A professora de filosofia petista diz que Sérgio Moro foi treinado pelo FBI e o objetivo da Lava-Jato é tomar o pré-sal. Alguém aí acredita?

Marilena Chaui possui uma paródia no Twitter, a professorx Zambininha. A idéia por trás da Zambininha é simples: pega o discurso da esquerda, tão atrativo no abstrato, e o aplica a tudo na prática. O resultado é ridículo e hilário.

PUBLICIDADE

O maior problema da intelectualidade moderna, ainda mais no Brasil, é que os intelectuais de esquerda e suas paródias são cada vez mais indiscerníveis.

Marilena Chaui fez um vídeo ao cineasta bolivariano Fernando Morais para dar alguma sustança intelectual à esquerda brasileira, fortemente atingida em sua hegemonia e narrativa única de heroísmo e justiça social após os escândalos envolvendo o PT.

A professora de filosofia petista, entretanto, ao invés de servir de bastião intocável e inatingível por bárbaros não-intelectualizados e preconceituosos (a imagem que a esquerda tem da direita), só conseguiu ser motivo de riso. Segundo Marilena Chaui, a operação Lava-Jato tem apenas um objetivo: entregar o pré-sal aos americanos. O motivo alegado é que o juiz Sérgio Moro teria recebido treinamento do FBI.

PUBLICIDADE

A esquerda nasce de uma perspectiva de planificação de toda a sociedade sob um jugo completo para impedir que os indivíduos possam ter pensamentos, valores e resultados de trabalho distintos, exigindo um poder estatal onipotente para planificar toda a sociedade – daí seu apelo à “igualdade”. Mas sua primeira grande tentativa de sistematização “científica” se deu com uma teoria histórica. A esquerda apontaria para o futuro – e um futuro necessariamente melhor do que o passado obscurantista, preconceituoso e de exploração – enquanto a direita se prenderia às trevas da manutenção do passado. Daí a tentativa de trocar o mofado termo “comunista” por um insuspeito “progressista”, contra os conservadores que, em sua visão, apenas querem deixar o mundo como está (e não conservar as leis eternas, aplicadas à história).

Para isso ser verdade, seria necessário que os intelectuais esquerdistas fossem, no mínimo, mais atualizados, com mais conceitos, mais sabedoria acumulada e explicações menos manjadas da sociedade do que os conservadores, que ganham de lavada (a esquerda, para continuar vencendo, apenas tem como tática desconhecê-los de todo, chamando de “conservador” qualquer bode expiatório e saco de pancadas fácil de bater que nada tenha a ver com a filosofia de Burke ou Santayana).

Marilena Chaui é prova viva do falhanço deste historicismo ideológico que nada tem a ver com a história de fato. Seu discurso cheira à naftalina, é repetitivo, chato e não convence mais nem adolescentes deslumbrados com a “ameaça americana” em tempos de anti-americanismo – com efeito, só torna ridículo quem ainda cai nessa esparrela (de tal ridículo a década de 90 estava perfeitamente incólume, podendo ser anti-americana à vontade).

A professora de filosofia petista só consegue observar as tessituras do real e aplicar o reducionismo maniqueísta com palavras fortes… mas palavras que eram fortes e assustadoras na época bocó em que até professores universitários juravam de pés juntos em bobagens como uma invasão americana na Amazônia, que a Terceira Guerra seria por nossa floresta, ou que o “imperialismo” americano (que nunca produziu uma única colônia) visava explorar o nosso petróleo, portanto deveríamos proteger a Petrobras mantendo-a sob o poder de nossos admiráveis e humanistas políticos.

Perguntar-se por que o comércio de petróleo com os americanos seria ruim, se a Petrobras estatal mantém a nossa gasolina muito mais cara do que as empresas que comercializam com a América, ainda mais com a Petrobras negociando petróleo com os americanos o tempo todo (vide Pasadena), não era algo que uma Marilena Chaui – que dirá nós, adolescentes toscos e deslumbrados naqueles tempos de “Fora Alca! Fora FMI!”.

