Como gerações de brasileiros são atualmente vítimas de um dos maiores e mais bem-sucedidos processos de lavagem cerebral massiva da História.

Recentemente vimos a chocante notícia de uma garota que perdeu um olho num protesto de esquerda. Por que uma jovem estudante, bonita e com alguma estrutura familiar pode aceitar de bom grado o risco de entrar numa guerra, a ponto de perder um olho, para defender um governo que cortou 6 bilhões de reais da educação que ela pensa defender? Como a defesa de um governo atroz, que levou o país a uma grave crise sem precedentes, pode se tornar a meta principal da vida de milhares de jovens? Como tamanha despersonificação acontece?

garota esquerdista

Todo o processo de transformação física e comportamental, de uma garota saudável até virar uma militante esquerdista radical e perder um olho durou apenas dois anos.

Podemos afirmar, segura e enfaticamente, que a lavagem cerebral esquerdista coletivista é um problema grave e preocupante do Brasil (e do mundo) atualmente. Vemos isso no establishment democrata norte-americano, no fundamentalismo islâmico e nos movimentos de adolescentes e jovens bolivarianos na América Latina. China, Rússia, Coréia do Norte, todos são vítimas da lavagem cerebral esquerdizante (ou seja: socialista, coletivista, totalitária e autoritária, em seus diversos matizes) em maior ou menor grau.

São cenas comuns no Brasil atual (assim como eram na China maoísta) os escrachos públicos, aulas interrompidas à força, denúncias contra supostos inimigos, amizades e mesmo relações familiares que se deterioram por conta de ideologia política, filhos denunciando pais, além de transformações físicas e um código de linguagem próprio das vítimas da lavagem cerebral ideológica.

O conceito de lavagem cerebral foi proposto pelo psiquiatra americano Robert Jay Lifton, professor de Harvard, que é a maior autoridade no mundo em estudos sobre guerra política, controle mental e psico-historiografia.

Em seu livro[1] de 1961, Thought Reform and the Psychology of Totalism: A Study of “Brainwashing” in China (The University of North Carolina Press, 1989), resultado de uma pesquisa realizada a partir de 1953 com cidadãos americanos prisioneiros na Guerra da Coréia e também com exilados da China maoísta que sofreram doutrinação ideológica nas universidades chinesas, Lifton mergulhou nas variadas técnicas coercitivas usadas na China comunista, cunhando o termo “thought reform”, (reforma do pensamento) e descrevendo as suas principais características, além dos métodos que causam tal deturpação psicológica, moral e cognitiva.

A boa notícia é que, segundo seus estudos, o ser humano não é intrinsicamente cruel e somente em raros casos de sociopatias a pessoa é capaz de ser induzida a cometer crimes e atrocidades sem um grande sofrimento e dano emocional. A má notícia é que é muito fácil fazer uma pessoa “normal” cometer tais crimes.

Em outro livro, The Nazi Doctors: Medical Killing and the Psychology of Genocide (1986), Lifton estudou os inúmeros casos de médicos alemães – pessoas comuns – que justificavam e racionalizavam a própria participação nos sinistros experimentos do nacional-socialismo alemão, blindando-se psicologicamente desses grandes traumas.

A doutrinação pode ocorrer em vários níveis, seja um psicopata sedutor que obceca sua vítima, passando pelos famigerados líderes de seitas, grupos políticos e paramilitares, até a doutrinação em nível governamental e estatal, auxiliada pelo aparato cultural (universidades, igrejas, mídia, etc.).

O conceito de doutrinação poderia ser confundido com o princípio da educação, não fosse por uma grande diferença: a educação é um processo pessoal, a pessoa deseja educar-se e escolhe o que irá aprender, a educação visa a liberdade e a autonomia. Já a doutrinação é realizada a despeito da vontade da vítima e visa a submissão e o controle mental. Não é à toa que os campos de concentração da URSS e da Alemanha nacional-socialista eram chamados de “campos de reeducação”.

Atualmente no Brasil há uma hegemonia de esquerda, ou comunista, socialista, progressista etc. (são sinônimos, de fato) e temos gerações e gerações de brasileiros doutrinados, vítimas desse contexto histórico. As evidências disso são muitas, de livros didáticos completamente deturpados e professores doutrinadores até as transformações radicais morais, físicas e psíquicas em jovens cooptados pela esquerda.

O perfil (censurado inúmeras vezes nas redes sociais) @AntesDepoisdaFederal revelou recentemente centenas de casos reais de jovens se transformando em seguidores radicais e fanáticos do culto esquerdista, vítimas de um processo exatamente idêntico ao de uma seita pós-apocalíptica. Engana-se quem pensa que esse é um perfil de humor. Ao contrário, essa iniciativa é um alerta, é uma página que revela histórias tristes, verdadeiros dramas da existência humana.

antes-depois

Antes e depois da lavagem cerebral.

Portando urge debruçarmo-nos sobre a questão da doutrinação ideológica e lavagem cerebral em curso no Brasil para que não sejamos vítimas dos mesmos erros do passado.

Segundo Lifton, os principais meios de controle mental são:

1. O controle do pensamento

Não se lê ou estuda material contrário ao grupo. Não se fala sobre determinados assuntos, não se usa determinadas palavras. Exatamente como ocorre nas universidades brasileiras, na mídia e nos meios culturais. Pode haver isolamento físico e censura.

A obra de Pascal Bernardin, Maquiavel Pedagogo ou O Ministério da Reforma Psicológica (2005) descreve, com base em documentos oficiais, as técnicas de manipulação psicológica e sociológica levadas a cabo pelos organismos globalistas, particularmente a ONU, UNESCO, OCDE, Conselho da Europa e Comissão de Bruxelas, e aplicadas pelos governos de boa parte do mundo.

2. Hierarquia

A vítima é convencida da autoridade absoluta do líder.

Neste vídeo vemos um fenômeno comum: uma liderança obriga o entrevistado a parar de falar. Em outros vídeos desse canal, além das vítimas serem censuradas, são instigadas a reverberar bovinamente aos gritos e sem pensar, tudo o que a liderança fala, numa tática de protesto bastante impressionante chamada “microfone humano”.

O psicólogo Stanley Milgram realizou um famoso experimento no qual um professor mandava os alunos darem choques mortais em cobaias humanas, sem saberem que tais choques eram falsos. Dois terços dos alunos aceitaram dar choques violentíssimos e mortais em seus semelhantes só porque o professor mandou.

Foram bastante divulgados os casos de abuso das lideranças do grupo “Fora do Eixo”, que é um dos maiores exemplos de lavagem cerebral de alto nível, que conta inclusive com o fator “isolamento físico”, visto que seus integrantes vivem de certa forma apartados da família e da sociedade. As semelhanças entre as técnicas de manipulação mental usadas por Pablo Capilé e Jim Jones são gritantes[2].

bora temer

A autoflagelação é uma característica das seitas mais radicais.

Cada palavra carregada de sentimentos amorosos do líder (que pode ser desde um professor, um diretor do centro acadêmico, um artista até um político ou governante) é um gatilho para a obediência cega.  O processo mental de submissão à liderança não é racional, mas sentimental. Não interessam os resultados das ações dos líderes, mas o sentimento que evocam e dizem representar.

Há um livro infanto-juvenil quase profético do escritor Pedro Bandeira, chamado “A Droga da Obediência”. O socialismo, de fato, é a verdadeira droga da obediência.

3. O mundo dividido

Há os “bons” (o grupo) e os “maus” (todo o resto). Não existe meio-termo. Ou você é um “coxinha” malvado que odeia pobres no avião ou é um “progressista” com consciência social. Ou você vota na Dilma e é enquadrado no grupo dos iluminados ou fala bem do Bolsonaro e é um estuprador racista fascista homofóbico neoliberal.

Parece óbvio que, para quem está convencido de ter a solução dos problemas do mundo, os que não concordam com sua visão devem ser exterminados. O cinegrafista Santiago Andrade foi morto por jovens que odeiam a imprensa livre e acreditam estar fazendo o bem.

Os maiores genocídios da Humanidade ocorreram pelas mãos de jovens utópicos e idealistas que acreditavam poder criar um mundo perfeito.

