar e lotando romisetas indo dos Centros Acadêmicos até os cinemas para fazer com que ele tenha talvez umas 5 dezenas de milhares de telespectadores.

Transformaram o filme num sucesso absoluto da rouanetosfera antes do lançamento.

Contribua para manter o Senso Incomum no ar se tornando nosso patrão através de nosso Patreon – precisamos de você!

Não perca nossas análises culturais e políticas curtindo nossa página no Facebook 

E espalhe novos pensamentos seguindo nosso perfil no Twitter: @sensoinc

Saiba mais:













  • Emanuel Calado

    AH DESCULPA. Vi agora que 1 dos autores do blog é a louca da Paschoal. Não dá pra levar a serio o que dizem :X

    • Só pelo quanto você errou no comentário abaixo, já dá pra ver quem é confiável: Janaína Paschoal ou você. 😉

      • Emanuel Calado

        ZzZzZzZzZzZz…

  • Emanuel Calado

    Por favor, me mostra onde estão esses 66% que estavam a favor. De 50 amigos, 1 era a favor do impeachment da forma que foi feito.

    Ah, e só pra constar, o filme é excelente, a sala estava lotada e não é mais do mesmo.

    😀

  • Pingback: Críticas rápidas para pessoas nervosas | O Poderoso Chofer()

  • Eu mesmo

    Não digo que Dilma e seus associados tenham sido um exemplo de bom governo, mas não me venha dizer que o Temer e aquela corja que está com ele sejam um exemplo de honestidade.

  • Ana Suzette

    Acredito que houve um engano na publicação. A foto é do filme Aquaria, protagonizado por Sandy e Júnior, quando ainda adolescentes.

    • Flavio Morgenstern

      Essa é a piada.

  • Somos tão inexperientes em capitalismo que não sabemos nem protestar. Que merda!

    • Maria Julia

      Exatamenteeeeee! Grande comentario!

  • Dentro do conceito de netwar, qual seria, então, a melhor abordagem (uma hashtag diferente, wherever) para atacar, de forma mais eficiente, o ato no tapete vermelho de Cannes?

    • Flavio Morgenstern

      Marcelo, o texto é uma piada, uma provocação. É claro que o boicote é o que deve ser feito, só fiz graça com a irrelevância do boicotado.

    • Maria Julia

      De pleno acordo. Acho os textos do Flavio um pouco apelativos e de atraçao de massa. Menos.

  • Carlo Manfredini

    Este filme valerá uma grana no mercado negro. Droga pesadíssima. Deixará a esquerdalha delirando por muito tempo. Farão até sessões de cocô ao ar livre, cuspindo e vomitando na cultura cult burguesa.

    Bem, o legal disto tudo e que este diretor e sua trupe já se queimaram na largada. É bom esmagar o ovo da serpente. O boicote será bom a médio e longo prazo. Ate lá a esquerda já os relegou à irrelevância, e a direita comerá seu prato frio, mas com gosto. Nosso lema: “aqui cobra não se cria”. Serão “sucesso” de uma música só. Serão sempre lembrados pelo “Aquarius”. Bela merda…

  • Diego Borges

    H2O é melhor que Aquarius!

