Digite para buscar

Viralizou

G1 já defendeu que “crise” em Cuba faz bem pra diabetes (sério)

Comunismo em Cuba também acabou com os casos de obesidade da ilha, quase 90% vegana porque não tem nada além de folha pra comer

Avatar
Compartilhar
G1 já defendeu que “crise” em Cuba faz bem pra diabetes (sério)

Uma reportagem da seção “Bem Estar” do portal G1 viralizou na tarde desta terça-feira (13), por causa do título, digamos, peculiar: “Crise em Cuba pode ter diminuído diabetes e doenças do coração.”

O texto é de 2013 e provavelmente emergiu das profundezas como resultado de alguma pesquisa no Google sobre a atual crise cubana.

A matéria reproduz um estudo científico que mostrou um declínio de mortes por doenças cardíacas e diabetes na população cubana durante a crise econômica que a ilha enfrentou após a queda da União Soviética.

É tragicamente cômico também o texto da legenda da foto que ilustra a matéria: “Ingerir menos calorias e andar mais a pé podem ter ajudado a melhorar a saúde dos cubanos no período de crise (grifos nossos).”

Ou seja, a ditadura cubana ajuda a melhorar a saúde de seus concidadãos ao deixá-los à mercê da fome e da miséria (talvez as mortes por asfixia causadas por engasgos também tenham diminuído na ilha de Fidel). Indo fundo nesta mesma lógica, o G1 ainda vai chegar à conclusão de que morrer faz muito bem à saúde.

Um outro detalhe chama a atenção: o estudo reproduzido pelo G1 foi publicado no “British Medical Journal” (BMJ). O BMJ foi o jornal que publicou o artigo de uma professora de bioética defendendo a perda da tutela de pais que não quiserem que suas crianças, supostamente “trans”, sejam entupidas de hormônios e outros tratamentos de mudança de sexo.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Avatar
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1