Mentiras

Folha fake news: TSE decide que campanha de Bolsonaro não fez disparos no WhatsApp

A fake news de Patrícia Campos Mello foi refutada pelo TSE. Pelos números da Folha, Bolsonaro teria enviado mais mensagens no WhatsApp do que o número de habitantes da Terra

Publicidade

O ministro Jorge Mussi do Tribunal Superior Eleitoral decidiu o óbvio: que a reportagem da jornalista Patrícia Campos Mello que disse que “empresários” (quais?) bancam campanha de disparo de notícias (quais?) supostamente fake (por quê?) contra o PT na Folha de S. Paulo é completamente fake. Ou seja: a notícia que acusa uma “rede bolsonarista” que nunca ninguém viu, não tem prints, não tem provas nem nada, de espalhar fake news, é uma reportagem fake news.

Claro, Patrícia Campos Mello, que admitiu ser de esquerda e sempre ter votado no PT (grande novidade), teve seus 15 minutos de fama na mídia esquerdista que sempre votou no PT mundial. Ganhou prêmio internacional com uma reportagem sem provas. Foi uma das personalidades do ano da revista Time.

A reportagem da jornalista petista é tão fake que se baseou apenas e tão somente em perguntar para uma das empresas quanto custava um impulsionamento, multiplicar o valor e falar que “empresários” que nunca acusou com nome, número e CPF pagam a conta.

Sofrível em matemática, Patrícia Campos Mello fez uma denúncia tão fake e burra que ao se cruzar os números, os empresários teriam atingido 8 bilhões de eleitores. Ou seja, mais do que o número de habitantes do planeta.

Segundo a denúncia da Folha, havia contratos de até R$ 12 milhões com a AM4, a empresa que cuidou da campanha de Bolsonaro. Escrevemos na época:

Com os kits de WhatsApp Marketing facilmente encontrados na internet, vendidos até no Mercado Livre, pode-se atingir até mil grupos de 220 membros, ou 220 mil pessoas, por dia. Com R$ 12 milhões, o valor de apenas um dos contatos que Patrícia Campos Mello afirma ter travado conhecimento para sua “denúncia” na Folha, já seria possível disparar mensagens para 8.888.880.000 de pessoas. Quase 9 bilhões de mensagens por dia. Seria preciso enviar algumas para Marte, por não haver gente o suficiente na Terra.

E isto tudo com um contrato, sendo que a Folha faz menção a vários.

Mesmo assim, ninguém recebeu uma porcaria de uma mensagem encaminhada por eles. Mesmo assim, Patrícia Campos Mello foi tratada pela esquerda como heroína a tentar salvar a honra dos socialistas cada vez mais envergonhados. Na verdade, sua reportagem na Folha foi a maior fake news de toda a campanha de Fernando Haddad (aquele que jogou uma Bíblia no lixo).

————–

O Senso Incomum agora tem uma livraria! Confira livros com até 55% de desconto exclusivo para nossos ouvintes aqui

Publicidade
Sem mais artigos