O nazismo não surge pedindo câmaras de gás para judeus, e sim “espaço vital para o povo alemão”; Lenin não fez a Revolução Russa em nome do Gulag e dos paredões, mas pedindo “pão e terra” para o “proletariado”.[3]

4. Delação

São famosas as histórias de filhos chineses, soviéticos, vietnamitas, cambojanos e norte-coreanos delatando os pais para ganhar status com os líderes. Hoje presenciamos, no Brasil, o mesmo fenômeno. Filhos que renegam os pais, envergonham-se deles e os denunciam às “lideranças”, que pode ser o professor do cursinho, o colega do DCE ou mesmo expondo os pais nas redes sociais.

papis

Deve ser triste para um pai ver isso, depois de anos cuidando da filha com todo o carinho.

pai-fascista

pai-fascista-2

A cultura da delação assume a forma da hiper-judicialização da vida em sociedade e nunca é imparcial. Qualquer um, caso não comungue dos ideais da seita, pode ser denunciado ao estado por uma mera palavra ou frase mal interpretada. O mote é “vou te processar”, geralmente por crime de opinião e quase sempre sem nenhum fundamento. Já se um membro da seita realmente comete calúnia, injúria, difamação ou incitação ao crime, o caso é abafado. O militante tem carta branca para publicar, por exemplo, que deseja que uma jornalista oposicionista seja estuprada.

Em outro nível de atuação, pode haver o auxílio da imprensa e dos agentes culturais, assassinando as reputações de opositores e blindando a sua própria militância.

5. A Grande Verdade

O mundo é explicado com regras próprias e, mais importante: há soluções para se construir o Paraíso Terreno. Tais soluções são inquestionáveis. “O socialismo é a única doutrina que oferece respostas e salvação”. Negar isso é mais que negar a própria salvação, é ser contra a salvação de todas as outras pessoas. Quem é contra a salvação dos outros só pode ser uma pessoa maligna mesmo, que merece ser fuzilada no paredão e presa em campos de concentração. Tal é o “raciocínio” (entre aspas, pois não é um processo racional, mas sentimental) da mente lavada.

6. Código secreto

Há termos próprios, às vezes incompreensíveis, gírias, figuras de linguagem, mesmo a maneira de pensar, se vestir ou falar. Isso acontece no PCC (aquele dos bandidos, quero dizer, dos bandidos da cadeia e não dos livros de História) em São Paulo: as gírias são o código que caracteriza o membro como ainda condiciona seu pensamento. Acontece muito nos movimentos socialistas também, veja só que curioso.

A linguagem é um fator importantíssimo e essencial, é ela que vai disparar os gatilhos sentimentais na massa de militantes, é ela que vai envolver os discursos das lideranças com uma roupagem de boas intenções, é ela que fará milhares de pessoas marcharem por causas que nada conhecem (por exemplo, o direito trabalhista “dignidade”).

Não é coincidência que todas as ditaduras socialistas são auto-denominadas “repúblicas democráticas e populares”.

Palavras como “empoderamento”, “comunidade”, “social”, “coletivo”, etc. são palavras-gatilho que despertam um sentimento de pertencimento a um grupo e diferem o falante dos demais, considerados “alienados” ou pior: inimigos.

Entra aí o fenômeno da auto-censura “politicamente correta”, que é, segundo Olavo de Carvalho, o pior tipo de censura que existe, pois é uma censura auto-infligida antes mesmo do nascer das idéias.

7. A supremacia do grupo

Quando ocorre um processo de despersonificação, a vítima abre mão de sua individualidade para obedecer as ordens do grupo. Vale a pena perder um olho – ou mesmo a vida – para obedecer os ditames do grupo. A vítima abre mão do próprio senso crítico e já não pensa por si, mas delega todas as decisões ao grupo. Deixar o grupo ditar o que se deve ou não fazer é confortável e reduz consideravelmente os riscos de ser considerado um traidor.

A supremacia do grupo, além de ser um fator preponderante no processo de reforma do pensamento tratado aqui, é uma das principais características da ideologia coletivista em geral.

Num dos mais importantes ensaios filosóficos do mundo, A Rebelião das Massas, José Ortega y Gasset nos apresenta o grande fenômeno do século XX, o homem-massa, o homem despersonificado:

“É o homem previamente esvaziado de sua própria história, sem entranhas de passado e, por isso mesmo, dócil a todas as disciplinas chamadas “internacionais” (…) só tem apetites, pensa que só tem direitos e não acha que tem obrigações: é um homem sem obrigações de nobreza.”

Destituído de sua própria individualidade, o homem-massa goza em ser idêntico aos demais, pensar igual, a se sentir como “todo mundo”. Ao perder todo o respeito pelo passado, o homem-massa está aberto e vulnerável a qualquer tentativa de imposição de novos valores.

É preciso se policiar para agir de acordo com o padrão de comportamento “ideal”.

Solomon Asch (1907) identificou, na década de 1950, as características do espírito de rebanho no famoso experimento das medidas, no qual ele reunia um grupo de pessoas e mostrava a elas um cartão com uma série de linhas de comprimentos diferentes. Então, pedia para que identificassem qual seria a linha mais longa. Todas as pessoas na sala, menos uma, tinham sido orientadas para escolher a mesma resposta – claramente errada.

Surpreendentemente, um terço das pessoas concordava com o grupo, mesmo sabendo que estava escolhendo a opção incorreta.

8. Comprometimento

O socialismo é a grande causa, é o que vai tirar o mundo da miséria, vai trazer mais amor a São Paulo, vai fazer brilhar a nossa estrela lá. A pessoa se sente presa, ninguém pode ser feliz fora do grupo.

Tal sentimento não é uma alucinação, mas um dado real. É muito difícil para um adolescente de 17 anos ir contra todos os professores, amigos, imprensa, ídolos culturais, etc. especialmente no momento no qual ele está mais vulnerável e aberto intelectualmente, que é na época da faculdade.

Um aluno brasileiro que acaba de ingressar na universidade logo vê seus professores e colegas chancelarem o ideal socialista. Ele vê como os “coxinhas fascistas neoliberais” são tratados e achincalhados. Como assumir publicamente ser contra todo mundo? Como perder amigos, status e mesmo contatos profissionais, comprometendo toda a sua vida, sendo contra o establishment?

Em pouco tempo ele se adapta e crê que não há a possibilidade de ser feliz “do outro lado”. É importante notar como esses conceitos não são estanques, mas se intercomunicam. Um dado da realidade via de regra tem a influência de mais de um fator. A garota que perdeu um olho defendendo a Dilma sujeitou-se a isso por obediência às lideranças e influência do grupo, de acordo com seus conceitos de mundo dividido, grande verdade e usando um código próprio de linguagem.

santa-ceia-ditadores

Todos eles eram idealistas e queriam mudar o mundo.

Como deixar de ser mais uma vítima?

Quando pensamos no nacional-socialismo alemão tendemos a questionar “como aquelas pessoas puderam sancionar tal regime sinistro?” Parece algo irreal, impossível de ser repetido, mas não é. Basta ver o número de pessoas que defendem ditadores, regimes genocidas e grupos terroristas hoje em dia.

Estamos todos sujeitos a sermos vítimas desse dispendioso, organizado e altamente complexo processo. É preciso vencer a “Espiral do Silêncio”, teoria proposta pela cientista política alemã Elisabeth Noelle-Neumann e trazida à tona do debate público brasileiro pelo filósofo Olavo de Carvalho e perfeitamente retratada no conto A Roupa Nova do Imperador, de autoria do dinamarquês Hans Christian Andersen (1837).

O medo do isolamento ao se emitir uma opinião discordante da maioria só pode ser vencido com uma cultura que valorize o livre debate, a liberdade de expressão, o diálogo honesto, aberto e sem amarras.

O método socrático, usado tão bravamente pelo canal @Mamãefalei no vídeo acima, é infalível. Você deve se perguntar simplesmente: “pelo que vale a pena perder um olho?” “Eu sei realmente por que eu luto?” “O que pensam os opositores? “Quais são seus argumentos?”

Principalmente, é urgente nos preocuparmos com o tipo de educação que as crianças e jovens recebem nas escolas. Eles recebem ensinamentos para serem independentes ou para dependerem de um estado, um governo ou de um líder? O quanto ele se apegam a ideais comprovadamente fracassados (como o socialismo) ou estão abertos a outras considerações? Seus professores revelam todos os fatos históricos ou escondem aqueles que não sustentam a defesa da causa?

