Não uma pauta, mas três: Filipe Martins fala em nosso podcast sobre a Croácia, acusada de "ultra-nacionalismo"; sobre Neymar e a crise de masculinidade; e tem literatura também!

Guten Morgen, Brasilien! Após nosso recesso da Copa (extendido para algumas semanas estratégicas…), estamos de volta com o maior habitué do Guten Morgen, Filipe Martins, para fazer algo novo: não apenas uma pauta no podcast, mas três! E logo após a Copa do Mundo, nada melhor do que falar da Croácia, que tanto chamou atenção até depois da final. E também de Neymar caindo. E da crise de masculinidade ocidental. E que tal terminar comentando um tanto sobre literatura?

PUBLICIDADE

A Croácia foi brutalmente atacada pelos nossos jornalistas esportivos acusada de uma gama variando de “bastante nacionalista” até “nazista”, incluindo uma fake news replicada por órgãos como o G1, da Globo, dizendo que até teriam desenhado uma suástica em campo (!).

Os Bálcãs sempre foram a região mais complexa do planeta (ainda mais do que o Oriente Médio), e quase ninguém parece compreendê-los (nem mesmo Putin). Nada melhor do que nosso maior especialista em geopolítica para comentar o que podemos entender, num breve lampejo, sobre a Croácia e a região.

Afinal, a Croácia é ultra-nacionalista como Adolf Hitler? Quais as suas ligações com a Alemanha, que hoje é ambientalista, pró-aborto, e até é a principal promotora da política de open borders para refugiados?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Também pincelamos países como a Sérvia, que foi pivô da Primeira Guerra Mundial (o conflito mais importante, e menos compreendido do mundo), a Bósnia-Herzgoniva e, claro, a influência russa, dos tsares a Putin na região.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Mas também falamos, é claro, de Neymar! Por que nosso ídolo está caindo tanto? Quais os reflexos de um ícone brasileiro (e mundial) na formação do imaginário coletivo de jovens sem modelos masculinos melhores para se espalhar? E mais importante: feministas geralmente só falam de masculinidade como algo “tóxico”, segundo o clichê sempre repetido. Mas o que é a masculinidade de fato? Por que ela passou a ser tão má compreendida nos últimos anos?

PUBLICIDADE

Terminamos ainda com referências literárias, e uma breve análise de modelos masculinos, arquetípicos e exemplares, na literatura – sejam Aquiles e Ajax na Ilíada, sejam Moisés e Jesus na Bíblia, sejam Ned Stark e Boromir na literatura recente.

A produção é de Filipe Trielli e David Mazzuca Neto, no estúdio Panela Produtora. A produção visual fica com Gustavo Finger da Agência PierGuten Morgen, Brasilien!


Sem mais artigos