O ex-presidente do STF Joaquim Barbosa está em uma encruzilhada: só é admirado por anti-petistas, sendo mais petista do que o próprio PT.

Em entrevista a Mônica Bergamo, o ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, lembrando qual a cor da sua própria pele, disparou: “O Brasil está preparado para ter um presidente negro?”, embora ainda continue na litania de que é mais propenso para não ser candidato, o que é isso, que conversa é essa, onde já se viu etc.

Ao contrário do que pensa o ex-presidente do STF, o Brasil já teve um presidente negro: Nilo Peçanha, como bem lembrou nosso amigo Marlos Apyus no Politicas.Info. Todavia, exatamente ao contrário de sua eterna “não-candidatura”, não há outro motivo para alguém falar em Joaquim Barbosa sem ser questionando se tentará uma vaga no vácuo de poder absoluto que virá com o pós-PT em 2018.

Sua linha “Tendo a não concorrer à presidência” piora quando descobrimos o que Joaquim Barbosa anda fazendo com seu tempo livre. Relata a Veja:

Apesar da hesitação, a jornalista informa que Joaquim Barbosa se reuniu recentemente com um grupo de artistas, entre eles os cantores Marisa Monte e Caetano Veloso, os atores Lázaro Ramos e Thiago Lacerda, a apresentadora Fernanda Lima e a atriz Fernanda Torres, além de políticos, como o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ). Segundo a coluna, até o PT, partido que teve políticos importantes condenados por Barbosa no STF, sondou o juiz aposentado.

Se alguém se encontra com Marisa Monte e Caetano Veloso, a última possibilidade de assunto será suas músicas, e a primeira até a 9842398342624.ª será o PT. No caso de Lázaro Ramos, além de nunca se falar em atuar, o assunto será cor de pele, e aí o PT, para mais cor de pele, e PT (volte à manobra número 1). E que tal os queridinhos da Globo Randolfe Rodrigues e Alessandro Molon, que estão tentando ser vendidos como a “esquerda honesta”, a esquerda jovem, a esquerda que ainda não teve tempo de roubar, coibir liberdades e matar milhões? O que alguém faz com tais criaturas, senão aventar o poder?

Tendo seus futuros ministros já arbitrados, Joaquim Barbosa deixa entrever que não tem financiamento, soltando uma frase que parece um letreiro neon em vermelho piscante numa das colunas mais lidas da grande e velha mídia gritando: “Preciso de financiamento!!!” Nós tentamos ser mais sutis (clique aqui ou aqui e nos financie).

Entretanto, chega-se ao momento crítico: a futura campanha. Sendo sondado mais fortemente pela Rede (aquele partido particular de Marina Silva) e pelo próprio PT, no qual Joaquim Barbosa sempre votou, como será sua apresentação ao público?

Joaquim Barbosa galgou o cume da fama no Brasil, como homem salvador da pátria, no julgamento do mensalão. Seu grande heroísmo? Admitir que o mensalão existiu. Só. Only this, and nothing more.

Como o Brasil é um povo leitor de manchete, tirando imensas conclusões complexas e aprofundadas tão somente da leitura mal ajambrada de manchetes de jornal, Joaquim Barbosa passou alguns meses na mídia, sobretudo antes de ser alçado à presidência do STF, como um “anti-petista”, tão somente por seu voto no mensalão. Para os petistas, virou “capitão do mato”, além de outras descrições esquerdistas e cheias de igualdade e direitos humanos, como “negro vadio que só está lá por causa do Lula”.

Racismo contra Joaquim Barbosa no Twitter

Racismo contra Joaquim Barbosa no Twitter

Racismo contra Joaquim Barbosa no Twitter

Racismo contra Joaquim Barbosa no Twitter

Racismo contra Joaquim Barbosa no Twitter

Racismo contra Joaquim Barbosa no Twitter

Se Joaquim Barbosa perguntou retoricamente: Será que o Brasil está preparado para ter um presidente negro?, acusando tudo o que vai mal no país de “conservadorismo”, talvez fosse o caso de o ex-presidente do STF verificar a alça “Mentions” na conta de seu Twitter e checar se recebe xingamentos racistas de petistas ou de conservadores. Não há muitos relatos conhecidos de direitistas que chamem Joaquim Barbosa de “negro” de maneira acintosa, tentando diminuí-lo, como há dos progressistas que ele próprio tanto defende, numa Síndrome de Estocolmo que virou norma entre grandes celebridades e jornalistas.

O cenário deixa Joaquim Barbosa num impasse ainda maior do que o de Marina Silva: se a candidata consegue passar seu esquerdismo, na maioria das vezes mais radical do que o do PT, pintando-o de verde e falando em “povos da floresta” (sic), o ex-presidente do STF só pode mesmo tentar vender o carisma que resta de sua imagem a… anti-petistas ortodoxos, que o enxergam quase como um caçador de corruptos e alguém ideologicamente ligado às posições conservadoras… exatamente o oposto de tudo o que o Joaquim Barbosa de carne e osso é e defende.