É preciso estarmos atentos às alterações de humor e de comportamento nos jovens em idade escolar, tal como uma drogadicção. As transformações seguem um padrão nessa lavagem cerebral moderna. Se a sua filha detonar o próprio cabelo, muitas vezes com uma franja mal-acabada, deixar os cabelos das axilas crescerem, começar a usar o famoso “piercing de boi” no nariz, usar roupas desleixadas e se masculinizar, há grandes chances de que ela esteja sendo cooptada pela seita esquerdista. Já se seu filho começar a se vestir como um mendigo travesti e passar muito tempo no DCE, ele não está se dedicando aos estudos, não seja ingênuo, ele é mais um zumbi vermelho que não sabe sequer explicar o que é fascismo.[4]

Por trás das franjas mal-ajambradas, dos piercings de boi, dos alargadores, tatuagens e daquele olhar arrogante de quem se acha detentor do monopólio da bondade há um jovem pedindo socorro, há aquela criança que brincava e sonhava ser médica ou policial, aquela criança que chamava assustada pelos pais quando tinha medo de alguma coisa geralmente parecida com o que ela própria aparenta ser hoje.

Se você perceber essas alterações físicas e comportamentais, não se engane: o seu filho já não pertence a você. Pode ser até que ele não te ame mais e te considere um inimigo de classe. Ele ama a “causa”, ele está à mercê das “lideranças” do partido e, se preciso for, ele irá te denunciar por ser um pai capitalista burguês opressor sem pensar duas vezes. Se instigado a tal, irá perder um olho pela causa.

Há poucas diferenças entre o ambiente num departamento de Humanas numa universidade pública e a “Cracolândia”. Assim como o crack, a doutrinação esquerdista transforma suas vítimas em zumbis maltrapilhos e causa diversos danos psicológicos. Conseqüentemente, as campanhas contra a lavagem cerebral esquerdista devem ser tão vigorosas como as campanhas contra o crack.

Com a autoridade de quem já foi uma vítima dessa lavagem cerebral, posso afirmar que tudo isso é secundário e coadjuvante. É bastante difícil mudar alguém sem incorrer nos mesmos métodos expostos acima. A mudança deve vir por conta própria, deve ser um processo estritamente pessoal, geralmente lento, penoso e doloroso. O que é realmente eficaz contra esse bombardeio cultural é o conhecimento, que apenas poderá vir junto com o livre debate de idéias, com a liberdade de expressão e pensamento. O maior antídoto contra a massiva campanha de lavagem cerebral esquerdizante foi inventado há 2500 anos, chama-se “método socrático” e consiste em duvidar sempre das próprias certezas. Ou, no mínimo, lavar a sua louça e arrumar o próprio quarto antes de querer mudar o mundo.

[1] A expressão “totalismo” (que dá nome ao livro), difere do conhecido “totalitarismo” por este ser específico de grupos que controlam o poder total (o governo). Já no totalismo, controlam-se as crenças e comportamentos das vítimas sem necessariamente se controlar o poder de estado.

[2] O esquerdismo moderno é de fato uma seita. O professor Nelson Lehmann, em seu livro A Religião Civil do Estado Moderno, demonstra que, desde Rousseau, Hegel e Marx, o culto ao estado passou a ser uma religião.

[3] MORGENSTERN, Flavio: Por trás da máscara – do passe livre aos black blocs, as manifestações que tomaram as ruas do Brasil; Editora Record, 2015.

[4] Por óbvio que seja, devo deixar claro aqui para evitar o patrulhamento: é evidente que não são todos os que têm piercings, tatuagens e cabelos destruídos que são vítimas de lavagem cerebral esquerdista.

Contribua para manter o Senso Incomum no ar sendo nosso patrão através do Patreon

Não perca nossas análises culturais e políticas curtindo nossa página no Facebook 

E espalhe novos pensamentos seguindo nosso perfil no Twitter: @sensoinc

Saiba mais:

  • Valterlucio Bessa Campelo

    Excelente.

  • Jose Cicero Honorato

    Excelente. É isso mesmo.

  • Ilsa Lima

    Hoje mesmo uma aluna gabavasse de não ser independente e só tomar decisões em conformidade com o grupo estudantil dela. Triste!

  • Jú Taouil

    Excelente artigo.

  • Addy Holder

    Só li verdades…parabéns!

  • Leone

    a esquerda estupra o intelecto.

  • Texto excelente! Não é igual aos outros textos sem utilidade deste site.

    Nota 10!

  • Adriana Farias

    Muito sensato Alan.

  • Felipe Costa

    E eu achando que tinha bons argumentos contra idéias coletivistas…

    “Cadê o Jorge??? Rs”

  • Leandro Coelho

    Na verdade no Brasil não existe esquerda e direita, existe esquerda e esquerda. Nos EUA existe esquerda e Direita, na Alemanha existe esquerda e direita. Digo a todos que estão comentando aqui e defendendo ideologias. Pesquisem e verifiquem se realmente existe direita no Brasil, o PSDB por exemplo é partido de esquerda, com poucas coisas diferentes do PT.

  • Pingback: A nação em febre – Portal Viena()

  • Thiago Muller

    cade o jorge??? rs

  • Pingback: A nação dos zumbis – AOPM()

  • roberto quintas

    quando eu me deparo com pessoas que na juventude eram de esquerda e agora vomitam o pior tipo de discurso reacionário, eu diria que o inverso é igualmente verdade…

  • Rafael Guimarães

    Pelo visto, você não compreendeu uma única palavra do texto, que falou do início ao fim do fenômeno da coletivização e supressão da consciência individual. Não há nada que nem remotamente se pareça com uma defesa da proibição de se manifestar numa democracia. Mas o que ocorre é que no Brasil as pessoas não criticam o que leram, mas o que imaginam que leram.

  • Rafael Guimarães

    Nazismo e fascismo são vertentes da esquerda, a diferença fundamental é que o nazismo e fascismo eram movimentos nacionais, ao passo que o comunismo desde sempre teve a ideia de se internacionalizar. As tropas nazistas treinavam em território soviético antes da eclosão da II Guerra Mundial, graças à parceria Hilter-Stalin, que perdurou até a divisão do território polonês entre Alemanha e União Soviética após o início da guerra em 1939, prova mais que cabal da semelhança ideológica entre a máquina de guerra nazista e o regime soviético. O nazismo abominava TUDO o que é caro à direita, como o valor da consciência individual e a correspondente ojeriza à ideia de coletivismo; a direita prega um estado mínimo, o nazismo um estado máximo, absoluto; a direita acredita em bases transcendentes para a ação humana, o nazismo é essencialmente imanente, com o Estado sendo a instância máxima da vida humana. Não existe a mais remota possibilidade de considerar que o nazismo foi um movimento de direita. Quanto aos assassinatos de gays, sugiro que você se informe como os homossexuais são tratados em Cuba, lembrando que passeatas gays são proibidas até hoje na Rússia e permitidas à vontade no Brasil “direitista, homofóbico, capitalista e heternormativo”.

  • Rafael Guimarães

    Acredite, escrever filósofo entre aspas pejorativas não significa absolutamente nada.

  • Rafael Guimarães

    Aproveitando que o dono da página permite comentários, exponha aqui uma argumentação fulminante contra o texto, algo que seja mais racional e lógico do que dizer “que bosta”.

    • Isabelle Dagois

      Querido, acha mesmo que vou gastar tempo de vida com quem vê sentido num apanhado de besteiras desse nível? Doutrinação esquerdista? Lavagem cerebral? O que vocês estão tomando no café da manhã? Qual a próxima teoria da conspiração estúpida?
      No Brasil a direita é composta na sua esmagadora maioria por gente burra, conservadora e velha.
      Características muito bem representadas nesse texto medíocre.
      Isso não é nem nunca foi atraente para a maioria dos jovens sobretudo numa época como a que vivemos. Por isso DEM e PSDB se viram obrigados a contratar idiotas do tipo Kim Kataguiri e montar um movimento completamente artificial e patético para tentar alguma representatividade junto aos jovens.

      Essa tentativa ingênua de empurrar o nazismo para a esquerda, típico de sites como esse feito sob medida para enganar ignorantes, está muito mais próxima de qualquer tentativa de lavagem cerebral ou manipulação dos fatos do que qualquer suposta doutrinação que leve garotas de classe média se tornaram black blocks.