Não é de bom tom repetir essa litania hoje, 2016, época em que a esquerda inverteu o seu discurso e, do nacionalismo cafona anti-globalização, adotou o globalismo de órgãos burocratas internacionais não-eleitos para conseguir implantar sua agenda mundialmente (vide o caso Brexit).

marilena-chaui1Marilena Chaui é considerada pela esquerda a pessoa mais inteligente do país, por ser a única esquerdista a ler algo além das obviedades marxistas – no caso, tem uma teoria sobre Baruch de Spinoza. Não é exatamente difícil ser o esquerdista mais inteligente do país: um livro basta. Contudo, se o máximo que consegue oferecer para a crença da esquerda na inocência completa do PT, no estultilóquio de que o impeachment de Dilma Rousseff é “golpe” e de que a prova para isso é que Sérgio Moro foi treinado e está mancomunado com o FBI que está interessado no pré-sal brasileiro (como se os órgãos americanos, país federalista e muito mais descentralizado do que o nosso, fossem um bloco homogêneo de interesses unívocos, ainda mais sob a administração Barack Hussein Obama), só se nota o quanto a esquerda perdeu o bonde da história. Seu progressismo, de fato, só é “progresso” para 1789, noves fora os genocídios que pratica.

O que Marilena Chaui conseguiu promover com sua fala, um descoco desplugado não apenas da realidade, mas do “devir histórico”, em termo pedantemente esquerdista, foi mostrar como a esquerda não tem mais o que dizer, não tem mais nada a falar sobre a vida concreta rés-do-chão do século XXI, só inventa desculpas abstratas, confusas e francamente malucas, não tem prova nenhuma do que diz, é brega, atrasada e só apela a chavões irrefletidos para tentar ainda ter algum poder.

Quando Marilena Chaui disse que o processo do mensalão era uma farsa, e que a crise que se seguiu só existia graças a uma “mídia golpista” em 2005, o termo pegou. Quando Marilena Chaui afirmou que odiava “a classe média”, dando o dog whistle para a militância e os jornais pararem de usar o provinciano termo “burguesia” por algo mais atualizado, ela foi ridicularizada e chamou a atenção por sua grosseria, mas ainda assim o recado foi passado.

Hoje, Marilena Chaui só consegue ser uma vergonha para a esquerda. Todo o apelo do esquerdismo no Brasil ainda está monopolizado por professores de História acreditando que agora o socialismo vai, por uma classe política parasitária e pela rouanetosfera promovendo o progressismo como panacéia contra nossos “preconceitos”. O fato de Marilena Chaui ter sido desacreditada hoje pela esquerda e não ter sido defendida como a Sábia da Montanha por seus antigos acólitos mostra que os ventos mudaram.

Fora do STF, do Judiciário e da mídia tão obediente aos ditames chauistas, basta colocar a Marilena Chaui de verdade a falar qualquer coisa hoje para se ter a sátira pronta. Um site de notícias satíricas como Joselito Müller teria dificuldade em ridicularizá-la mais do que ela própria.

Não perca nossas análises culturais e políticas curtindo nossa página no Facebook 

E espalhe novos pensamentos seguindo nosso perfil no Twitter: @sensoinc

Saiba mais:





