Religião da paz

“Allahu akbar” não significa “Alá é grande”, e sim “Alá é MAIOR”

Não é um mero detalhe: traduzir "Allahu akbar" por "Alá é grande" retira todo o caráter guerreiro e de dominação pela jihad do islamismo.

Após cada atentado terrorista, jornalistas que te tratam como se fosse uma lesma manca com paralisia infantil dizem que o jihadista da vez gritou Allahu akbar”, o que significaria “Alá é grande”, ou mesmo “Deus é grande” (naquela curiosa “tradução” da palavra para a divindade maior para “Deus” que só usam para Alá, nunca para Tupã, Odin, Zeus ou outras línguas que sofrem do mesmo efeito lingüístico).

“Allahu akbar” não significa “Alá é grande”. Akbar (اکبر) é um comparativo ou superlativo, e significa “o maior”. Allahu akbar não é uma glória, como “Deus é amor”: é uma comparação: “[Meu] Alá é maior [do que o seu Deus]”.

Todo jihadista passa um recado desesperado para o Ocidente, berrando a plenos pulmões: “Alá vai dominar o seu Deus e substituí-lo”. Tal como ocorre com a hégira a plenos pulmões, que nenhum ocidental sabe o que é, jornalistas que não gastam 5 segundos no Google antes de controlar a opinião pública repetem-se a si próprios na autofagia jornalística denunciada por Rolf Kuntz, e não transmitem o recado para o Ocidente.

É o caminho simples da grande e velha mídia para fingir que terrorismo nada tem a ver com o islam, que jihad é uma mera “purificação espiritual” ou, como é a narrativa preferida da mídia, que o terrorista é apenas um transtornado qualquer, que mata aleatoriamente por razões que não são derivadas do Corão. Mais ou menos como se nem estivesse interessado em islamismo, tornando o terrorismo um mero “acidente” do mundo moderno, como a chuva ou a Selena Gomez (o que o próprio prefeito muçulmano de Londres, Sadiq Khan, já explicitamente verbalizou).

Basta traduzir “Allahu akbar” corretamente, refletir por 5 minutos e entender que a islamização do Ocidente pela hégira e pela jihad são realidades para as quais o Ocidente tem se forçado a se cegar.

Veja também:

Guten Morgen 35: A islamização do Ocidente

Guten Morgen 41: Como pensam os muçulmanos?

Você sabe o que é uma hégira? A lei de imigração causará uma

O terrorismo e a síndrome de “Allahu akbar!”

Por que uma babá degolou uma criança na Rússia?

Liberté, égalité, fraternité, Allahu Akbar!

—————

Contribua em nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

Conheça o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern pelo Instituto Borborema para aprender como a política se faz pelo controle da linguagem e de sentimentos. Conheça também o curso Introdução à Filosofia Política de Olavo de Carvalho, ministrado por Filipe Martins.

Faça sua inscrição para a série Brasil: A Última Cruzada, do Brasil Paralelo, e ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link. Ou você pode aproveitar a promoção com as duas temporadas por apenas 12 x R$ 59,90.

Compre o filme O Jardim das Aflições, sobre a obra do filósofo Olavo de Carvalho, por este link. Ou a versão estendida, com mais de 12 extras, por aqui.

Sem mais artigos