      • Rafael Guimarães

        Bom, se a questão é gastar tempo de vida com quem vê sentido num apanhado de besteiras deste nível, então o simples fato de você estar aqui comentando já
        mostra que você está gastando tal tempo. Se você não vê doutrinação esquerdista nas universidades a deficiência de percepção é sua, não de quem aponta o problema. No mais, somente a velha ladainha obsessiva de acusar a direita de ser composta de gente burra, conservadora e velha, mostrando no mínimo que você não sabe o que é “direita” ou “conservadorismo”, no máximo você tem um arremedo grotesco do que sejam tais coisas.

        Por fim, desconhecer que o nazismo foi um movimento de esquerda é desconhecer que a direita abomina o agigantamento do Estado e os coletivismos, exatamente o que o nazismo fez. No nazismo e no comunismo o Estado é o centro absoluto da vida humana, com abolição oficial de toda ideia de transcendência como geradora de valores, porque acima do Estado nada pode haver.

        Não existe NADA no pensamento de direita que sequer remotamente se assemelhe a isto. Aliás, nazismo e comunismo foram parceiros antes da eclosão da II Guerra Mundial, sendo fato comprovado com farta documentação disponível nos Arquivos de Moscou que Stalin recebeu tropas nazistas em território soviéticopara treinamento militar. A NKVD, primeira denominação da KGB, ministrou treinamento para integrantes da Gestapo sendo que a ideia de criar campos de concentração foi criação de ninguém menos que Stalin, modelo copiado pela Alemanha nazista. O documentário “The Soviet Story” narra em detalhes a parceria Hitler-Stalin.

        Mais não fosse, assim que Hitler concretizou a tomada da Polônia, este país foi dividido com os comunistas soviéticos, caso você nunca tenha ouvido falar. As diferenças entre nazismo e comunismo são basicamente que o nazismo era nacional e calcado na ideia de “raças”, ao passo que o comunismo era – e é – internacional e se baseia na ideia de “classes”. Nazismo só é de “direita” em livros do MEC e na imaginação psicótica de professores universitários.

      • Newton (ArkAngel)

        O DEM e o PSDB são de esquerda. Não existe NENHUM partido de direita no Brasil.

  • Julio Alacarte

    O primeiro dos “detalhes” que você aponta é apenas um ad hominem: Cita Olavo de Carvalho como se a obra do mesmo fosse irrelevante, quando na verdade a mesma é amplamente reconhecida. Se você estivesse interessado em honestidade, desenvolveria o argumento explicando porque o Olavo é uma fonte ruim, e não apenas o citaria como se isso fosse uma verdade óbvia como 2 + 2 são 4.
    O segundo detalhe é mais sutil. O ponto do autor do texto foi: Indivíduos engajados que se acham revolucionários resolvedores dos problemas do mundo frequentemente acabam matando gente inocente no processo. Essas mortes podem ter dolo ou não, mas ocorrem como consequência do processo revolucionário. É assim desde a Revolução Francesa. A morte do cinegrafista, apesar de não necessariamente intencional, decorreu da mentalidade revolucionária ali presente. É simplesmente isso.
    E a presunção ingênua de que todos os pais cuidam bem dos filhos não está no texto simplesmente, é uma criação da sua cabeça, porque aparentemente você leu o que quer ler, não o que está escrito.

  • Jorge Aguiar

    Sua assembléia é você? Olha aí o caráter individualista do liberalismo.
    Já pensou se todo mundo pensasse assim? Com certeza haveria um, mais
    esperto que, em nome de Deus ou alguma outra coisa, tomaria o poder,
    impondo o seu pensamento e, para ser sincero, é muito melhor agir de
    acordo com a coletivideade, das decisões das assembléias, a ter que me
    submeter a psicopatas que acham que se bastam a si pprórios, gerando
    “maravilhas” como o Hitler e seu Nazismo. É preferível submeter–me à
    vontade de um grupo, um colegiado, a me submeter a um único louco, que
    se acha “iluminado”.

    • Guilherme Santos Júnior

      A Lei de Godwin, conhecida também como A Regra das analogias nazistas de Godwin (ou ainda em inglês Godwin’s law ou Godwin’s Rule of Nazi analogies, como é mais conhecida no meio virtual), tem por base uma afirmação feita em 1990 por Mike Godwin,[1] um advogado americano conhecido por formular essa “lei”,[2] que diz[3]:

      “À medida que cresce uma discussão, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou o nazismo aproxima-se de 1 (100%)”;

      Há uma tradição em listas de discussões e fóruns segundo a qual, se tal comparação é feita, é porque quem mencionou Hitler ou os nazistas ficou sem argumentos. Portanto, considera-se que perdeu a discussão quem usou essa comparação num argumento.

  • Jorge Aguiar

    Esse texto é tão massificador quanto aqueles outros que ele pretende denunciar. As práticas do Moro, Deltan e tantos outros, são exemplos de comportamentos nazi-fascistas. Sinto nojo deste pessoal da Direita. Nela encontramos a coerção (vide codução coercitiva do LULA), fanatismo religioso (vide as pretensões messiânicas da Janaína possuída e do Deltan, homem de Deus).BURROS, INTOLERANTES e FANÁTICOS. Odeiam negros, índios, Povo, e usam suas estratégias para inculcar seus valores e idéias nas cabeças destes pobres coitados. Viva o HUMANISMO, O SOCIALISMO. FORA O FASCISMO DA ELITE BRANCA.

  • Secret Face

    o livro nazi doctors é um livro contra a psiquiatria, pois voces da direita que apoiam a psiquiatria tão tirando só a parte que fala do nazismo? e o capitalismo que fez lobotomia em milhares de pessoas ao redor do mundo, o que é muito pior do que matar, ou seja, pior que o nazismo.

  • Alan

    Calma aí, mas vc mesmo disse que não passou do segundo parágrafo deste texto!

    E estou curioso: o que vc exatamente leu? Nomes, please.

  • Alan

    “Poder deliberativo”: não sei o que vc quer dizer com isto. Favor definir.

    “Minha assembleia sou eu” tem um sentido claro: eu sou o responsável por minhas próprias decisões e suas consequências. Se forem boas, ótimo. Se forem ruins, recebo as chibatadas. Sem jogar a culpa em terceiros. Nunca pensei que fosse um conceito inovador o suficiente pra merecer destaque.

    Já quando obdecemos votação, sempre dá pra dividir a culpa quando dá merda…

    • Newton (ArkAngel)

      Eu fiz essa experiência…e quase o conteúdo total de uma das caixas foi parar no lixo.

  • Leo

    “A sociedade é diferente porque as pessoas são diferentes em todos os
    aspectos imagináveis: em cultura, em ideias, em inteligência, dedicação e
    objetivos”

    Concordo, mas calma lá. Onde a Sociologia, a Filosofia e a Política nega isso? Você está equivocado.

    • Vander Lei

      Concordo, mas calma lá. Onde a Sociologia, a Filosofia e a Política AFIRMAM isso? Você está equivocado.

  • Leo, só de curiosidade, você já LEU alguém de direita? Pegou um intelectual de direita, que diga que é de direita, que seja reconhecido por outros direitistas como um direitista, e entendeu O QUE ele defende? Não estou perguntando se concordou, só se já leu, se entendeu etc. Sabe pelo menos o nome de algum direitista reconhecido como direitista pela direita? Pela esquerda não vale – é como eu dizer que sou de direita e acho que o Champinha e o Estado Islâmico são de esquerda. Viu que não funciona, né?

    Porque o que você faz é associar tudo o que não gosta à direita, SOBRETUDO o que nada tem a ver com a direita. Exemplo óbvio: chamar o nacional-socialismo de “extrema-direita”, a expressão que a esquerda mais gosta. Não faz o menor sentido. O nazismo se parecia mais com a URSS ou com a Inglaterra de Churchill? Só isso já demonstra o problema de inventar palavras e acreditar nelas por décadas.

    Racismo é de direita? A abolição da escravidão foi obra de Lincoln e da Inglaterra pelo mundo. A KKK é de esquerda, ao contrário do que te dizem. Aliás, financia a campanha da Hillary contra o Obama! Já pesquisou 5 minutos a respeito dela?

