Digite para buscar

Crime passional

Mulher é suspeita de atear fogo na companheira por ciúme e dar nome falso em hospital

A própria mulher atendeu a vítima, afirmando que ela não tinha parentes. Ainda hospitalizada, companheira conseguiu avisar a irmã. Crime se deu em Planaltina, GO

Avatar
Compartilhar
Mulher é suspeita de atear fogo na companheira por ciúme e dar nome falso em hospital A própria mulher atendeu a vítima, afirmando que ela não tinha parentes. Ainda hospitalizada, mulher conseguiu avisar a irmã. Crime se deu em Planaltina, GO

Investigações preliminares da Polícia Civil indicam que uma mulher ateou fogo na própria companheira por ciúme e levou a vítima ao hospital usando um nome falso para não ser descoberta. O crime aconteceu em Goiás, na cidade Planaltina, situada no Entorno do DF. 

O caso começou a ser investigado após denúncia da irmã da vítima (foto). De acordo com o delegado que apura o crime, após um desentendimento motivado por ciúme, a mulher jogou álcool nas costas da vítima e ateou fogo.

Brasil Paralelo – Os Donos da Verdade

Depois de cometer o crime, ela levou a vítima ao hospital dando um nome falso para não ser descoberta e disse que a mulher ferida não tinha parentes. Com queimaduras por grande parte do corpo, a mulher precisou passar por diversos procedimentos cirúrgicos.  Depois de oito dias internada, a vítima conseguiu entrar em contato com a família e contar toda a história.

A justiça deferiu o mandado de prisão da mulher, que permaneceu em silêncio. Os nomes das duas permanecem desconhecidos.


Seja membro do Brasil Paralelo e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Avatar
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1