Em outras palavras, Joaquim Barbosa não tem apelo entre petistas, por ter julgado culpados alguns petistas. Seu restolho de carisma se dá entre uma população pouco dada a leituras, auto-questionamentos e revisão de certezas, calcada na leitura de manchetes e nos comentários em caps lock – e essa galera trata o PT e a esquerda como o lixo que são, ainda que de maneira francamente manca e anti-estética.

oaquim Barbosa de braços cruzadosMas o que Joaquim Barbosa de fato defende é a antítese perfeita do que o seu possível eleitorado defende. O ex-presidente do STF é a favor da tese do “Direito achado na rua”, além de ser um dos mais ferrenhos praticantes do ativismo judicial, o que quase minou o processo do mensalão. É a favor de cotas, de feminismo, de programas sociais, de ações afirmativas, de economia centralizada e controlada – em suma, de todo o programa do PT, já que, além é petista de ter votado em Lula e também Dilma, ainda que com ressalvas a esta última. Ressalvas, claro, sempre no formato: se Dilma é ruim, logo, é porque virou meio “direitista”.

Até o momento, Joaquim Barbosa pode enganar alguns desavisados, crendo que ele seria um bom presidente porque 1) é negro; 2) julgou culpados alguns petistas. Assim que abrir a boca para tal eleitorado, só terá como conquistar votos da turma “não sou petista, mas…” que hoje tem vergonha de fazer campanha pro PT, mas quer tudo o que o PT é – provavelmente, com ainda mais força e rapidez. Que é justamente quem mais rejeita Joaquim Barbosa hoje.

A um só tempo, assim que seu possível eleitorado atual ouvi-lo berrando contra a direita, o conservadorismo, sendo a favor de todo o programa político/econômico/social da esquerda, a chance de um desapontamento en masse é de 99%.

Estaríamos diante da primeira possível eleição em X? O que ainda agrava o fato para Joaquim Barbosa é que pessoas desapontadas, vide ex-petistas, fazem campanha massiva contra seus antigos ídolos. Não apenas trocam de voto. Como ministro do STF, nosso protagonista já se mostrou uma pessoa irritadiça, pouco dada à fortaleza e ao auto-controle, arrogante e autoritária. A permanecer neste estado, a chance de termos o primeiro suicídio de reputações público no Brasil aproxima-se perigosamente de 100%.

—————

Assine nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

  • Ilbirs

    Por falar em negro e inserção destes no poder público por vias coitadísticas que serão bradadas agressivamente como suposto pagamento de dívida histórica (também conhecido por tirar de quem não é culpado para beneficiar quem não é vítima) da qual os outros devem usar até a alma para saldar o débito, pipoca uma denúncia do Fernando Holiday a um tribunal para ver quem seria ou não negro para fins de cotas:

    https://scontent.fcgh11-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-0/p480x480/19510332_1907317629506394_2210678943934494054_n.jpg?oh=bcaa4509533e723e38d2bfe3940e2488&oe=59D586B5

    E não é só no IFPA que estamos tendo “sommelier de negritude”. O mesmo ocorre na Universidade Federal de Viçosa, que começou a instituir quem seria ou não negro ao declarar que uma aluna cotista não se enquadra no fenótipo do “pardo”, sendo que “pardo” pelo IBGE significa “mestiço” e pode sim enquadrar quem não tem ascendência subsaariana (caso de mestiços de branco e índio, branco e oriental ou oriental e índio) ou mesmo quem tem ascendência subsaariana e tem poucos ou nenhum traço típico daquela, como os casos abaixo:

    http://static1.purepeople.com.br/articles/9/17/43/39/@/2056484-bruna-linzmeyer-comenta-a-virada-de-cibe-950×0-2.jpg

    http://www.blogdomauro.com.br/wp-content/uploads/2012/08/DEMOSTENES.jpg

    http://www.otvfoco.com.br/wp-content/uploads/2014/11/foto-4-1.jpg

    http://static1.purepeople.com.br/articles/9/15/91/69/@/1922654-karina-bacchi-aos-40-anos-contou-que-e-950×0-3.jpg

    http://s.glbimg.com/es/ge/f/original/2013/10/07/davilucca.jpg

    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/70/Paulo_Leminski_%281985%29.jpg

    http://uploads.metropoles.com/wp-content/uploads/2016/09/23220214/Paulozulu1-840×560.jpg

    Portanto, como se nota, além de o “negro” esquerdista ser fraude estatística por meio da soma das categorias “preto” e “pardo”, parte dos usados para artificialmente engrossar a estatística e com direito à tal cota vai ser chutada fora simplesmente por não ter puxado de seus antepassados o fenótipo que o esquerdista deseja. Tendo o marxismo cultural certos empréstimos oriundos do fascismo, como o modelo econômico, podemos inclusive aqui considerar que houve um claro empréstimo do nazismo, que estabelecia critérios antropométricos para dizer quem era judeu e quem era ariano. O que consta na imagem deixada pelo Holiday para definir quem seria ou não “negro segundo os conceitos esquerdistas”? Vamos lá:

    1 Pele

    1.1. Melanoderma – Cor Preta (sic)
    1.2. Feoderma – cor parda
    1.3. Leucoderma – cor Branca (sic)

    2 Nariz

    2.1. Curto/largo/chato (platirrinos)

    3 Boca/dentes

    3.1. Lábios grossos
    3.2. Dentes muitos (sic) alvos e oblíquos
    3.3. Mucosas roxas

    4 Maxilar (Prognatismo)

    4.1. Prognatismo saliente a acentuado

    5 Crânio

    5.1. Crânio dolicocélico < 74,9 (largo 4/5 do comp)

    6 Face

    6.1. Testa estreita e comprida nas frontes

    7 Cabelo

    7.1. Crespos ou encarapinhados

    8 Barba

    8.1. Barba pouco abundante

    9 Arcos Zigomáticos

    9.1. Proeminentes ou salientes

    E isso porque só temos isso e muito lembra uma tabela de critérios para avaliar um animal com pedigree em uma exposição, na qual se anota as faltas eliminatórias na conformação corpórea. Até “mucosas roxas” muito lembra a necessidade de um chow-chow ter a língua roxa. Sim, é uma desumanização das boas contra pessoas que sabemos ser perfeitamente capazes de entrar por méritos próprios, tudo isso oriundo de um instituto localizado em uma unidade federativa nacional onde predominam os mestiços de branco e índio a ponto de, ao se andar nas ruas de Belém do Pará, ver alguém com traços africanos chamar bastante a atenção, assim como chamaria alguém caucasiano ou loiro natural, de tanto que o biotipo do paraense costuma ficar a meio caminho entre o do branco e do índio.
    E o que seria “cara de negro”? A julgar pelos critérios do IFPA, até gente da região subsaariana da África e só com ancestrais daquela região poderiam ser eliminados se sua etnia por um acaso não se enquadra nos tais critérios fenotípicos. Aliás, pode até ser que esquerdistas que não se enquadram no inocente útil perfeito (alguém sem qualquer princípio, segundo Lenin) podem já ter se horrorizado com isso, mas não podem reclamar de as cotas estarem sendo cumpridas. Isso mais cedo ou mais tarde apareceria justamente por estarmos falando de algo autodeclaratório e que por si só dá margem a que alguém sem ancestralidade africana possa se declarar como tal. Chegaríamos a um ponto em que teríamos gente dizendo que este ou aquele não é fenotipicamente subsaariano o suficiente, seja lá o que isso for se considerarmos as múltiplas morfologias médias das pessoas daquela parte da África, que também é o lugar onde o ser humano apresenta a maior variedade genética. E isso já havia sido avisado anteriormente por aqueles contrários a cotas, mas para variar não foram ouvidos e agora começamos a ver a sementinha do ódio fratricida sendo gestada e sobre a qual esquerdistas irão faturar em cima considerando hábito de pensar dialeticamente.

    A saída para isso? Jogarmos fora tudo isso e deixar esquerdistas berrando sozinhos ao nos acusarem de racismo porque acabou-se com as cotas. É mais ou menos como deixar uma criança birrenta chorando e xingando de propósito porque não se atende aos desejos dela nem se quer dar margem para que essa criança birrenta se torne um tiraninho que manipula os outros com seus pedidos.

  • K.Salles

    Começa com uma frase solta e sem sentido, e termina com aquele papo de neutralidade. Pura técnica para confundir o discurso. Essa gente é pior do que os esquerdistas assumidos.

    • Sérgio Luís

      Se refere ao meu comentário ou a publicação?

      • K.Salles

        Ao seu comentário.

        • Sérgio Luís

          Sobre a frase:
          Tem esquerdista honesto e direita desonesto e vice-versa.
          eu poderia ter escrito:
          Tem direita honesto e esquerdista desonesto e vice-versa.
          que a afirmação também seria verdadeira.
          Não sou afeito a relativizar, mas tem coisa que não podemos absolutizar.

      • Sérgio Luís

        Na verdade a luta não é esquerda contra direita, mas o bem contra o mal.
        vivemos um período de confusão no mundo inteiro e precisamos estar atentos.
        Na política quem decide a eleição é o eleitor de centro que na 4ª candidatura de Lula resolveu votar nele e ele foi eleito.
        É este eleitor (de centro) que Bolsonaro ou qualquer outro que quiser ser eleito precisa conquistar.

  • K.Salles

    Eu acho que esse Joaquim Barbosa sequer condenou petistas por ainda possuir algum senso de justiça dentro de si. A meu ver, ele agiu por vingança, depois que o Lula deu a entender que ele (o juíz) lhe devia o cargo.

  • Rafael Akinaton Dantas

    Joaquim como presidente? Não acredito muito. Ele ainda é odiado pelo PTistas que o consideram um traidor, contudo talvez se ele entrasse em outro partido e usassem a imagem do “Batman do mensalão” como marketing talvez desse certo para um povo tão desacreditado com os políticos. Se todos são de esquerdas (radicais ou sociais) qual diferença dele e Bolsanaro? 2018 novamente teremos que votar no menos pior.

Sem mais artigos