    Sobre essa putaria de bordão “homofóbico, machista, racista” (sério, esquerdistas, vocês riscaram fundo o disco, hein?), me diga que país socialista não mandou gays para campos de concentração, de Cuba à União Soviética. Qual país de esquerda teve mulheres no comando antes da direita (nossa Thatcher manda lembranças). Qual deles não foi racista, como KARL MARX era.

    Viu como você desconhece tudo? Agora que a direita está surgindo no Brasil, te faço um convite: CONHEÇA UM, nem que seja UM pensador de direita. Roger Scruton, Theodore Dalrymple, Thomas Sowell, Eric Voegelin… tem vários. Caras como Russell Kirk (A Política da Prudência) ou Benjamin Wiker fizeram verdadeiros compilados.

    Assim você vai saber O QUE é direita. Porque senão, é como eu desconhecer integralmente até o nome de Karl Marx, de Michel Foucault, de Noam Chomsky, de Antonio Negri, de Rosa Luxemburgo, não saber a história da Revolução Francesa, da Russa ou que a esquerda defende igualdade e controle estatal, e sair por aí dizendo: “Ah, esquerda? É maconha, suruba e assassinar policial”. Reparou como é estúpido?

    • Aliás, tudo isso junto só prova como TODA DOUTRINAÇÃO NESSE PAÍS é de esquerda, já que você nem sequer CONHECE alguém de direita. E acha que um site desse tamanho “prova” que tudo nesse país é “direita”.

      • Leo

        é… falta interpretação de texto também

        • Vander Lei

          leia direitinho e reconsidere quem está chamando quem de alienado?

        • Vander Lei

          Ah, lógico, quem se preocupa com essas causas é você e a esquerda! Super engajados nesses temas!

    • Leo

      “bordão “homofóbico, machista, racista” (sério, esquerdistas, vocês riscaram fundo o disco, hein?)”. Não foi a esquerda que riscou o disco, é a homofobia, o machismo e o racismo que persistem. Ou você vai negar isso?

      KKK é de esquerda!?!? AHHAHAH mano! Eu rio de perplexo. Não é possível! Como você pode ser tão desonesto e mentiroso na maior? Depois vocês querem que a gente leia até o final esse monte de baboseira.

      • Pedro Sousa

        Pois é, o grande guru da direita ultra-conservadora, Olavo de Carvalho, doutrinou muita gente.
        “KKK de esquerda” realmente é para chorar… de rir.

        • Chore aí, a realidade tá se ferrando pro seu choro, como se chorar fizesse você saber o que a KKK é.
          https://en.wikipedia.org/wiki/Ku_Klux_Klan#First_Klan:_1865.E2.80.931871

          http://www.wnd.com/2015/11/left-wing-kkk-charges-truth-be-damned/
          http://newstalk1130.iheart.com/onair/common-sense-central-37717/the-democratic-party-and-the-kkk-11769046/
          https://realdemocrathistory.wordpress.com/2008/05/15/the-kkk-was-the-terrorist-wing-of-the-democrat-party/

          KKK financia a campanha de Hillary (ao contrário do que dizem as antas do jornalismo brasileiro):
          http://www.washingtontimes.com/news/2016/apr/26/klan-leader-claims-kkk-has-given-20k-clinton-campa/
          http://www.thegatewaypundit.com/2016/08/video-kkk-grand-dragon-endorses-hillary-clinton/

          Até a Hillary tentou jogar a KKK no colo de Trump, e a resposta fez com que a Salon, o maior site da extremíssima-esquerda americana, tivesse de tentar se livrar dessa (e foi logo refutada pela notícia acima):
          http://www.salon.com/2016/03/04/why_republicans_blaming_democrats_for_the_kkk_are_profoundly_wrong/

          Ou seja, chore mesmo. Chore muito. Lágrimas de esquerdista são quase doces.

          • Pedro Sousa

            Me desculpe, mas você se apoiar no fato que um passado muito distante (e bota distante nisso!) a KKK era democrata, para provar que hoje continua, é como usar o argumento que nazismo é de esquerda porque tem socialismo no nome. Realmente é para chorar.
            A direita brasileira , ultra conservadora (você incluso), por falta de força política aqui fica nesse americanismo tacanho defendendo o Partido Republicano. É muita jequice. Mas compreendo que a falta de intelectuais de direita, como foram Merquior , Roberto Campos , Afonso Arinos, e alguns outros, nos legaram direitistas pseudo-intelectuais, influenciados por Olavo de Carvalho.
            PS: pode me bloquear , já sei como funciona a sua “democracia”.

          • A KKK não “era” democrata. A KKK É democrata. Não leu a notícia deste mês no Washington Post?
            O nacional-socialismo é uma forma de socialismo. Ou vai dizer que é uma forma de conservadorismo? De liberalismo? De republicanismo americano? Hitler e sua economia dirigida tem alguma coisa a ver com a Inglaterra ou parece mais o pesadelo soviético?
            Vamos ouvir as próprias palavras dos nazistas: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gregor_Strasser#Trivia

            Ficar falando de intelectuais que você NUNCA LEU para compará-los a Olavo de Carvalho (que você leu menos ainda) é burrice extrema. Cite um direitista que você leu antes de tentar ensinar a quem até os traduz quem ou o que você ACHA que é direita. Cite um. Depois conversamos.

            PS: Não defendo democracias. Defendo repúblicas. Como diz o nome do GOP. Conceito que você, obviamente, não entende, ou não seria esquerdista (já reparou como a esquerda só sobrevive pela ignorância em relação à direita? Não é preciso mais do que um ano de leituras de direita para o esquerdista se tornar direitista): http://sensoincomum.org/2016/05/16/o-que-e-a-tal-democracia-que-o-pt-tanto-defende/

            http://sensoincomum.org/2016/08/29/dilma-mania-democracia/

            http://sensoincomum.org/2016/06/02/ricardo-melo-anti-semitismo-pt/

          • Pedro Sousa

            Li , inclusive que David Duke apoia Trump.
            O nazismo é uma forma de extrema-direita, nacionalista, racista e anti-democrática.Você mistura capitalismo com democracia nestas comparações.a Alemanha sob Hitler era uma ditadura, mas continuava capitalista, com uma economia dirigida pelo partido nazista, mas os meios de produção continuavam com seus donos. A semelhança com a URSS sob Stalin era justamente o fato de ambos serem ditaduras. Uma de direita , outra de esquerda.
            A sua tática de desqualificar o outro debatedor é típica da direita ultra-conservadora. Você não faz a mínima ideia de eu leio ou li. Eu não tenho como ter certeza, mas você não leu Marx, e o critica mesmo assim. Quanto a Olavo, os seus vídeos no Youtube, não me dão a mínima vontade lê-lo.
            Ao contrário de você, eu defendo democracias. O Chile , a Argentina , Cuba , Nicarágua , Brasil, URSS, etc, são repúblicas, mas também foram ditaduras. A democracia transcende isso. Entendeu?

          • Então leu errado. Ele “apoiou” que supremacistas brancos deveriam preferir Trump a Cruz (canadense) ou Rubio. E Donald Trump, que já foi democrata, o repudiava naquela época: https://www.washingtonpost.com/news/fact-checker/wp/2016/03/01/donald-trump-and-david-duke-for-the-record/

            Fatos, guri. Fatos. Procure por informações, não leia manchetes e jump to conclusions. Aqui é fato, não boato e “li que”.

            Você não sabe o que é direita, inventa e joga o que não gosta para ela. O nazismo NUNCA FOI capitalista: tem discursos e discursos de Hitler contra o capitalismo e o imperialismo e (olha só!), o colonialismo. Dá pra adivinhar que você odeia todas essas palavras, porque foi doutrinado por professores na escola (eu também, e todo mundo que nasceu no século XX, ouvimos a mesma ladainha). Tudo O MESMO que Hitler defende. Mas você acha que, por ser contra o avanço vermelho, ele é “de direita” (invenção do marxista E. P. Thompson, deflagrada pelo stalinista Eric Hobsbawm – viu como você não sabe por que pensa o que pensa?). E aposto que acha Israel “imperialista” e “burguês” (como Hitler achava), e que a Palestina é um país e linda (como Hitler achava), sem notar que é um território ocupado por grupos terroristas, enquanto Israel, república, tem eleições.

