Digite para buscar

Baseless

Sem apresentar provas, Doria impõe quarentena nível amarelo

Um dia após tucanos se aglomerarem para comemorar vitória de Covas, Doria quer novas medidas pesadas contra inocentes sem apresentar prova de que quarentena funcione

Compartilhar

O governador de São Paulo João Doria não apresentou provas até agora de que quarentena funcione, sendo governador do estado mais afetado pela peste chinesa, mesmo com medidas draconianas para tratar pessoas inocentes como “perigosas” em potencial ao sair na rua.

Por mera coincidência, apenas acidentalmente, o aumento de proibições ao povo vem exatamente um dia após o segundo turno das eleições municipais, que sagraram a vitória do também tucano Bruno Covas, seu ex-vice como prefeito. Tucanos aglomeraram sem muito medo de infecção um único dia antes de avisarem que estamos todos com muito mais risco de vida se sairmos na rua.

Doria não apresentou evidências científicas para a mudança da quarentena da fase verde para a amarela. Na verdade, nenhuma prova foi apresentada da eficiência da quarentena como um todo.

Ninguém sabe responder o enigma simples: se a quarentena do Doria funcionou, por que precisamos de uma nova quarentena? E se a quarentena do Doria não funcionou, por que precisamos de uma nova quarentena, anyway?

Além de não apresentar provas para sustentar medidas autoritárias que retiram direitos básicos das pessoas, como sair nas ruas sem serem tratadas como criminosas e traidoras do sistema, a imposição de quarentena por Doria parece se sustentar em logorréias e teorias da conspiração completamente desacreditadas da internet, como a fake news de que morreriam 3 milhões de pessoas de peste chinesa até agosto, promovida pelo youtuber de “canal nerd” Atila Iamarino, entrevistado no Roda Viva por Vera Magalhães durante a gestão Doria.

Em um vício em não apresentar provas, Doria ainda quer impor uma vacina chinesa como obrigatória para os paulistas “mesmo sem aval da Anvisa” (sic). A medida ultra autoritária favorece o país do temível Partido Comunista, financiador da Coréia do Norte e o país genocida que mais parece com a Alemanha nazista hoje. 

Doria tem se tornado famoso por seus negócios com a mesma China que legou ao mundo a peste chinesa (talvez a quinta da década). Agora, quer impor, no mesmo modelo chinês, a obrigatoriedade da vacina, tratando pessoas inocentes como criminosas se não forem vacinas.

Oh, espere. Mesmo na China comunista, a China do massacre da Praça da Paz Celestial, a China da espionagem, a China do bloqueio no Google, a China dos jornalistas torturados, a tal “Coronavac” não é obrigatória, e mesmo assim a falta de provas da vacina assusta um país ultra-desenvolvido como o Japão. Já na terra do Doria, criticar a falta de provas científicas é considerado… anti-científico.


Seja membro do Brasil Paralelo e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Não perca o curso Ciência, política e ideologia em Eric Voegelin, com Flavio Morgenstern.

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Flavio Morgenstern

Flavio Morgenstern é escritor, analista político, palestrante e tradutor. Seu trabalho tem foco nas relações entre linguagem e poder e em construções de narrativas. É autor do livro "Por trás da máscara: do passe livre aos black blocs". Tem passagens pela Jovem Pan, RedeTV!, Gazeta do Povo e Die Weltwoche, na Suiça.

  • 1