Fake News

URGENTE: Advogados não têm acesso aos autos do inquérito das fake news, que Alexandre de Moraes diz ter liberado

O ministro Alexandre de Moraes afirmou que a defesa dos acusados teve acesso aos autos do inquérito de supostas fake news. Advogados, no entanto, estão pedindo acesso sem retorno

Publicidade

O ministro Alexandre de Moraes escreveu em seu Twitter que a defesa dos investigados pelo próprio STF no inquérito das supostas “fake news”, teve “integral conhecimento dos autos aos investigados”. No entanto, advogados de partes constituídas têm tentado obter acesso aos autos, completamente em vão.

O tweet já chega perto das 40 mil curtidas no Twitter.

.

.

Entretanto, ouça áudio do dr. Emerson Grigollette, advogado do investigado Bernardo Pires Küster, relatando que, ao contrário do que afirma o ministro Alexandre de Moraes, não consegue obter acesso aos autos – em outras palavras, não consegue nem mesmo saber do que o seu cliente está sendo investigado no processo.

Da mesma forma, o dr. Gastão da Rosa Filho, advogado de Sara Winter, requisitou adiamento de depoimento, no mandado de intimação n.º 003/2020 – RE 0019/2020-I-COAIN/COGER/PF, por até agora não ter conseguido acesso aos autos do processo.

É curioso que um inquérito sigiloso, que há meses vem colhendo informações inclusive privadas de várias pessoas próximas ao presidente (e, aparentemente, até agora não encontrou nada), tenha como ensejo o termo “fake news”, que entrou na moda logo após a eleição de Trump como desculpa para os jornalistas não terem acertado o resultado, mas que não está no ordenamento jurídico brasileiro.

Pior: que o ministro Alexandre de Moraes, ao coibir supostas fake news que até agora não mostrou quais sejam, acabe… espalhando uma fake news.

O Supremo Tribunal Federal, em tal inquérito sigiloso de supostas “fake news, ofensa e ameaças”, seria vítima, investigador e juiz a um só tempo, como relatou a própria BBC Brasil, o que ensejou que até juristas e jornalistas de esquerda, como Malu Gaspar da revista piauí, e os pró-Doria, como O Antagonista, considerassem o inquérito ilegal e inconstitucional. Até mesmo a revista Crusoé já foi censurada pelo inquérito.

Entretanto, apesar da irônica fake news espalhada pelo ministro Alexandre de Moraes num inquérito sobre fake news, até o presente momento não houve nenhum revés jurídico ao STF, e nem mesmo agências de suposto fact-chekcing, como Aos Fatos, Lupa e Boatos, preocuparem-se com a checagem.

ATUALIZAÇÃO: O dr. Emerson Grigollette postou há pouco no Twitter que o gabinete (não conseguimos informação de qual) lhe telefonou afirmando que vão enviar a intimação por e-mail e WhatsApp. Ainda não recebeu, mas já é algo. O principal é: esta manifestação do gabinete atesta justamente que o tweet do ministro Alexandre de Moraes parece conter uma inverdade – o que, nestes tempos que correm, é chamado de fake news. Num inquérito sobre fake news.


Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Publicidade
Sem mais artigos