            Não nota a contradição? Você é quase um Hitler, enquanto o que eu defendo é capitalismo, repúblicas e monarquias ocidentais, nada de economia dirigida (se é dirigida NÃO É capitalista!), nada de terrorismo, nada de sovietização. Aliás, como você diz que algo é “de direita” por não estatizar “meios de produção” (qual o meio de produção de um carrinho de cachorro-quente? vocês usam conceitos toscos inaplicáveis à realidade e nem se tocam) e que defende “democracias” de esquerda, sendo que a única forma de controlar meios de produção é por totalitarismo (muito pior do que “ditadura”)?

            Pare de se contradizer e aprenda o que é a direita. Você vai gostar de não passar vergonha.

            Se não quer ler, problema seu. Mas não tenha opiniões, então. Não tenho opiniões sobre o sr. João Haisudasjodasjkasdhjsa, por que não o conheço.

            Óbvio que sei o que você não leu: se tivesse lido UM único autor de direita, saberia o que é a direita, ao invés de chutar nomes que seu professor disse e dizer que “eles já foram melhores”.

            Já li Marx. Procure pelo meu nome no Google e Marx e veja quantos textos já escrevi sobre o ditador do proletariado.

            Tais países nunca foram repúblicas. LEIA o que escrevi antes de dar opinião. Você nem sabe a diferença entre democracia e república.

            Te falta leitura, guri. Muita. No dia em que ler, ao invés de repetir clichês de pedagogos burros, vai ser um direitista.

          • Pedro Sousa

            Penso que você acha demais, sabe de menos. Não me conhece , mas tira várias conclusões erradas.
            Só ressalto que pode ter lido Marx, mas foi o Groucho. E pior não entendeu nada.
            Falou, falou, falou, mas sempre por clichês. E ainda incluiu uma comparação com Hitler, se defendendo com um quase.
            Para quem pretensamente se acha erudito e intelectual, acabou doutrinado pelo guru-mor , Olavão. Escreve as mesmas coisas que ele , cita fontes obscuras, para ficar igual só faltam os palavrões. Mas como tem pudor em usá-los, parte para uma tentativa juvenil de desqualificação.
            Jovem , para finalizar, por ser inútil, não darei mais pérolas a porcos.
            Abraços fraternos.

          • Luciano

            “Escreve as mesmas coisas que ele , cita fontes obscuras, para ficar igual só faltam os palavrões.” É a típica ideia de quem nunca ouviu falar de assunto e, concluí, que tal fato não existe.

          • Pedro Sousa

            Acabou de descrever a si mesmo.

      • Oi, Leo! Vim aqui procurar seu contra-argumento. Por debaixo da chuva de “haha, huehuehue, vocês só falam merda”, não encontrei nenhum. Poderia mostrar onde estão, por favor? Um abraço!

    • Leo

      na moral, qual a brisa de vocês de ficar confundindo as pessoas com mentiras e desonestidades?

  • Leo

    leia direitinho e reconsidere quem está chamando quem de alienado?

    • Vander Lei

      leia direitinho e reconsidere quem está chamando quem de alienado?

  • FELIPE AGUIAR

    Pois é… não existe consenso. Tanto que, se um estudante que discorde do movimento estudantil “discursar em assembléia”, será achincalhado por ser um facistinha.

  • Ahyr Maya Filho

    Ainda bem que ainda tenho esse direito, né? Se fosse no mundo “perfeito” de Mauro Iasi, já era…depois vemos quem oprime quem.

  • Renato Trevisan

    Queria postar esse artigo, mas com essa foto dessas feministas peladas não vai dar…

  • Jean Carvalho

    Dúvida: O ponto 3 não entra em contradição com o restante do texto? Tive a impressão de que houve uma generalização forte do movimento de esquerda e ainda houve um sutil maniqueísmo….

  • Mateus da silva

    Que merda foi essa que tu digitou ?

  • Mateus da silva

    Tu tava chapado né, quando escreveu isso ai ?

  • Mateus da silva

    Você deve tá confusa. Se questionando sobre seus “valores”.

  • Mateus da silva

    Vc é comediante né ? Só pode ser.

    • Leo

      E vc não tem argumentos. Só pode ser.

      • Vander Lei

        E vc não tem argumentos. Só pode ser.

  • Mateus da silva

    Seu depoimento é deveras assustador. Que futuro terão nossos filhos e netos ?

  • Mateus da silva

    Santo Deus. Vc só pode um “troll”.

  • Mateus da silva

    Vocês fez perguntas complexas demais pra ela. Não vale.

    • Leo

      “Me poste algum comentário sobre a Coréia do Norte, por exemplo, para
      podermos voltar a conversar sobre esse tal “senso de HUMANIDADE”. Ou
      melhor: Poste algum comentário sobre as mulheres islâmicas, e terás de
      volta minha atenção.”

      esse post é sobre a realidade brasileira ou sobre a condição das mulheres islâmicas? é sobre o Brasil ou sobre a Coréia do Norte? Não venha pagar de louco e misturar as coisas!

      • Vander Lei

        é… falta interpretação de texto também. Ninguém transformou elas em nada. Elas próprias tomaram consciência após sofrerem esquerdismo todo dia. A comparação com mulheres de desfile de moda é simplesmente genial. É simplesmente igual. Falou tudo.

  • Mateus da silva

    é de chorar.

  • fred lasmar

    Essa é a tática dos regimes totalitários. Gott mit uns (“deus conosco”) era o lema gravado nas fivelas dos cintos dos soldados nazistas

  • Vander Lei

    Pobres mulheres. Esse é o trabalho de uma mente realmente depravada. Transformaram essas mulheres em homens mal-acabados. O mesmo trabalho que é feito com aquelas mulheres magérrimas de desfile de modas.

    O trabalho de alguém que odeia as mulheres.

    • Leo

      Ninguém transformou elas em nada. Elas próprias tomaram consciência após sofrerem machismo todo dia. A comparação com mulheres de desfile de moda é simplesmente surreal. É simplesmente o oposto.

  • Justamente Videos

    Tom Martins, digo que seu texto está orquestrado com o futuro! É uma reflexão urgentemente necessária. Com certeza repassarei! Grata!

  • Marco Antonio Françozo

    belo texto o brasil não pode e nao deve aceitar esse golpe que nos querem impor

  • Peterson Querino M12

    Parabéns pelo texto, sou Dr em química pela UFBA e observo como os professores impõe a doutrina socialista, por um período de tempo eu cai nesse conto, mas graças a Deus que estou livre disso, apoio Bolsonaro e qualquer outro que lute contra o comunismo

  • Pingback: A nação dos zumbis - PolicialBR()

  • Dyego Soares

    Texto raso…

    • Rodrigo Batista

      Comentário muito profundo…

  • wallace bernardo

    EUTANASIA E UM ATO PIEDOSO PARA OS DEMENTES ESQUERDISTAS

  • Helber Lessa

    Sabes me dizer qual foi a última vez que a mídia de direita, que criou os conflitos no mundo, os quais antes não existiam, defendeu Trump, foi anti-aborto, realizou programas com ícones anti-feministas, citou filósofos liberais ou conservadores…?

  • Helber Lessa

    Que tal um dos meus ex-professores que diz com todas as letras que Universidade é lugar para busca da hegemonia ?Ou o fato das revoluções armadas terem sidas substituídas pela busca do domínio cultural, e as teses apresentadas aqui msm nesse sentido ?

  • Helber Lessa

    “O texto já começa errado. Quem disse que ela defende algum governo? ”

    A Realidade.Ela nos disse que a maioria dos manifestantes são anti-impeachmistas, viúvas da Dilma ( e sim, ser contra o impeachment é uma forma de defender o governo, msm que não integral)

    “a pauta das manifestações é FORA TEMER, e acompanhando essas, alguns puxam a pauta de NOVAS ELEIÇÕES GERAIS e outros de DIRETAS JÁ! e ainda outros de GREVE GERAL, fora outras pautas menos expressivas.
    Logo após, você reclama dos “escrachos públicos, aulas interrompidas à força, denúncias contra supostos inimigos, amizades e mesmo relações familiares que se deterioram por conta de ideologia política, filhos denunciando pais, além de transformações físicas e um código de linguagem próprio das vítimas da lavagem cerebral ideológica.” NOSSA!!! SUPER GRAVE! #sqn”

    Só que não ?Ter sua vida particular destruída e tratar família e amigos como monstros por causa de política não é uma desgraça para vc?Realmente, temos um exemplo aqui.

