Guns

Das 3.367 armas apreendidas no Rio de Janeiro, apenas 11 eram legais

Se legalizarmos as armas, vai virar tiroteio. Precisamos proibir as armas para os bandidos não usarem

O colunista da Época, Giampaolo Morgado, foi até a Secretaria de Polícia Civil do Rio de Janeiro, pedir os dados das apreensões de armas e munição no Estado entre janeiro de 2016 e julho deste ano.

Veja os dados que levantou:

1. Das 48.656 armas apreendidas nos últimos 43 meses, apenas 83, ou 0,17%, são de origem lícita (armas das polícias, Forças Armadas e outras forças de segurança que foram apreendidas).

2. Apenas 3.367 armas são de  “registro particular”, ou seja, só 6,9% são de particulares (pertencem a pessoas comuns, militares, policiais).

3. Dessas 3.367 armas, 3.356 têm procedência ilícita. 1.224 destas ou foram entregues voluntariamente na campanha do desarmamento (314 armas) ou foram roubadas, furtadas ou extraviadas. Logo, o primeiro crime aqui é a perda ou furto da arma.

4. Armas de procedência lícita são 11. Onze apreendidos em 43 meses. Apenas 0,022% do total das armas apreendidas.

Só por esses dados, é possível perceber que a campanha desarmamentista é uma fraude.


Confuso com o governo Bolsonaro? Desvendamos o nó na revista exclusiva para patronos através do Patreon ou Apoia.se.

Não perca o curso Ciência, Política e Ideologia em Eric Voegelin, de Flavio Morgenstern, no Instituto Borborema!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Adquira as camisetas e canecas do Senso Incomum na Vista Direita.

Assine o Brasil Paralelo e tenha acesso à biblioteca de vídeos com mais de 300 horas de conteúdo!

Sem mais artigos