"Quanto mais você institucionaliza regras de comportamento ético, mais elas serão usadas para mascarar ações anti-éticas".

O filósofo libanês Nassim Nicholas Taleb publicou uma interessante lista de neologismos para identificar e classificar falácias muito recorrentes nos dias de hoje. Escreve ele:

PUBLICIDADE

“Quanto mais você institucionaliza regras de comportamento ético que deveriam ser voluntárias (por exemplo, antirracismo, anti-machismo), mais elas serão usadas para mascarar ações anti-éticas”.

Aqui segue uma imperfeita tentativa de traduzir os neologismos e explicá-los brevemente.

Pedofrastia. O uso de crianças (na verdade, do sofrimento ou morte delas, real ou imaginado) para justificar um argumento e fazer o adversário parecer malvado. Por exemplo: “a guerra X está matando crianças, então precisamos fazer alguma coisa”.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Interessante notar que Taleb escreve que a pedofrastia inclui “a exploração de bebês por mendigos profissionais que as alugam de seus pais” e que as crianças tendem a crescer e terem que ser substituídas. Ou seja, o termo inclui a “adoção” de minorias oprimidas por militantes especializados.

Intolerantismo. Chamar alguém de “racista”, “machista” ou outro “ista” sem que o interlocutor mereça.

PUBLICIDADE

Existe ainda o intolerantismo de segunda ordem (que no Brasil poderíamos chamar de Método Zambininha): consiste em escolher um lado em determinado conflito com base na raça ou gênero das partes, sem investigar o problema.

Nabotização. A produção de acusações falsas de intolerância, especialmente quando o acusador sabe que são mentira. Termo em homenagem a Nabote, falsamente acusado por Jezabel.

Parcialização. A exploração de atributos repugnantes de uma das partes em um conflito sem revelar os do adversário. Impossível não usar o exemplo de Taleb:

“dizer ‘ele é um ditador’, dando a ilusão de que a alternativa é o parlamento sueco e não uma facção pior”.

No Brasil, enxergamos parcialização no ‘argumento’ de que “Eduardo Cunha não poderia presidir o impeachment”. Naturalmente, a Câmara dos Deputados só poderia ser adequadamente presidida por alguém ao gosto do PT, que faria com os pedidos de impeachment nós sabemos muito bem o quê.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Os neologismos de Taleb me lembraram do meu primeiro artigo para este Senso Incomum5 Termos muito úteis que os petistas não querem que você conheça.

—————

A revista Senso Incomum número 3 está no ar, com a reportagem de capa “Trump x Kim: Armas nucleares, diplomacia e aço”. Assine no Patreon ou Apoia.se!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Faça os cursos de especiais para nossos leitores de neurolinguística empresarial e aprenda a convencer e negociar no Inemp, o Instituto de Neurolinguística Empresarial!

Conheça o curso Introdução à Filosofia Política de Olavo de Carvalho, ministrado por Filipe Martins na plataforma do Instituto Borborema. Conheça também o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern.

Faça sua inscrição para a série Brasil: A Última Cruzada, do Brasil Paralelo, e ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link. Ou você pode aproveitar a promoção com as duas temporadas por apenas 12 x R$ 59,90.

Sem mais artigos