Digite para buscar

Vovô mandão

Paulo Ghiraldelli diz que Conselho Tutelar deveria tirar Laurinha da família Bolsonaro

Agitador que já defendeu que "Jesus era pedófilo" diz que Laura Bolsonaro sofre na família porque sua mãe é evangélica e criança está "abandonada"

Compartilhar
filosopete

A intelectualidade brasileira é um balaio de gatos, ou melhor, de ratos. Conta com nomes proeminentes da confusão mental como Felipe Neto, Anitta e Marcelo D2, mas raspa também o fundo da panela da chamada “deep web”.

O agitador de gabinete Paulo Ghiraldelli é um desses que colocou o diploma de filosofia sob a sovaca e saiu batendo o pé exigindo atenção, tal qual deve ter feito Aristídes*, sofista menor que pregava no esquecido Piscinão de Creta.

O sujeito, diga-se, tem um currículo bastante peculiar. Já pediu encarecidamente que Rachel Sheherazade fosse, como posso dizer, violentada por ter opiniões políticas diferentes das dele.

Em 2016, nosso rebelde da terceira idade disse que Jesus de pedófilo. É um entusiasta do coito anal e já se envolveu em altas confusões atacando quem ousasse discordar do seu anelado pensamento.

Em vídeo recente, o instigador caseiro resolveu tecer críticas ao modo como Bolsonaro e sua esposa educam a filha, Laurinha. Segundo Ghiraldelli, Bolsonaro “usa toda uma paternidade errada” com a filha. 

“A mãe favorece religiões” e participa de projetos de “fanatismo religioso e enriquecimento”, disse o danadinho, na mesma língua de Manuel Bandeira e do Nem da Rocinha. Disse ainda que o Conselho Tutelar tem que tomar providências, afinal ele, o psicólogo da infância, viu em Laurinha Bolsonaro os sintomas, “todos os gestos, os tiques nervosos de uma pessoa que vive num ambiente que não é o ambiente normal de uma criança”.

O que se espera é, ao menos, que Laurinha não vá parar num lar de gente muito sã que deseja o estupro de uma adversária política e, contra qualquer fanatismo religioso, considere Jesus um pedófilo. Tudo porque seu ateísmo pateta e delirante é incapaz de ver amor nas relações humanas.

Conseguido seus 15 likes de fama, voltemos ao que interessa.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Carlos de Freitas

Carlos de Freitas é o pseudônimo de Carlos de Freitas, redator e escritor (embora nunca tenha publicado uma oração coordenada assindética conclusiva). Diretor do núcleo de projetos culturais da Panela Produtora e editor do Senso Incomum. Cutuca as pessoas pelas costas e depois finge que não foi ele. Contraiu malária numa viagem que fez aos Alpes Suiços. Não fuma. Twitter: @CFreitasR

  • 1