Game of Thrones Brasil

Explicando a briga 2: Villas Bôas, Santos Cruz, Olavo de Carvalho e a ligação com a APEX

Exército, mídia, PT e seus seguidores unem forças para criticar Olavo de Carvalho, um escritor

Logo após o conflito entre Olavo, Santos Cruz e Mourão – explicado pelo Senso Incomum -, e a hashtag #ForaSantosCruz ter ficado em primeiro lugar no Twitter, outros personagens e acontecimentos entraram na história.

O general Villas Bôas saiu em defesa de Santos Cruz e resolveu escrever uma nota atacando Olavo de Carvalho:Villas Boas - Texto contra OlavoO professor não respondeu diretamente ao general, por suspeitar que seus adversários estavam usando a condição debilitada do general:

Em outras palavras:


No entanto, a mídia, a esquerda e uma parte do exército, saíram aos quatro cantos dizendo que Olavo ofendeu Villas Bôas:

Mídia - Olavo - Villas Boas

Registro do Google entre o dia 07 e 08/05

O presidente Jair Bolsonaro manifestou-se novamente, tentando acalmar os ânimos de ambos os lados:Bolsonaro - Olavo de Carvalho - Villas Boas

Após a resposta da mídia defendendo os generais, alguns elementos nessa história começaram a soar estranhos. Olavo não tinha atacado Villas Bôas, mas vários veículos de imprensa difundiram matérias tentando emplacar a narrativa na qual o filósofo, um monstro insensível, ataca um pobre general cadeirante.


Outros setores embarcaram na mesma narrativa para tentar desmoralizar Olavo de Carvalho: Mídia - Olavo - Villas Boas - O antagonista

Além disso, a mídia tentou incutir mais duas narrativas:

  1. Os bolsonaristas (outro nome para olavetes) estariam numa disputa de poder contra os militares.
  2. Os bolsonaristas do governo pretenderiam remover Santos Cruz da SECOM no intuito de liberar verbas aos blogs amigos do governo.



E para coroar o cenário, o PT e seus asseclas saíram em defesa de Santos Cruz e Villas Bôas:

A senadora Kátia Abreu declarou que nem nos governos de esquerda (os mesmos que sucatearam as FA) alguém se atreveu a debochar das Forças Armadas:

Não são as Forças Armadas do Bolsonaro, mas dos brasileiros. Não podemos aceitar esse tipo de atitude de quem mora do outro lado do mundo. Peço ao Congresso Nacional que exija respeito

Assim, segue a seqüência do cenário:

  1. General Villas Bôas ataca Olavo de Carvalho.
  2. Olavo de Carvalho responde aos seus adversários que estão utilizando Villas Bôas como escudo.
  3. A mídia publica matérias afirmando que o professor atacou o general.
  4. Deputados, imprensa e personalidades influentes no Twitter, acusam Olavo de ser o responsável pelo caos no governo.
  5. A mídia emplaca mais duas narrativas: bolsonaristas aspiram o poder dos generais e Santos Cruz é um bastião da Justiça por impedir que a SECOM envie dinheiro para blogs amigos do governo.
  6. PT e seus asseclas criticam Olavo e bajulam as Forças Armadas

Resumindo: exército, mídia, PT e seus seguidores unem forças para criticar Olavo de Carvalho, um escritor.

Em meio a tudo isso, Leticia Catelani, considerada bolsonarista pela imprensa, foi demitida da APEX, após a posse do Contra-Almirante Sergio Ricardo Barbosa. Ela revelou que sofria pressão para manter contratos espúrios, além de receber ameaças e difamações:

Para engrossar o caldo, o site Crítica Nacional, de acordo com as suas fontes, revelou que a demissão de Catelani foi uma manobra de Santos Cruz para renovação de um contrato com uma empresa alvo da Lava-Jato:

Segundo nossas fontes, o objetivo de Santos Cruz ao forçar pela exoneração da diretora Letícia Catelani é, além de fazer a renovação do contrato com a empresa investigada pela Lava-Jato, atingir o Chanceler Ernesto Araújo.

Se a denuncia acima for confirmada, tudo indica que Santos Cruz – junto com uma parte da imprensa e deputados -, considera Olavo de Carvalho um empecilho para renovação de contratos milionários com empresas de comunicação que outrora serviram ao petismo.Olavo de Carvalho - Santos Cruz - Apex - Leticia Cantelani - Villas Boas - Ernesto Araújo

Continua no próximo capítulo…

—————

Confuso com o governo Bolsonaro? Desvendamos o nó na revista exclusiva para patronos através do Patreon ou Apoia.se.

Assine e assista o documentário 1964: O Brasil entre armas e livros e ganhe um e-book.

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Adquira as camisetas e canecas do Senso Incomum na Vista Direita.

Não perca o curso Ciência, Política e Ideologia em Eric Voegelin, de Flavio Morgenstern, no Instituto Borborema!

Publicidade
Sem mais artigos