  • É o controle de narrativas (direto e indireto) que a esquerda faz tão bem.
    Aquilo que é uma notícia ou fato completamente irrelevante para a maioria da população vem a tona por meio da imprensa chapa branca, o que desvia o debate por alguns dias para determinado assunto em questão e ajuda, direta ou indiretamente, a levar adiante a agenda previamente estabelecida de alguma coisa que seria, não fosse por isso, ignorada. Isso vai surgir cada vez mais, com qualquer tópico que potencialmente possa gerar desvio de foco do PT, ou que possa sugerir que o PT é apenas “tão ruim quanto os outros”, ou um sentimento de que “éramos felizes com o PT e não sabíamos”. Aguardemos o retorno ad eternum de pautas feministas (como o bela, recatada e do lar ou a ausência de mulheres no ministério), pautas ambientalistas, pautas relacionadas à sexualidade, e por ai vai.
    Poquíssimas pessoas no Brasil tem interesse pelo que acontece em Cannes, a cobertura é normalmente pífia. Dos que acompanham, grande parte já é artista pseudointelectual da esquerda caviar. Esse filmeco seria mais um na multidão, não fosse essa ação orquestrada pela equipe especialmente com o intuito de difundir o mesmo. E a campanha de boicote, como você apontou, por mais bem intencionada que seja, apesar de conseguir afastar grande parte dos brasileiros do filme estimulará, ao fazer propaganda de algo que seria em outra situação desconhecido, a ida da esquerda caviar Lebloniana e de estudantes de DCE pouco avessos à higiene corporal aos cinemas em forma de “protesto contra às elites reacionárias contrárias à liberdade de imprensa” ou algo do tipo.
    Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

    • *pouquíssimas

    • Carvalho

      Isso acontece direto. Eles pautam a imprensa com qualquer porcaria para esconder o que realmente interessa.
      Aliás, praticamente toda nossa imprensa é isso. Um festival de inutilidades que ninguém se interessa. Depois estranham a queda de audiência, de venda de jornais, fechamento de revistas…

  • essa foto não corresponde ao filme em questão… só para que conste esta foto é do filme Acquaria, que foi protagonizado pela então dupla Sandy e Junior… o que não desmerece o conteúdo do post, mas que ficou esquisito ficou 🙂

    • Flavio Morgenstern

      A piada é essa.

    • Gilson

      pensei nisso tbm: “ué, o filme sera relançado? o que ele tem a ver com ditadura?”

    • Maria Julia

      Os textos do Flavio,na minha opiniao,tem atitudes bastante infantis. Eu no lugar de Sandy & Junior ja metia um pequeno processo, so pra se ligar.

  • O Mesmo de Sempre

    O que é mais importante:

    SAÚDE, HABITAÇÃO e SEGURANÇA ou PEÇAS TEATRAIS e FILMES???

    …então porque a produção teatral e cinematográfica não paga nenhum tipo de imposto, taxa ou contribuiição???
    …nem mesmo paga ao INSS a parte do empregador, PORQUE???

    Fora isso ainda recebem verbas públicas diretamente ou através de RENUNCIA FISCAL em seu favor.
    Enquanto isso, PLANOS de SAÚDE, LABORATÓRIOS, HABITAÇÃO e produção de ALIMENTOS são ESBULHADOS através de ESCORCHANTES IMPOSTOS. Até mesmo amostras gratis de remédios são taxadas. …mas peças teatrais e filmes, ah! esses não.

    Será porque são os artistas e midiaticos em geral que podem facilmente ENGANAR e ADESTRAR o POVO para OBEDECER e PRODUZIR para os NEO-SENHORES FEUDAIS que se aboletam na hierarquia estatal em FRENÉTICA VASSALAGEM.

  • Vini

    Meio desnecessário tentar denegrir a imagem do filme baseado nas opiniões políticas do protesto dos criadores. Bons filmes (como esse, que foi bem recebido lá fora) não são relacionados em terem dinheiro público ou não.

  • O Mesmo de Sempre

    A população MORRE nos CORREDORES dos HOSPITAIS, é vitima de variadas doenças por FALTA de SANEAMENTO, é ASSASSINADA aos milhares por falta de efetivos policiais bem treinados e equipados bem como por serem, OS BANDIDOS, soltos pelo judiciário que “interpreta” as leis ao sabor das conveniencias IDEOLÓGICAS, chegandop ao absurdo de defenderem que se solte mais bandidos para aliviar os custos de mante-los presos (vide idéia de Levandowisk).

    Quando cobrados por tais carências de obrigação estatal em troca dos ABUSIVOS IMPOSTOS que se paga, a resposta é que “NÃO HÁ VERBA” para hospitais, saneamento e segurança.

