Paste your Google Webmaster Tools verification code here

O jornalista Glenn Greewald xinga Bolsonaro de fascista, recebe piada em resposta, tem um siricutico e recebe apoio de defensores de ditadura.

Gleen Greenwald era jornalista do tablóide inglês de extrema-esquerda The Guardian quando, em 2013, Edward Snowden quis revelar segredos dos sistemas de vigilância da América, que estavam espionando cidadãos privados. Greenwald foi escalado para a matéria, ficou mundialmente famoso como o grande jornalitaço a revelar Snowden ao mundo e os podres da América, naquele ideal de coragem e investigação com auto-sacrifício por puro amor à causa e ganhou um Pulitzer pelas reportagens.

PUBLICIDADE

Hoje Glenn Greenwald mora no Rio de Janeiro e foi o único jornalista para quem Lula teve coragem de dar uma entrevista exclusiva recentemente (afinal, Greenwald é um seu notório puxa-saco e nunca ousaria perguntar algo sobre petrolão, Foro de São Paulo, projeto de compra de outros poderes para concentrar o mando em suas mãos ou, sei lá, Celso Daniel). É co-editor de um dos sites mais burros da internet, o Intercept, que nunca deixa de falhar miseravelmente a cada parágrafo.

Sem muita surpresa, Greenwald é mais um daqueles repetidores de clichês manjados de esquerda: ser contra o casamento gay é homofobia, não aceitar cotas raciais é racismo, aquela papagaiada toda. Conheceu um único esquerdista, conheceu simplesmente todos. É sempre Vale A Pena Ver De Novo, reprise de novela com diálogo oco. E tudo o que discorde do PT de Lula (aquele que manda dinheiro pra tudo quanto é ditadura anti-semita) é “fascismo”. Digamos, um Jean Wyllys que não fala cuspindo.

Hoje, Glenn Greenwald soltou um tweet contra seu alvo preferido no Brasil, o deputado Jair Bolsonaro. Apoiado no vomitório de clichês de sempre, Greenwald chamou o presidenciável com maior ascensão quanto mais é conhecido pelos brasieiros de “cretino fascista”. Mais ou menos como a massa amorfa daquilo que não é esquerdista e nem comunga dos clichês cacetes de Greenwald.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Jair Bolsonaro, em resposta, apostou em uma piada. Deu um retweet no chiste clichê de Greenwald, brincando com a língua inglesa, nativa do jornalista, fazendo uma tradução literal de “Você queima a rosca? Eu não ligo! Seja feliz! Abraços para você!”

Glenn Greewald imediatamente subiu nas tamancas. Num chilique ainda mais clichê do que chamar todo mundo de fascista, estrilou e deu um ataque de pelanca novamente tratando Bolsonaro por um “fascista” e dizendo que o congressista respondeu à sua “crítica” (sic) fazendo referência ao sexo anal gay, “sempre em sua mente”.

É claro que qualquer coisa envolvendo Bolsonaro (e pechando Deus e o mundo, literalmente, de fascista) rende aplauso fácil entre a militância de esquerda (e a esquerda, hoje, é só a sua militância). Qualquer um hoje ataca Bolsonaro, recebe uma piada em resposta e corre para a fila dos ofendidos pelo Quarto Reich em pessoa. Lógica, por outro lado, não perambula muito perto dessa gente por medo de ser assaltada.

Ora, Bolsonaro respondeu à mais forte acusação política em voga no mundo (que nem no mundo comprimido em 140 caracteres do Twitter pode ser denominado como “uma crítica”) com um chiste fazendo referência justamente ao que Glenn Greenwald usou como “justificativa” para denominá-lo fascista: sua suposta “homofobia” por não apoiar o casamento gay.

O presidenciável ironiza, dá risada, manda abraços, fala que não tem nada contra o seu homossexualismo. O jornalista já dá um faniquito que nada tem a ver com sua sexualidade, e sim com uma afetação de superioridade para apelar para minorias, -ismos -fobias que exigem aderência imediata com ideais progressistas. E não retira as suas palavras fortes: para os inquisidorezinhos 2.0 da esquerda neocomunista, só os outros usam palavras fortes: você pode inventar mentiras sobre eles o quanto quiser e voilà, se ele responde com uma ironia, enquanto você tenta forçar uma descrição mentirosa, o “cretino fascista” só pode ser o outro.

