Digite para buscar

As voltas que o mundo dá

“Eleição se toma”: frase foi dita a filho de senador suspeito de fraudar eleição

Frase do ilustríssimo ministro Barroso foi dita em conversa informal com deputado Jhonathan de Jesus, filho de senador suspeito de votar duas vezes em eleição para presidência do Senado

Compartilhar
"Eleição se toma": frase foi dita a filho de senador suspeito de fraudar eleição

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, já esclareceu: a fala “eu brinquei com ele que eleição em Roraima não se vence, se toma. (…) Isso está com som?” foi apenas uma conversa em tom de brincadeira do ministro com o deputado bolsonarista por Roraima, Jhonathan de Jesus (foto), do Republicanos.

Nota oficial da assessoria do ministro esclareceu que Barroso teve um encontro com um grupo de parlamentares, no dia 8 de junho deste ano, entre eles o deputado que aparece no vídeo e o senador Mecias de Jesus (Republicanos/RR), pai do deputado.

“Na ocasião o Senador narrou ao Ministro que por duas vezes ganhara eleições em seu estado, mas que ‘as eleições lhe foram tomadas’. Daí a origem da frase”, diz a nota.

“Ao comparecer à Câmara dos Deputados, no dia seguinte, em conversa com parlamentares, o Ministro narrou a história que ouviu do Senador Mecias de Jesus e repetiu a passagem que a resumia: ‘Eleição em Roraima não se ganha, se toma’.”

Ironicamente, o Mecias citado por Barroso foi um dos suspeitos de ter fraudado a eleição para presidência do Senado, em 2019. Na ocasião, foram computados 82 votos – um a mais do que o número de senadores – o que anulou a primeira votação.

Reportagem do Jornal do Commercio de 2019 dizia:

“Uma foto do voto do senador Mecias de Jesus a que a revista ‘Crusoé’ teve acesso mostra o momento em que ele insere na urna um papel de superfície lisa e sem qualquer inscrição, diferentemente dos demais colegas. O envelope oficial de voto contém um brasão da República de um lado e, de outro, uma marca em que se lê Senado Federal.”

A investigação da fraude foi arquivada pelo corregedor por “falta de provas”.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1