    “Se isso é sério, então o que dizer então dos seguintes fatos: assassinatos de lideranças de trabalhadores do campo, de indígenas, da juventude periférica (boa parte da população tem um ou mais amigos assassinados, boa parte deles pela polícia), de gays, travestis, lésbicas, militantes; feminicídios, agressões e assassinatos cometidos por machismo em nome da heteronormatividade; assassinatos por dívidas; trabalho escravo; e uma lista interminavel de absurdos; etc; etc. É a esquerda que fez isso?”

    Desconfio que vc tenha digitado isso pensando “a direita faz pior”…

    1º: jovens periféricos coisa nenhuma.É POBRE msm, acredite, não nos ofendemos.

    2º: das 60 mil mortes anuais no Brasil, cerca de 8 mil foram cometidos por policiais (partindo do pt de que elas entram na lista sempre; senão, a diferença é ainda maior), então o seu “mts das” só há pelo efeito lavagem cerebral da esquerda ficar te martelando que polícia é assassina.

    3º: feminicídio NÃO EXISTE.

    “E você vem falar que ESCRACHO e AULA INTERROMPIDA é autoritário!? É a esquerda que sofreu lavagem cerebral ou você que perdeu sua humanidade?”

    Não é como se eles se comportassem como ditadorezinhos numa escola, não é ?Na política eles devem ser super democráticos e ponderados.

    “Nao tem como levar a serio. Parei no segundo parágrafo.”

    Isso desmoraliza você, não o autor do texto.

    “Só dei uma passada de olho no resto e vi uns absurdos:
    – nazismo e fascismo como sendo de esquerda (isso só pode ser dito por alguém que nunca pesquisou a hisótria do nazismo e do fascismo, OU por alguém MUITO mal intencionado).

    Não foi isso que foi dito…Mas não muda o fato de que na prática são iguais, seja pela ótica de que é td esquerda, seja pela teoria da ferradura.

    “- Hierarquia: essa questão é extremamente polêmica na esquerda, mas uma unanimidade na direita, que abomina a horizontalidade.”

    Se a Esquerda fosse coerente, e não usasse palavras apenas como marketing, talvez.
    Mas a análise do comportamento de militância não releva nenhuma sociedade comunal…

    “- Nem todos os pais são bonzinhos ou realmente fizerem o que era a sua OBRIGAÇÃO de cuidar bem da/do filha/o, grande parte é pai escroto, muitos são ausentes, boa parte bate nos filhos, enfim, com certeza você não pode afirmar que alguém cuidou da filha com tanto carinho sem saber se isso é verdade. E mesmo se ele cuidou muito “bem” dela, ela tem direito de pensar diferente.”

    Pensar diferente não é manifestar ódio contra o pai e “denunciá-lo” em local público por causa de uma OPINIÃO.

    – A divisão entre bom e mau é característica de instituições majoritariamente conservadoras (portanto, de direita) como Igreja Católica, religiões, etc”.

    Então pq vcs se importam em combater algo, se são niilistas ?
    A questão é a capacidade de notar nuances e a falta de tolerância para com idéias diferentes, apesar do discurso.Tente elogiar As Ideias Conservadoras de J.P. Coutinho num DCE de esquerda para ver.

    “Enfim, seu texto e os autores citados não retratam a realidade e não conhecem NADA sobre a esquerda. Há braços.”

    E vc sabe mt, né?Hum…

    • Leo

      Primeiramente, agradeço o debate sem ofensas diretas.

      A maioria das questões que você levantou eu já respondi em outros comentários, desculpa te pedir, mas dá uma procurada aqui que você acha.

      Sobre defender um governo, as pautas são claras, algumas poucas pessoas querem “Volta Dilma”, a maioria fala as pautas que mencionei. Mas o mote central do ato é CONTRA um governo. Eu por exemplo não defendo o governo Dilma e estava nos atos. Precisamos ser precisos na análise. Ela pode até defender o governo, mas isso não pode ser um pressuposto. Sou frontalmente contra o governo Temer.

      Nem toda juventude periférica é pobre. Nem todo pobre é periférico. Mas concordo: sendo jovem, periferico, homem, mulher, branco ou preto, em qualquer desses casos o pobre se fode bem mais. Mas dá pra entender muito bem quando eu disse assassinato da juventude periférica. Tenho conhecimento sim desses números de assassinatos. Pra mim, 8 mil é uma parte bem considerável de 60 mil. Usei o termo juventude periférica pois é esse é o termo que os grupos organizados da perifeira usa. E, perceba, é um termo técnico. Juventude que vive na periferia. Não tem muita questão aqui.

      Feminicídio existe sim. Pq vc diz que não existe?

      Sobre os pais, eu conheço muitos casos em que o ódio é bastante justificável. Mas quem diz publicamente que odeia o pai não está feliz com isso. Mas não acho que a menina que levantou o cartaz dizendo que o pai é de direita odeia ele.

      Meu pai é extremamente neoliberal e eu amo ele e me sinto muito a
      vontade pra dizer (pros outros) que discordo dele. Já pra dizer isso pra
      ele sem que ele me desrespeitasse foi um processo muito longo, mas hoje
      já consigo, mesmo que ele fique resmungando, só não quero perder o
      diálogo com ele ou que eu tenha que me fingir de outra pessoa que não
      sou.

      Eu não sou niilista, eu só não acho que dividir o mundo inteiro entre bem e mal (principalmente as pessoas e suas supostas “essências”) é um bom caminho para resolvermos as questões práticas que se apresentam para nós. Acho sim que devemos identificar problemas e combatê-los através do entendimento. Quem erra na análise, erra na ação. E acho bastante simplista analisar as coisas apenas como boas ou más. E a direita evidentemente faz isso. Esse próprio texto é prova dessa demonização da esquerda.

      Eu conheço a esquerda por dentro e por estudos historiográficos e jornalísticos. Tenho muitas críticas, muitas mesmo. Mas não são essas de quem só vê de fora e nunca tentou se organizar coletivamente pra lidar com os graves problemas do nosso país e da nossa sociedade. Eu acho (MINHA OPINIÃO) que o liberalismo não faz isso, nunca existiu um movimento liberal popular. O conservadorismo, pior ainda, só se organiza para manter as coisas como estão.

      Há braços e FORA TEMER!

  • Alan

    “Por que fugiu da Assembleia?”

    A resposta curta é: Não “fugi”, porque ela não me seguiu, não faz sentido dizer isto. O correto é não VOU, porque não reconheço assembléias estudantis. O que elas votam não significa nada pois não são entidades representativas de alunos e tampouco tem autoridade sobre estes. Minha assembleia sou eu e, em alguns casos, minha familia.

    “Olha, nada como falar e fazer em prol do coletivo, em coletividade.”

    Deve ser legal mesmo, afinal eles pareciam estar se divertindo muito com a bagunça e sentindo-se bem superiores moralmente. Mas boa parte da “coletividade” que eles diziam defender não estava tão feliz assim, estava p… da vida por perder aulas e, em alguns casos, quando também houve invasão da Reitoria, por perder bolsas que ajudavam a manter alunos que não têm condições financeiras. E no final qual o resultado? Nenhum, a não ser a criação de novos monstrinhos políticos pra soltar no mundo gritando contra tudo e não produzindo nada para o seu semelhante.

    Quem faz algo pelo coletivo é aquele que faz bem o seu trabalho, é honesto e ético em seu comportamento e age com respeito, mesmo aos desconhecidos. Esse povo que se proclama defensor do bem e vive pra isso só está tentando achar uma teta e pagar de boa alma, pra dizer sem rodeios. São as Perpétuas do Sec. XXI, só atualizaram as vestimentas e os pecados que apontam nos outros para demonstrar sua “superioridade moral”.

    • Gato Preto

      Hahahaha… Destruiu a esquerdista acima… Parabéns. Agora nunca mais a imbecil posta aqui.