Afinal, de quem você tem medo comandando o país: o suposto “ditador militar” que dá risada, manda abraços, debocha e não age pelo poder, ou alguém eleito pela ditadura do ofendidinho, que acha que se ofender é ter razão (aquilo que denominamos siricuticocracia), que aponta ideologias em quem não as possui para persegui-lo, que destrói o vocabulário descritivo para acusar inimigos e destruir sua imagem sem precisar argumentar ou ser minimamente racional?

Não custa notar que uma das defensoras de Gleen Greewald foi Cynara “Team Grelo Duro” Menezes, a Socialista Morena, que pode fazer “piadinhas” como essa que serão entendidas como mero e inocente gracejo com algo tão irrelevante e simpático quanto o genocídio promovido pela Revolução Russa:

Claro que aí não há defesa nenhuma de assassinato e genocídio. Muito menos de ditadura, até parece. Fascista é só quem sabe que a ditadura militar brasileira só e tão somente existiu porque havia uma esquerda armada no Brasil antes de 1968 matando inocentes na rua para implantar a ditadura do proletariado.

Você acha mesmo que Glenn Greenwald está preocupado com um suposto “fascismo” e acredita mesmo que Jair Bolsonaro tem a mais remota preocupação com os seus entrefolhos? Basta ver com quem ele anda na hora do recreio. Essa gente não está nem aí para gays, pobres, oprimidos e vitimizados (como os vitimizados por bandidos). O que querem é lacrar para idiotas que se surpreendem com palavras que acham que entendem votarem em candidatos prontinhos para implantar a real ditadura do proletariado do socialismo do século XXI. Stalinismo 2.0, Gulag único dono, sem riscos e amassos na lataria.

—————

Assine nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

Conheça o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern pelo Instituto Borborema para aprender como a política se faz pelo controle da linguagem e de sentimentos.

Faça sua inscrição para o 2.º Congresso Virtual do Brasil Paralelo e, de quebra, ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link.

  • WillMDias

    A resposta do Bolsonaro, foi humor ácido até o “talo” (lá ele)Ehehe.

    Espero ver o Bolsonaro mais enfático nas respostas, cirúrgico e que esteja bem preparado. O negócio daqui para frente, será cada vez pior para o lado dele.

    No mais, mais um belo texto do Flávio.

  • Sakuragi

    Ele tem sorte do Bolsonaro levar na brincadeira e se ele começasse a processar esse pessoal que adora chamar os outros de fascista por qualquer motivo, aliás a esquerda usou tanto dessa palavra que ela até perdeu o efeito de chocar.

  • Valdir MAchado

    Quem é esse “aipim” que vem lá dos quintos do inferno,chamar o novo MESSIAS de fascista?Vai te esconder patê!

  • Comunismo e esquerdismo nem deveriam mais ser debatidos nesse século isso não é mais uma teoria é um fato que não funciona em lugar algum que foi implantado, mas a esquerda brasileira e sul-americana ganhou mt força não vão largar o osso fácil somente graças a internet mts estão acordando do sono e lavagem cerebral, enfim só queria perguntar aos comunistas em qual país a esquerda funciona pq nunca vi americano fugindo pra cuba ou pro Brasil, eu vejo é cubano fugindo pra Miami , norte koreano fugindo pra koreia do sul, e por ai vai…. Más eles só estão com controle pq implantaram grande insegurança que por sinal deixa o povo refém do medo e isso por si só já afeta nosso crescimento econômico afinal um país sem segurança com leis fracas jamais atraí turistas que por sua vez movimentam economias de vários países, coisa extinta no país atualmente afinal nenhum gringo vai perder tempo no Brasil sem segurança e isso afeta mt nossa economia e economia fraca por sinal gera pessoas mais dependentes de projetos sociais dependentes dos estado coisa que a esquerda ama tirar nossa soberania nos desarmar nos implantar medo e insegurança e nos controlar.

  • João Marcos

    Faltou vc falar que ele mora com seu namorado carioca, do PSOL.

  • Ilbirs

    Falando em homossexual, eis que ontem tivemos a perda de “Astolfo Barroso Pinto, dona Rogéria”, conforme o próprio “travesti da família brasileira” se definia. Nando Moura já fez um vídeo a respeito:

    Acho que valeria a pena haver uma postagem a esse respeito justamente porque foi-se uma pessoa que não negava a estrutura da realidade e muito bem lidava com ela, tanto por não se vitimizar como também por entender o preconceito sofrido por homossexuais sem ficar passando verniz de opressor-oprimido, sendo que inclusive reclamava de homossexuais não partirem para a porrada contra neonazistas quando em grande vantagem numérica contra esses. Já estamos vendo a esquerda transformar Rogéria em um ícone, sendo que essa mesma esquerda a atacou em outras tantas ocasiões justamente por ser alguém que não aceitava ser estandarte ou mesmo que a resumissem àquilo que fazia em quatro paredes ou a forma como se vestia.

