Ditatoga

STF quer proibir quando o galo insistir em cantar

Sob o pretexto de "subversão da ordem" STF manda bloquear redes sociais e WhatsApp de críticos ao colegiado

Publicidade

A liberdade de expressão, todos concordam, é um direito individual definitivo. Podemos, com base nela, expor nosso pensamento, doa a quem doer. Toda sociedade livre preza e deve lutar pela manutenção desse direito. Quando assumem o poder, não por acaso, os governos totalitários tratam de restringir os direitos individuais. O que caracteriza uma ditadura é o cerceamento desses direitos, entre eles e sobretudo, a liberdade de expressão.

O STF, nessa terça-feira, 16 de abril de 2019, ordenou o bloqueio das redes sociais e do WhatsApp de pessoas que supostamente estariam “ofendendo” a corte. A decisão, SIGILOSA, diz que verificaram-se “mensagens de ódio” e de “subversão da ordem”. O STF pensa que, mesmo cometendo todos os absurdos que cometem, não se pode criticá-los ou denunciá-los por envolvimentos com corrupção. É a ditadura da toga.

Um dia antes, o STF já havia pedido a retirada da matéria da revista Crusoé em que o ministro Dias Toffoli é citado como o “amigo do amigo”, numa delação feita por Marcelo Odebrecht.


Mais do que antes, é preciso que a sociedade se junte e mostre sua força contra essa elite corrupta e nababesca. Desmandos de juízes não podem ficar impunes.

O presidente Bolsonaro já deu o primeiro passo. Ele estuda enviar ao Congresso uma proposta ampliando e protegendo a liberdade de expressão, com foco na internet e na imprensa.

 


—————

Confuso com o governo Bolsonaro? Desvendamos o nó na revista exclusiva para patronos através do Patreon ou Apoia.se.

Assine e assista o documentário 1964: O Brasil entre armas e livros e ganhe um e-book.

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Adquira as camisetas e canecas do Senso Incomum na Vista Direita.

 

Sem mais artigos