Digite para buscar

Fake-science

Pesquisadores da Johns Hopkins: Não houve morte de crianças saudáveis por peste

Professor de medicina da Universidade Johns Hopkins diz que Centro de Controle de Doenças Infecciosas dos EUA usa "evidências frágeis" para justificar vacinação em crianças saudáveis

Avatar
Compartilhar
Pesquisadores da Johns Hopkins: Não houve morte de crianças saudáveis por peste

Uma equipe de pesquisadores da Universidade Johns Hopkins concluiu que não houve, até o momento, nenhuma morte de crianças saudáveis decorrentes da peste chinesa, embora o Centro de Controle de Doenças Infecciosas dos EUA (CDC) insista em fazer uma campanha de vacinação com toda e qualquer criança viva nos EUA.

Depois de estudar dados abrangentes sobre milhares de crianças, o Dr. Marty Makari e sua equipe encontraram “uma taxa de mortalidade de zero entre crianças sem uma condição médica pré-existente, como leucemia”. Em vez de reconhecer essa realidade científica, Makary diz que o CDC continua a usar “evidências frágeis” para empurrar a vacina COVID para as crianças.

Médico e professor da Johns Hopkins School of Medicine, da Bloomberg School of Public Health e da Carey Business School, Makari trabalhou com a organização FAIR Health para analisar aproximadamente 48 mil crianças menores de 18 anos com diagnóstico de Covid em dados de planos de saúde de abril a agosto de 2020.

Em artigo no Wall Street Journal, Makari escreveu que as organizações e políticos que desejam vacinar todos os americanos vivos estão seguindo o CDC sem compreender as limitações da metodologia.

“Sem esses dados, o Comitê Consultivo sobre Práticas de Imunização do CDC decidiu, em maio, que os benefícios das duas doses da vacinação superam os riscos em crianças de 12 a 15 anos”, observa Makary.

“Eu escrevi centenas de estudos médicos revisados ​​por pares e não consigo pensar em nenhum editor de revista científica que aceitaria a alegação de que 335 mortes resultaram de um vírus, sem dados para indicar se o vírus foi incidental ou causal e sem uma análise de fatores de risco relevantes, como obesidade.”

De acordo com o médico, o relatório de hospitalização de adolescentes do CDC, assim como sua contagem de mortes, não distingue se uma criança é hospitalizada por Covid ou com Covid.

“O Relatório Semanal de Morbidez e Mortalidade subsequente dessa análise revelou que 45,7% ‘foram hospitalizados por motivos que podem não estar relacionados principalmente’ à Covid-19.”

Em texto intitulado “Pense duas vezes antes de dar vacina de COVID a crianças saudáveis” e publicado no MedPage Today, publicação da qual Makari é editor-chefe, o cientista aborda também a questão dos efeitos colaterais relatados em adolescentes.

“Dada a raridade de casos de crianças saudáveis morrendo de COVID-19, eu não recomendaria um regime de vacina de duas doses (…) até que tenhamos mais dados.”

Com informações de MedPage Today, The Federalist e The Wall Street Journal


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Avatar
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1