  • Fábio Lavratti

    Keep on rocking, Flávio!

  • josemar silva

    Burn the donuts !! kkk!

  • Ilbirs

    Parece-me que Bolsonaro aprendeu a jogar com o senso de proporções do comum do povo, que é muito diferente daquele de um esquerdista. Converse com um esquerdista que você conseguirá ver algumas coisas absurdas para além de simplesmente não admitir que Stalin matou mais do que Hitler. Já vi esquerdista, por exemplo, insinuando nas entrelinhas que Nixon teria lá suas semelhanças com Hitler (sim, sempre ele, tal qual o Ruivo Herring era o culpado de tudo em O Pequeno Scooby Doo) pelo simples fato de ter entrado em uma guerra.
    Após ter sido chamado de fascista por Glenn Greewald e em retorno fazer a tal personalidade esquerdista da mídia ter um piti ao perguntar-lhe retoricamente se ele queima a rosca e logo após não ligar a mínima para o que ele faz de sua vida sexua, já ficou claro para o grande público cujo senso normal das coisas não foi afetado pela arte de fazer um X com uma foice e um martelo quem é desprovido dessa característica tão essencial.

    Greenwald passou a usar aquela manobra esquerdista de acusar o adversário de falta de polidez. Como sabemos, quem reclama de falta de polidez dos outros é apenas e tão somente alguém que se preocupa com a forma como algo é dito em vez de se preocupar com o conteúdo das coisas. Quando Glenn diz o que disse depois, faz o mesmo de forma polida e sem exaltações, mas análogo a alguém vir para você e dizer algo como:

    Boa tarde. Gostaria de avisar-lhe de que irei me dirigir à sua residência e adentrá-la usando ferramentas que não uma chave. Estando lá, praticarei conjunção carnal não consentida com sua filha de cinco anos e logo em seguida com a sua de 13, usando de força física para a consecução dos atos.

    Isso poderia ser resumido a “vou para a tua casa, irei arrombá-la e estuprarei suas filhas de 5 e 13 anos”. A diferença é que acima usei construções textuais em que boa parte das pessoas consegue inferir que seria alguém falando todas essas atrocidades em um tom de voz educadinho, enquanto o resumo que se encontra neste parágrafo que escrevo pode ser mais facilmente imaginado com aquela entonação de voz mais de bandido, óculos “abelha” e outros apetrechos que fariam alguém por antecipação ficar mais prevenido se visse tal tipo.
    Assim sendo, Bolsonaro acabou por desmascarar um dos braços da esquerda que tem etiqueta, ainda mais considerando que este chamou o Jair em questão de “fascista” tal qual um moleque chamaria outro de “filho da puta”, em ambos os casos sem se certificar de que o xingado cumpre tal condição. Como Glenn não pode dizer que não é homossexual, ficou mais mesmo cozidinho de ter tido um ato caracterizante de tal condição sendo dito de uma forma que não o agrada, especialmente se considerarmos o ativismo político do mesmo. Vai ter aquelas reações de politicamente correto quando ouve ou lê termos como “o travesti” (eles dizem que seria “a travesti”, mas o idioma português nos mostra que é comum-de-dois, com o feminino significando uma mulher que se veste de homem), “negão”, “viadinho”, “piranha” e outros, sempre usando aquela técnica aprendida de simular uma interpretação de texto unidimensional, ter uma fúria que muitas vezes soa fingida e querer colar no outro uma pecha de monstro, sendo que o acusador tende a ser mais monstruoso, seja por apoiar regimes genocidas (comunismo clássico) ou que levam a genocídio (marxismo cultural, cuja etapa mais avançada nos está sendo mostrada todo dia na Venezuela) ou por ser no dia a dia uma pessoa arrogante, narcisista e crente de que porta um conhecimento superior e que os outros seriam obrigados a concordar com isso que ela considera conhecimento superior.

