Digite para buscar

Racismo platônico

Manuela D’Ávila chama de preconceituoso cartaz da prefeitura de Porto Alegre com saci

Filósofa do PCdoB diz que colocar o mascote do Internacional, que é um saci, em cartaz sobre peste chinesa “nada mais é do que reforçar o preconceito e o imaginário de que os negros são perigosos e contaminam”

Compartilhar
Manuela D’Ávila chama de preconceituoso cartaz da prefeitura de Porto Alegre com saci

O dia de hoje não está nada fácil. A politização da morte tomou conta das contas de Twitter, uma espécie de cracolândia do mundo virtual.

Seja na tragédia de SC ou na morte do comediante Paulo Gustavo, uma horda de patetas desprovidos daquilo que o rabino Matterhorn chama de matéria sutil – ou seja, a alma – provou não ter misericórdia nenhuma diante do sofrimento alheio.

A ânsia de lacrar cega as pessoas completamente. Eric Voegelin dizia que viver na ideologia é viver numa segunda realidade. Manuela D’Ávila, do PCdoB, não foge à regra.

https://twitter.com/JoaquinTeixeira/status/1389940668127191043

Incapaz de ler a realidade imediata, transforma seus impulsos emocionais mais primitivos em raciocínios desconexos. Ao ver um cartaz da prefeitura de Porto Alegre com os mascotes de Internacional e Grêmio, um saci e um mosqueteiro, Manu prontamente deduziu que o saci infectado era um preconceito contra os negros.

Com o lapso, Manuzinha revelou todo seu preconceito. É a virtude maligna – como o rabino Schmek descreveu quem adora ver nos outros as falhas que tem em si.

A campanha claramente quis representar a população de Porto Alegre com os mascotes de seus dois grandes times, Grêmio e Inter.

A ideologia transforma a realidade numa mera oportunidade de auto promoção. E isso custa caro.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Carlos de Freitas

Carlos de Freitas é o pseudônimo de Carlos de Freitas, redator e escritor (embora nunca tenha publicado uma oração coordenada assindética conclusiva). Diretor do núcleo de projetos culturais da Panela Produtora e editor do Senso Incomum. Cutuca as pessoas pelas costas e depois finge que não foi ele. Contraiu malária numa viagem que fez aos Alpes Suiços. Não fuma. Twitter: @CFreitasR

  • 1