Digite para buscar

profetadas

Há uma década, avisavam que aquecimento global mataria 5 milhões até 2020

Aquecimento global mataria quase tanto quanto o nazismo. Agora, a conta é simples: se morreram 5 milhões nos últimos 10 anos, foi culpa do aquecimento global (na época ainda não era "mudanças climáticas")

Avatar
Compartilhar
clima, fim do mundo, aquecimento

Há dez anos, o jornal Estado de São Paulo publicou uma matéria sobre aquecimento global alertando que os efeitos do fenômeno poderiam matar cerca de cinco milhões de pessoas – sobretudo crianças de países pobres – até 2020.

Segundo a matéria apocalíptica, um estudo da DARA, uma organização espanhola de investigação humanitária, apontou que com o aumento dos gases de efeito estufa na atmosfera, os países sofreriam impactos sem precedentes na saúde das populações, no clima, na perda de áreas de habitação e no stress econômico.

“Em menos de 20 anos, quase todos os países do mundo tendem a chegar a altos níveis de vulnerabilidade em pelo menos um setor, à medida em que o planeta esquenta”, destacava o relatório de vulnerabilidade climática.

Passados dez anos, nenhum estudo verificou os resultados ou consequências do tal relatório. De lá para cá, a única alteração efetiva foi a troca do termo “aquecimento global” para “mudanças climáticas”

Desde os tempos de Homero, alarmistas anunciam o fim do mundo. Dia desses, a Folha de S. Paulo afirmou que Bolsonaro acelerou o relógio do juízo final, seja lá o que isso signifique.

 


Conheça a importância da Primeira Guerra Mundial assinando o Guten Morgen Go – go.sensoincomum,org!

Assuntos:
Avatar
Oliver

Oliver é dropista, podcaster e palestrante. Twitter: @Oliver_talk

  • 1