Burn

Aldo Rebelo criticava ONGs e denunciava interesses de exploração da Amazônia quando ministro

ONGs, internacionalização da Amazônia e até George Soros foram criticados pelo comunista Aldo Rebelo, mas a mídia só criticou Bolsonaro

As ONGs sempre foram um problema para o Brasil e muito já se discutiu antes de Bolsonaro assumir o governo. Nesta matéria, foram colocadas várias entrevistas do ex-ministro de Lula e Dilma, Aldo Rebelo, sobre ONGs, Amazônia e George Soros.

Aldo Rebelo foi chefe de vários ministérios, inclusive do Ministério da Defesa. Hoje é filiado ao  ao Solidariedade (SD), mas fez grande parte de sua carreira no PCdoB.


Em 2006, Aldo Rebelo proferiu um discurso sobre as ONGs aos militares. Em sua palestra, Rebelo explicou os papeis das ONGs e como algumas são usadas até por George Sores:

”Existem ONGs sérias, baseadas em princípios humanísticos, mas também, por trás de muitas ONGs, existe interesse ideológico, político, econômico e comercial de agentes que nem sempre apresentam abertamente seus objetivos”

”Existem ONGs sérias, baseadas em princípios humanísticos, mas também, por trás de muitas ONGs, existe interesse ideológico, político, econômico e comercial de agentes que nem sempre apresentam abertamente seus objetivos”

Em entrevista para o portal O Dia, em 2010, a repórter pergunta se não é um exagero afirmar que as ONGs estão a serviço de países ricos. Rebelo diz:

“Não é propriamente a serviço, é um processo integrado. A não ser que expliquem por que esses países financiam de maneira tão decisiva essas organizações. É preciso saber qual o interesse”.

Nesta palestra na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em 2011, Aldo Rebelo criticou as ONGs internacionais e a Marina Silva:

“No alto de sua arrogância, eles [Greenpeace] quiseram intimidar publicamente o Congresso nacional”.

“Enquanto Bill Clinton (ex-presidente dos Estados Unidos), o diretor do filme Avatar (James Cameron) e a dona Marina Silva se reuniam em hóteis caros, eu descia o Rio Purus (AC) para conversar com a população local”

Em uma outra palestra na BIOSforum, em maio de 2011, Aldo Rebelo criticou os países que não cuidaram das suas florestas e querem ensinar o Brasil:

“Países que fazem guerra, ocupam territórios, não preservam nada de sua vegetação nativa, vêm criticar o País que mais preservou no mundo? Vamos expulsar nossos agricultores do campo? Nossos agricultores não invadiram nenhum País, terras não foram tiradas de um país alheio”.

Isso demonstra que a indignação com a fala do presidente é seletiva.

————–

Confuso com o governo Bolsonaro? Desvendamos o nó na revista exclusiva para patronos através do Patreon ou Apoia.se.

Não perca o curso Ciência, Política e Ideologia em Eric Voegelin, de Flavio Morgenstern, no Instituto Borborema!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Adquira as camisetas e canecas do Senso Incomum na Vista Direita.

Assine o Brasil Paralelo e tenha acesso à biblioteca de vídeos com mais de 300 horas de conteúdo!

Publicidade
Sem mais artigos