    Porém, não faltaram nem falta verba para JOGOS do PAN, nem para a COPA do MUNDO, nem para OLIMPIADAS e tão pouco faltam os BILHÕES para propaganda estatal e para cevar ARTISTAS e midiáticos em geral que, mais das vezes, são NABABOS que usufruem de verbas milionárias e até mesmo há distribuição de dinheiro público com certa generosidade para artistas e oportunistas de menor calão. Assim o Estado CORROMPE propagandistas e FOOFOQUEIROS famosos para defenderem o Estado Totalitário Socialista que os pode ENRIQUECER e PRIVILEGIAR de topdas as formas e fedores.

    Deveria repugnar a mais porca das almas o fato de nababos INÚTEIS receberem dinheiro público para se enriquecerem ou se remediarem e, enquanto isso a população que INVESTE, TRABALHA , PRODUZ BENS e SERVIÇOS ÚTEIS, se vê MORRENDO em CORREDORES de HOSPITAIS e assassinados pelas ruas a mercê dos bandidos ditos “vitimas da sociedade”.

    O que é mais importante:

    SAÚDE, HABITAÇÃO e SEGURANÇA ou PEÇAS TEATRAIS e FILMES???

    …então porque a produção teatral e cinematográfica não paga nenhum tipo de imposto, taxa ou contribuiição???
    …nem mesmo paga ao INSS a parte do empregador, PORQUE???

  • dudu

    Perfeito: Não existem ptralha de grátis. Esse patetas só aceitam engajamento com pixuleco. Quanto ao filme(?) acho que só vai assistir mesmo o ptralha demente. Fora isso, nem mesmo os esquerdinhas chiques vão perder tempo vendo esse lixo!!!

  • O Mesmo de Sempre

    Através de leis de incentivo à cultura (sic!) a população financiou a grande arte na peça “Perfrmance Macaquinhos” onde “grandes artistas” praticam a grande arte de cheirarem os traseiros uns dos outros, bem como enfiarem os dedos nos traseiros uns dos outros.

    Que belo emprego de DINHEIRO PÚBLICO para engrandecer a arte brasileira. …rsrsrs

    Defender que a população, carente de tudo, desde hospitais, saneamento e até de efetivos policiais bem treinados e equipados (e independentes), continue financiando debeis mentais, espertalhões, oportunistas, vadios, aproveitadores, artistas e midiáticos milionários ou não é algo que deveria REPUGNAR até a menos nobre das almas. Porém, ao contrario disso o que vemos são ARTISTAS, MIDIATICOS e NABABOS de todos os fedore,s que viajam ao exterior na classe executiva, no mínimo, a reivindicar verbas oriundas de impostos para AINDA MAIS ENRIQUECÊ-LOS e ceva-los em troca de seus discursos moralóides e pegajosos em favor da esquerda ou mais propriamente do ESTADO TOTALITÁRIO que os pode mimar, custear seus luxos e conceder-lhes privilégios de toda sorte, sejam econômicos ou juridicos.

    Enquanto artistas e assemelhados, grande parte milionários, usufruem de RENÚNCIA FISCAL e incentivos fiscais além de VERBAS PÚBLICAS, a população que TRABALHA e PRODUZ bens e serviços ÚTEIS é EXPLORADA por ESCORCHANTES IMPOSTOS sem receber NENHUMA CONTRAPARTIDA ao MUITO que PAGA.

  • O Mesmo de Sempre

    .
    Frase absolutamente PERFEITA:

    “Não existe petista gratis”

    Genial!!!!

  • Didi Cesario

    “Lotando romisetas”! CARA, EU TE AMO!!

  • Talvez o tiro saia mesmo pela culatra e muita gente vá assistir só de birra. Uma pena, mesmo…

  • Daniel

    Excelente texto, como de costume. Mas no 11o parágrafo, a palavra correta seria “canapés” e não “rapapés” (um elogio exagerado, puxa-saquista).

    • Flavio Morgenstern

      Que horror, já estamos trancando o responsável por isso em nossas masmorras para a punição adequada. 🙂

Sem mais artigos