Paste your Google Webmaster Tools verification code here

A tragédia republicana no Brasil tem origem no positivismo, uma das muitas ideologias nocivas que importamos da França revolucionária para flagelar nosso surrado país.

“As ideologias, quando ficam velhinhas, vêm morar no Brasil”, dizia Millôr Fernandes à respeito do Socialismo. Mas antes dele, outra ideologia utópica veio morar em nossas praias. E aqui deixou descendentes. Estou falando do Positivismo, que inspirou o golpe republicano, e cuja sombra ainda hoje encobre áreas importante do Brasil como o Judiciário.

PUBLICIDADE

O Positivismo chegou ao Brasil e aqui foi recebido de forma tão entusiástica por uma questão muito simples: ele falava francês. Durante o Segundo Império, tudo que viesse da França ganhava um status quase sobrenatural. Em grande parte, a culpa desse galicismo todo era de Dom Pedro II, que tinha a França como sua “pátria espiritual” (palavras do próprio). Todos se vestiam como os franceses, decoravam suas casas como as casas francesas, comiam como franceses, prevaricavam com prostitutas francesas e enfiavam um parlevú nas frases sempre que possível. Por exemplo, na minha família materna ninguém comia ervilhas mas somente petit pois. Táxis tinham chauffeurs. Calças abriam pelo fecheclér. Batata amassada era pírrê… E o Positivismo se tornou très chic nos meios acadêmicos. Assim como a homeopatia (algo que até hoje só se conhece e se pratica no Brasil) e o kardecismo.

Então o republicanismo no Brasil é consequência da desde sempre invencível jequice brasileira. Se Dom Pedro II emulava (como o primo pobre que era) a simplicidade da corte de Luís Filipe de Orléans, a Primeira República brasileira tentou ser francesa até seu fim. E desde então prosseguimos a imitar modelos estrangeiros em todos os níveis culturais. Franceses de fancaria no século 19, nosso espelho de hoje anda apontado pros lados da Venezuela.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Que várzea!
—————

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Contribua em nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

Conheça o curso Introdução à Filosofia Política de Olavo de Carvalho, ministrado por Filipe Martins na plataforma do Instituto Borborema. Conheça também o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern.

PUBLICIDADE

Faça sua inscrição para a série Brasil: A Última Cruzada, do Brasil Paralelo, e ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link. Ou você pode aproveitar a promoção com as duas temporadas por apenas 12 x R$ 59,90.

Compre o filme O Jardim das Aflições, sobre a obra do filósofo Olavo de Carvalho, por este link. Ou a versão estendida, com mais de 12 extras, por aqui.

  • Rodrigo Jacques

    O Brasil sempre consegue idolatrar o que há de pior nos outros países, sobretudo na França.
    Le Brésil n’est pas un pays sérieux

  • Seu Zé

    o que é proibido postar aqui?

  • Seu Zé

    acho que o autor poderia ter se aprofundado um pouco mais na exposição, como por exemplo a influência na transição do Estado Confessional para o Estado Secular que veio depois

  • Seu Zé

    acho que o autor poderia ter se aprofundado um pouco mais na exposição sobre o Positivismo, como por exemplo a influência na transição do Estado Confessional para o Estado Secular que veio depois

  • Lucília Simões

    Ainda hoje importamos modelos franceses. O livro “A grande parada” de Jean François Revel analisa por que o socialismo sobrevive na França e na Europa pós muro de Berlim, e o que ele nos conta da política francesa que embala o socialismo é exatamente a política que um certo professor da Sorbonne, um sociólogo brasileiro, trouxe para o Brasil, dentre outras mazelas, a criação do MST que tem seu correspondente francês. As agências reguladoras. Um estado tão laico que se torna ateu e suicida.
    Esse jeito limpinho que fala francês engana bem, pois a maioria ainda pensa que o socialismo é barbudo e fala errado.
    Só uma ressalva a seu delicioso texto: a homeopatia, mesmo só existindo no Brasil, tem a vantagem de funcionar, e não é auto-sugestão: já tive um monte de cães, uns 30, e tratei todos com homeopatia. Imagine dez cães juntos que não brigam, são saudáveis e envelhecem sem problemas. Ninguém é obrigado a usar e pode até ser contra. Mas jamais deve fechar a oportunidade de um remédio que permite que vc ainda beba uma cervejinha e se cure sem efeitos colaterais.

Sem mais artigos