Eleições

Pura coincidência: gráficas suspeitas em campanha petista de 2014 perdem 95% em receita

Após investigação da Polícia Federal, faturamento caiu

Empresas que declararam ter produzido material gráfico para a candidatura à reeleição de Dilma Rousseff em 2014 enfrentam queda de receita que chega a quase 95% este ano. Deve ser pura coincidência.

PUBLICIDADE

Segundo reportagem da Folha, na primeira prestação de contas apresentadas ao TSE relativa aos gastos desde o início da campanha de 2018, essas empresas receberam juntas R$ 564 mil das campanhas de candidatos filiados ao PT, PSD, Podemos, PDT e PV.

Em 2014, ano de reeleição de Dilma, a história era bem outra. Segundo dados da Justiça Eleitoral, até o mês de setembro de 2014 elas haviam faturado R$ 10,7 milhões, em valores corrigidos pela inflação.

De R$ 10 milhões para R$ 500 mil – coisa de 95%.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A Polícia Federal apontou indícios de que recursos declarados para as gráficas VTPB, Focal e Rede Seg teriam sido desviados e direcionados a pessoas físicas e jurídicas para benefício próprio ou de terceiros.

As empresas negam as acusações.

PUBLICIDADE

Os elementos dessa investigação sobre as gráficas, inclusive, foram usados pelo ex-ministro do TSE Herman Benjamin para votar pela cassação da chapa Dilma-Temer (naturalmente, quando Dilma já havia sido impichada). O TSE manteve Temer por 4 votos a 3.

—————

A revista Senso Incomum número 3 está no ar, com a reportagem de capa “Trump x Kim: Armas nucleares, diplomacia e aço”. Assine no Patreon ou Apoia.se!

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Confuso com as eleições? O Teatro das Tesouras, do Brasil Paralelo, explica a história das eleições brasileiras e como chegamos até aqui. Conheça através deste link!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Faça os cursos de especiais para nossos leitores de neurolinguística empresarial e aprenda a convencer e negociar no Inemp, o Instituto de Neurolinguística Empresarial!

Conheça o curso Introdução à Filosofia Política de Olavo de Carvalho, ministrado por Filipe Martins na plataforma do Instituto Borborema. Conheça também o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern.

Sem mais artigos