Desinformação

UE aliviou críticas à desinformação chinesa por medo de “repercussões”, segundo relatório

De acordo com relatório obtido pelo New York Times, a União Européia ajudou na campanha de desinformação do Partido Comunista Chinês para não pegar mal

Publicidade

Semana passada, o Serviço Europeu Para Ação Externa (SEAE, na sigla em inglês) publicou um relatório sobre campanhas de desinformação do novo coronavírus no mundo.

Segundo a Fox News, antes do lançamento, o relatório foi modificado às pressas para retirar os atos de desinformação do Partido Comunista Chinês sobre a Covid-19:

“O Daily Telegraph do Reino Unido informou que o Partido Comunista Chinês originalmente tentou bloquear o relatório”, diz a reportagem.

O documento original falava de uma campanha global de desinformação da China para evitar a culpa da pandemia e melhorar sua imagem internacional.

O relatório teria sido alterado após a pressão de Pequim sobre diplomatas da UE no país asiático. Ainda segundo a Fox, haveria “repercussões” se o documento fosse publicado:

“O jornal South China Morning Post informou que diplomatas temiam que o relatório ‘atrapalhasse’ as relações e dificultasse a obtenção de suprimentos médicos da China.”

Peter Stano, porta-voz da UE, disse que o documento não foi revisado e não houve pressão da China sobre os diplomatas.

“As publicações do SEAE são categoricamente independentes. Nunca nos submetemos a nenhuma suposta pressão política externa.” disse Stano à Fox

O SEAE foi originalmente criado para monitorar possíveis desinformações da Rússia, mas no ano passado expandiu sua missão para incluir a China.


Guten Morgen Go – Primeira Guerra Mundial já está no ar!! Conheça o conflito que moldou o mundo problemático em que vivemos em go.sensoincomum.org!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós.

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Publicidade
Sem mais artigos