  • Marcia

    vou pegar o livro dessa senhora e usar as paginas p meu cao fazer coco…

  • Virgilio de Freitas

    Olá Flávio,
    Gostaria de parabenizá-lo pelo blog, desde que percebi sua existência sempre passo para ver as novidades.
    Desde que, já nem me lembro mais nem quando nem como, encontrei na internet os artigos de OdC, minha percepção do mundo mudou, ou melhor, o meu desconforto ou mal-estar, para pegar a expressão do Rodrigo Gurgel no artigo (http://rodrigogurgel.blogspot.com.br/2013/08/olavo-de-carvalho-e-o-minimo-que-voce.html) comentando o lançamento do livro “O Mínimo…”, com a transformação pela qual o mundo vinha passando, de repente encontrou tradução em palavras. E desde então atribuo a ele não só ter me salvado da matrix criada pela visão ideológica esquerdista do mundo mas também possibilitado o encontro com outros guardiões da realidade. Faço essa introdução pois, como sou seguidor da página do OdC no Facebook e após ter lido este seu artigo sobre as declarações da Marilena Chauí, me deparei com a publicação do Iraniei Toscano pedido para que o professor assistisse ao vídeo do Paulo Ghiraldelli (https://web.facebook.com/ghiraldelli.filosofia/videos/1062711177099058/ ) onde ele declara que a filósofa precisa de ajuda.
    Ao assistir ao vídeo do PG e me recordar das outras declarações polêmicas : sobre a classe média e sobre a faca no pescoço, lembrei de meu pai que passou pelo processo de demência chamado de o Mal de Alzheimer. Como você poderá observar neste artigo (http://www.saudegeriatrica.com.br/medicina/saude/geriatria/gerontologia/idoso/psic02.html) a velhice pode trazer um processo lento e gradual de demência que pode aparecer a partir de uma determinada idade e o risco do seu aparecimento aumenta à medida que a pessoa vai envelhecendo.
    Eu posso estar errado mas é o que me parece está acontecendo com ela e, neste caso, ela realmente precisa de ajuda, certamente as pessoas mais próximas devem estar percebendo, mas o futuro dirá se estou errado.
    É um problema extremamente delicado não só para a pessoa que o sofre mas também para os seus familiares, especialmente aquele que cuida mais diretamente, esse também certamente precisará de ajuda senão adoecerá. Além do trato diário dificultoso existem os constrangimentos que esses familiares poderão passar pois as pessoas que estão de fora não entendem os comportamentos e poderão reagir de forma agressiva até, especialmente em comportamentos de cunho sexual e, até que a pessoa venha a falecer, pois a degeneração é progressiva, os problemas vão se agravando. As doses de amor e paciência devem aumentar nesta mesma proporção. Portanto, neste momento, por questões humanitárias, é preciso fazer esse deslocamento de foco sobre dona Marilena. Por se tratar de uma intelectual esse processo é mais doloroso ainda para quem assiste. Lembro que quando saí da adolescência e quis entender melhor o mundo foi em seu livro de Introdução a Filosofia que fui buscar amparo. Dessa maneira, vejamos então do que se trata para que então possamos voltar ao embate das ideias. Abraços, Virgílio.

  • Léo R.

    Imagino o aluno fiel à esta criatura.Deve ser horripilante

  • Ricardo Bordin

    Quando a Esquerda apresenta-se desta forma patética, menos mal, pois é um tiro no pé deles. O problema é quando a roupagem adotada disfarça seu fanatismo, como nos seriados americanos:

    https://bordinburke.wordpress.com/2016/07/06/laranja-e-o-novo-vermelho/

  • Márcia

    O problema é começarmos a enxergar esses tipos como criaturas folclóricas. Não são, não. Fazem muitos estragos, e possivelmente irreparáveis.

  • Le Zuero

    Se é uma coisa que ninguém mais aguenta é essa xaropisse de sempre culpar os EUA por tudo, a CIA, etc, é a mesma desculpa desde os anos 60. Precisa ser muito retardado para acreditar que os EUA vá interferir em TUDO que se passa no mundo como se fosse uma coisa onipresente que existe só para estragar os planos do pessoal do outro mundo possível.

    • Pedro Rocha

      Um certo tucano também anda fazendo isso, mas no caso seu “EUA” é o Olavo de Carvalho.

      • Le Zuero

        Ah” Sim, sei de quem vc está falando.

    • Jorge O.

      Exatamente, por isso temos que culpar o globalismo por tudo. Isso sim interfere na vida de todos ao mesmo tempo. Essa visão da Chauí de que um único agente move peças em cada aspecto da vida de cada pessoa é delírio.

      Enquanto esses abilolados esquerdistas tentam ficar atribuindo tudo à intervenção dos EUA, mal eles sabem que o globalismo russo-chinês tem um plano secreto para cada detalhe de cada coisa que se passa em qualquer país a qualquer instante. Isso sim é totalmente factível.

      Veja o caso do Brexit por exemplo. Putin entrou em regozijo e já vai aumentando a retórica bélica [1]. A China achou um desperdício de dinheiro e tempo, porque queria fechar um acordo com a UE tendo o RU com canal de acesso [2]. Porque os principais agentes agiram assim dando sinais completamente opostos sobre um mesmo tema? Tudo dissimulação, de acordo com o globalismo eles já fecharam um acordo sobre esse tema, todos os outros temas que ocorrem no momento, todos os outros que ainda vão acontecer e que ainda não sabemos e ainda mais; todos os temas que irão acontecer e que nem eles mesmos sabem.

      Só os lacaios de George Soros não entendem que o mundo não tem tons de cinza, e que cada questão só pode ser analisada por dois pontos. Na verdade eles até vêem isso, mas pelo lado errado. Tudo o que eles atribuem aos EUA é culpa do globalismo russo-chinês.

      [1] http://www.wsj.com/articles/how-to-crash-putins-brexit-party-1467327873
      [2] http://blogs.spectator.co.uk/2016/05/what-chinas-pragmatism-teaches-us-about-the-brexit-debate/

Sem mais artigos