    Toda esquerda polidinha tem seu plano B maloqueiro acionável em qualquer caso. Vamos sempre parar de considerar PT, PSB, PC do B, PPL, PDT, PPS e PCB como partidos separados, pois na prática eles são um só partido ainda mais se considerarmos o fato de eles serem parte do Foro de São Paulo, com PSTU, PCO, PSOL e Rede sendo os “puxadinhos” e tudo isso na prática gerando o que chamo de “partido de onze CNPJs”. Estamos tendo políticos da nova safra conservadora e liberal caindo como patos na história de não considerar tudo isso como um único partido, ficando em paz com um CNPJ mas com os outros dez CNPJs continuando os ataques e na prática também ajudando aquele CNPJ que não pode manifestar belicosidade contra aquele político conservador ou liberal que está de paz com ele. Não conseguem observar que os partidos nanicos de esquerda são a parte maloqueira do todo justamente por não serem feitos para eleger políticos, mas sim estar na rua fazendo aquelas passeatas que conhecemos que sempre têm “infiltrados” que fazem um quebra-quebra após encerrado o discurso no carro de som. Temos também o caso dos semimaloqueiros, que podem estar nas passeatas mas também têm gente com cargo político que por vezes maloqueirizam, mas não obrigatoriamente. Por fim, temos as alas polidinhas justamente para agradar a tal galera da etiqueta que não consegue enxergar para além de aparências.
    Voltando ao Greenwald com sangue nos olhos, ele também fica em posição desconfortável. Chama Bolsonaro de “fascista”, segue dizendo que a ideologia dele é essa e não consegue explicar em que o deputado federal se enquadra em algo bem delimitado por Loryel Rocha em umas tabelas que ele divulgou recentemente:

    https://scontent.fcgh11-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14203359_970809119694235_5854366488553654998_n.jpg?oh=8a4d28f54bd483f302109c1a217d81bb&oe=5A5BB090

    https://scontent.fcgh11-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14203227_970809196360894_3871957114658047259_n.jpg?oh=e84c449b3cb20e70621a43098ed038c6&oe=5A14EF1E

    https://scontent.fcgh11-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14232974_970809499694197_6885642992050342179_n.jpg?oh=6d538ed76c45f0b335de7f87cb9f9aac&oe=5A14458D

    https://scontent.fcgh11-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14183671_970809633027517_3624688222845384140_n.jpg?oh=6a3ce4dd88807fbc7eabf9e10b559582&oe=5A1BD3D3

    Portanto, foi xeque-mate dos bons no tal jornalista de uma reportagem só.

  • Luiz

    Acho curioso o “gay anal sex, always on his mind”. Ou seja, o defensor da causa gay, para atacar o Bolsonaro, insinua justamente que ele é gay!

  • Caio Mesquita

    Essa galera que é “gay and proud” mas ao ser chamada de gay se sente ofendido é mais complexa que quebra cabeça da Estrela

    • Andrei Sokholov

      “gay and proud” é discurso de auto ajuda, parece funcionar dentro do mundinho bolha progressista, mas tão logo vem algum estourar a bolha com a simples realidade ele ficam putos de novo…

  • Phillip Garrard

    Green is just another fascist gay without no personality or self respect. He is really a gay Bozo!

  • Gabriel

    Perfeito. Seria legalzinho o Bolsonaro meter um processo só pra assegurar.

    • Isso não enquadra na legislação atual , e se ele levantar o processo pode se enquadrar em denunciação caluniosa .

  • Sinto falta do Twitter por causa dessas tretas :v

  • Gabriel Coelho

    Putz, eu ri muito com o “do you burn the donut?” huahauhauhau

  • Alibaba

    O pior é o cara chamar o insulto dele de “crítica” kkkkk. Se eu fosse o Bolsonaro eu processava esse gringo! Alias, ele falou que o Bolsonaro é fascista por apoiar ditadura, mas ele fica caladinho com o namorado dele e outros políticos do PSOL que apoiam Fidel Castro e a ditadura do Maduro?

    • Laura

      E que são contra os Estados Unidos e o capitalismo malvado.
      Não que eu tivesse alguma ilusão de que o cara amasse o país dele.

  • Faroeste Virtual

    Eu também perguntei pra ele porque gay fica ofendido ao ser chamado de gay. Não consigo entender.

    • Pobretano

      A ideia é que a pessoa que chama o gay de gay faz isso porque odeia o gay.

      Mas isso é tão idiota quanto uma pessoa se incomodar por ser xingada de bonita.

  • Uma semana sem twitter e não me arrependo… hehehe

Sem mais artigos