Prioridades

Verba da Segurança Pública se assemelha ao que partidos torrarão na eleição

O governo destinou à propaganda política orçamento maior que o custo da implementação do voto impresso

Publicidade

Incapaz de aprovar a mais importante das reformas, a previdenciária, o governo Temer se fez de surpreso e, da noite para o dia, descobriu que o problema mais grave do Brasil era a segurança pública. Assim, resolveu focar-se nela para que a popularidade do governismo garantisse voto na eleição de 2018. Para tanto, deu início a uma intervenção federal no Rio de Janeiro, e criou um ministério dedicado ao tema.

Aos cuidados de Raul Jungmann, a pasta da Segurança Pública recebeu um orçamento de R$ 2,7 bilhões. Parece bastante coisa. Mas, três anos antes, apenas quatro ministérios – Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Esporte, Cultura e Relações Exteriores – tiveram orçamento menor. E os números nem foram corrigidos pela inflação.

Para efeito de comparação, um anos antes da eleição, o Congresso aprovou um “fundo eleitoral” de R$ 1,716 bilhão. Como se já não fosse farra suficiente com o dinheiro do povo brasileiro, o TSE autorizou que os R$ 888 milhões do “fundo partidário” fossem também utilizados pelos partidos na campanha.

Total da fatura: R$ 2,604 bilhões, ou R$ 96 milhões a menos do que o Brasil terá para evitar que mais de 60 mil brasileiros sejam assassinados no correr do ano.

Cabe ainda observar que, enquanto o governo arrumava R$ 2,6 bilhões para candidatos queimarem em propaganda política, o TSE reclamava que não tinha R$ 2,5 bilhões para tornar o processo eleitoral mais transparente e guardar um registro impresso da votação.

Os números entregam que, mesmo após tudo o que vem ocorrendo desde os protestos de 2013, sobra vontade política aos interesses dos políticos, falta vontade política aos interesses do povo.

Não à toa, é possível contar nos dedos de uma mão a aprovação de tal governo.


Siga o autor deste texto no Twitter ou Facebook. Contribua em nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Conheça o curso Introdução à Filosofia Política de Olavo de Carvalho, ministrado por Filipe Martins na plataforma do Instituto Borborema. Conheça também o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern.

Faça sua inscrição para a série Brasil: A Última Cruzada, do Brasil Paralelo, e ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link. Ou você pode aproveitar a promoção com as duas temporadas por apenas 12 x R$ 59,90.

Sem mais artigos