Revolta

TJ nega indenização a mãe de estudante morto por detento foragido

A ex-catadora de lixo pedia pensão de R$ 3,5 mil. Alcides passou em primeiro lugar em Biomedicina na UFPE, e morreu a tiros no Recife por detento que procurava por vizinho, e matou "para não perder a viagem"

Publicidade

Maria Luíza do Nascimento, ex-catadora de lixo, processou o Estado de Pernambuco, pois um detento, que fugiu da prisão, assassinou seu filho, Alcides do Nascimento Lins. Ela alega que o Estado foi omisso em seu dever de segurança e pediu uma pensão vitalícia de R$ 3,5 mil por mês em 2012.

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), após 7 anos, negou o pedido de indenização à Maria Luíza do Nascimento.

Alcides passou em primeiro lugar em biomedicina na Universidade Federal de Pernambuco e tinha virado um símbolo para pessoas de origem humilde que queriam passar no vestibular. Foi assassinado em 5 de fevereiro de 2010. O criminoso, João Guilherme Nunes, procurava o vizinho do universitário, mas como não encontrou, matou para “não perder viagem“.

João foi condenado a 25 anos de prisão.


Saiba o que está por trás da CPMI das Fake News, o tema mais urgente do ano, em nossa nossa revista.

O Senso Incomum agora tem uma livraria! Confira livros com até 55% de desconto exclusivo para nossos ouvintes aqui

Faça o melhor currículo para arrumar um emprego e uma promoção com a CVpraVC

Compre sua camiseta, caneca e quadro do Senso Incomum em nossa loja na Vista Direita

Conheça a loja Marbella Infantil de roupas para seus pequenos (também no Instagram)

Faça os cursos sobre linguagem e sobre Eric Voegelin (e muitos outros) no Instituto Borborema

Faça gestão de resíduos da sua empresa com a Trashin

Siga-nos no YouTube Instagram

Publicidade
Sem mais artigos