Digite para buscar

Podcast

Guten Morgen 107: A vachina não é uma vacina

No seu podcast preferido, explicamos algo que vai confundir os 2 neurônios dos crentes na "ciência" da Folha e da Globo: a vacina anti-peste chinesa não é uma vacina. Ah, e sabe o MBL? Então...

Avatar
Compartilhar

Guten Morgen, Brasilien! Seu podcast preferido hoje realiza um sonho (do autor, não seu): liderar uma turba enfurecida! E tudo isso por conta da vaChina, como foi chamada a vacina chinesa Sinovac, que será enfiada goela abaixo, ou braço abaixo, por João Doria, o maior amante do Partido Comunista Chinês no Brasil, que quer ir contra a Constituição (inclusive com apoio de quem deveria por ela zelar) e ter o poder de obrigar a população a fazer parte de um experimento de cientistas malucos!

Óbvio que no reino dos mocorongos, logo se replica, dorso da mão à cintura e pézinho a fustigar violentamente o assoalho, que ser contra uma vacina é ser contra “a ciência”. Que seria mera “teoria da conspiração” antivax. Ou, como é comum nestes dias que correm, acionar quem realmente tem poder de mando no país: agências de suposto fact-checking e um certo tribunal, para proibir que as pessoas simplesmente discutam o tema, pois é assim que a ciência funciona, não é mesmo?

Mas mostramos aqui uma argumentação filosófica, científica e para os cobras, não para a camorra ignara que lê piauí e Jacobin e acredita em Atila Iamarino: a vacina (e não falamos apenas da chinesa: mesmo a de Oxford, a russa ou o raio que for!) é mesmo uma vacina? Ou uma coisa BEM DIFERENTE do que foi enfiado em nossas goelas, braços e bumbuns até hoje com o nome de “vacina”?

Aprenda mais e irrite seus amigos inscrevendo-se no Brasil Paralelo

É muito fácil aparecer a mesma caterva de sempre, como PSOL, PDT, tucanos como Doria e Aécio Neves, defendendo o “direito à vacinação”, como se isso estivesse em alguma lei e, ehrr, fizesse sentido. Mas mesmo que levemos a sério as belíssimas e puríssimas intenções do Partido Comunista Chinês (aquele dos 60 milhões de mortos e do massacre da Praça da Paz Celestial, para quem pensa por imagens), essa droga feita às pressas, a toque de caixa, pelo mesmo país que legou ao mundo a peste negra e a peste chinesa, pode ser chamada de vacina?

Faz sentido um político ter o direito de obrigar sua população a ser COBAIA de um experimento, perdendo todos os seus direitos (ou seja, virando a China comunista), só porque João Doria e Aquele Triunal querem?

E falando em Doria, também comentamos os métodos de um certo MBL, que está sendo investigado pelo MP pelas suas movimentações financeiras, digamos, “estranhas”. Inclusive com nomes de entidades chinesas envolvidas.

Já fizemos um episódio há pouco do seu Guten Morgen mostrando como uma CPI do MBL seria capaz de travar todo o establishment político que adora complicar nossa liberdade. E tivemos mais motivos para isso com as investigações batendo na porta de Renan Santos, o “Dirceuzinho da Vila Madalena” do MBL. Que tal fazermos a lição de casa e começar a transformar o sonho de ter liberdade no Brasil de volta mirando no Movimento Brasil Livre, com suas franjas no alto Judiciário (você entendeu), na mídia, no Parlamento (já ouviu falar em Rodrigo Maia?), até com ex-presidentes e governadores? Oh, freedom…

A produção é de Filipe Trielli e David Mazzuca Neto da Panela Produtora, com produção visual de Gustavo Finger. Guten Morgen, Brasilien!


Seja membro do Brasil Paralelo e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Não perca o curso Ciência, política e ideologia em Eric Voegelin, com Flavio Morgenstern.

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Avatar
Flavio Morgenstern

Flavio Morgenstern é escritor, analista político, palestrante e tradutor. Seu trabalho tem foco nas relações entre linguagem e poder e em construções de narrativas. É autor do livro "Por trás da máscara: do passe livre aos black blocs" (ed. Record).

  • 1