    • Jorge Aguiar

      Sua assembléia é você? Olha aí o caráter individualista do liberalismo. Já pensou se todo mundo pensasse assim? Com certeza haveria um, mais esperto que, em nome de Deus ou alguma outra coisa, tomaria o poder, impondo o seu pensamento e, para ser sincero, é muito melhor agir de acordo com a coletivideade, das decisões das assembbléias, a ter que me submeter a psicopatas que acham que se bastam a si ppróprios, gerando “maravilhas” como o Hitler e seu Nazismo. É preferível submeter–me à vontade de um grupo, um colegiado, a me submeter a um único louco, que se acha “iluminado”.

  • Macaco Zé

    Sublime, Maestro!

  • Macaco Zé

    hi hi hi hi hi hi….tu deu uma surra de argumentos no guri…..hi hi hi hi….SUBLIME!

  • Helber Lessa

    Educação em casa pode “doutrinar” contra a vertente política que o pai queira.
    O que não pode é um ser iluminado, brilhando de sabedoria, como vc, decidir como devem ser os valores que os pais transmitem aos filhos.

  • Helber Lessa

    A direita política.

  • o que pode ser provas de que não é real, pois ela não estaria em condições de tirar selfie.
    pela quantidade de sangue e pelo olho, a dor seria excruciante, a pessoa provavelmente estaria no chão berrando e pedindo socorro.

  • reveja os vídeos daquela manifestação… eles não “jogam o morteiro no chão”, eles posicionam na direção de manifestantes, que eles queriam “matar” alguém, talvez não, mas usaram uma tática bem comum vista em black blocs. Alguém de dentro cria uma confusão e culpa a polícia. Da para ver no vídeo exatamente isso, eles colocam o rojão na direção dos manifestantes, esperando que cause confusão aos manifestantes acharem que estão sendo atacados pela polícia.
    Apesar de talvez não quererem matar alguém, eles estavam dispostos a ferir alguém em nome do movimento.

  • Cálcio Heavy Metal

    Interessante é que isso que você tenta defender é justamento o que o PT e outros partidos da mesma laia não faz e nunca fez. Não dando esmola (como o bolsa esmola) que vai fazer um pobre sair da pobreza. Usar dados dos beneficiários do bolsa esmola para mascarar desemprego e que eles saíram da miséria é mt fácil. Você Sabia q usam esses dados para mascarar o desemprego no Pais? É pelo visto não.

    Conhece o famoso provérbio Chines “Dê um peixe a um homem e você o alimentará por um dia. Ensine-o a pescar e você o alimentará por toda a vida.”? É o que esses bolsas esmolas fazem. Só dá o peixe, mas ñ ensina pescar.

    O Governo não tem que dar bolsa esmola (não para essa qt infinita de pessoas) tem q dar educação, digo educação de verdade, para que a geração seguinte seja melhor e a seguinte melhor ainda. Esses filhos da primeira geração irão ajudar os pais aí a coisa melhora de verdade.

    • Gato Preto

      Não adianta discutir com esquerdista acéfalo, é melhor discutir com um jumento de quatro patas, vc pode até conseguir ensinar alguma coisa pra ele. Pro esquerdista não.

      • Mateus da silva

        Lembra da “história” do jogar xadrez com um pombo ?

      • Caio Carvalho Martins

        Fiquei imaginando um jumento de 3 patas. Deve ser complicado pra ele né? kkkk

    • Leo

      Cara, não sei se você sabe, para ganhar Bolsa-família é obrigatório que o(s) filho(s) esteja(m) matriculado(s) na escola. Mas realmente, existem fraudes no Bolsa-família e isso deve ser corrigido e a educação tá uma bosta (hierárquica, que só ensina a decorar e obedecer, e não a pensar).

  • Rodrigo

    Opa! Temos um exemplo vivo para estudo.

  • Juliana Amato

    Perobo! fazia tanto tempo que não ouvia essa palavra! hahaha

  • Pingback: Samaúma Online()

  • Rod

    Parabéns! Veja o nível dos teus interlocutores. E vêm falar de lavagem cerebral. Tá “serto”!

  • Super Suporte

    existe a esquerda e a realidade.

    A realidade é que tudo isso *ainda* acontece (homofobia, machismo e tal e tal)
    A esquerda é essa galera q acha q pode salvar o mundo e não vai

  • Vera Garcia

    Gostei muito, seu texto está ecoando em vários site, isso é muito bom para os pais e outros com interesse em ler. Adorei as dicas de livros, pretendo adquirir alguns.

  • Rodrigo Ribeiro

    Despotismo retórico em plena ação:

    “[Ele] leva/usa à profecia em proveito próprio e a justificativas para todos os tipos de obscenidades. Ele oculta o mal por trás de muralhas de hipocrisia, que são a prova (imunes) de qualquer argumento que possa ser apresentado contra o mal. Ele se alimenta de significados deliberadamente distorcidos para desacreditar a oposição. Isso conduz diretamente à hipocrisia, que é sempre revelada pela diferença entre ações e explicações. Elas nunca concordam. E no final ele governa pela culpa, pois a hipocrisia traz a caça às bruxas e a exigência de bodes expiatórios.” – Frank Herbert.

    A religião sempre conduz ao despotismo retórico. Essas mulheres fanáticas estão aí para provar isso. Militantes mortadelas, idem.

    Precisamos parar de encarar o comunismo como ideologia política. E passar à encará-lo como uma religião. Uma teocracia, enfim!

    • Leo

      talvez se encarassem como religião teria muito mais seguidores…

    • Tom Garcia

      É, deixa o PT virar Igreja e você vai ver o mal que fará pra eles ficarem isentos de Impostos e poderem acusar todo mundo q discorde deles de intolerante religioso.

      O que a gente devia fazer era considerar toda religião ideologia política. Porque é o que realmente são. E tirar os privilégios de que gozam hoje em dia.

  • lucianadrs

    Nossa, descobriram nossa ~CEITA~ Meu deus, vamos mudar o plano kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Maurício

    Pobre anjo. Todos esses slogans vieram do PT e seus ideólogos. É esse tipo de gente que credita que PSOL foi oposição. Que UNE, CUT, MST, MTST não são geridos pelas mesmas cabeças, financiados pelos mesmos meios. Que movimentos negro, LGBT, feminista, realmente se preocupam com suas causas. Esse texto te descreve de cabo à rabo.

    • Leo

      Ah, lógico, quem se preocupa com essas causas é você e a direita! Super engajados nesses temas! #sqn

  • EXCELENTE TEXTO! PARABÉNS CLARO E CONCISO! SEJAMOS LÚCIDOS E COGNITIVOS

  • Vanessa

    Sim, você é a prova viva que a lavagem cerebral funcionou, já que a esquerda é tudo isso e até pior do que o autor relata

  • GEM

    “Parei no segundo parágrafo”, isso só mostra que o texto tem coerência..abaixo parte do que você não leu…

    1. O controle do pensamento

    Não se lê ou estuda material contrário ao grupo. Não se fala sobre determinados assuntos, não se usa determinadas palavras. Exatamente como ocorre nas universidades brasileiras, na mídia e nos meios culturais. Pode haver isolamento físico e censura.

  • Luiza Duarte

    Melhor artigo, simplesmente amei. Estou pensando em imprimi-lo e distribui-lo para meus colegas de curso de Direito. Só me falta coragem! ahahahah

    Obrigada, muito obrigada, Flávio.

    • Reginaldo

      Faça isso mesmo, Luiza. Mesmo que possa parecer pouco, faça. As pequenas atitudes, quando somadas as de outros, fazem com que surta um efeito e resultados maiores do que poderíamos imaginar. Afinal, precisamos mesmo lutar contra esta esquerda apodrecida que está sujando nosso país, como já sujou outras partes do mundo.

    • Mateus da silva

      Não tema. Imprima sim.

  • Pat Kovacs

    Assim como Edgard Buganemi, também vi e vejo casos tanto entre aqueles que acham estar à margem esquerda ou direita desse rio caudaloso. Bom saber qual o processo empregado e como identificá-lo de imediato.
    Grata pelo artigo, Maestro.

  • Ahyr Maya Filho

    Parabéns pelo excelente texto. Sou pai de duas meninas, uma de 3 e outra de 1 ano de idade e já estou bastante preocupado com que tipo de educação elas terão e qual o tipo de problema teremos que lidar. Eu acredito que é necessário muito diálogo entre os pais e filhos e uma segunda escola dentro de casa para desmitificar as asneiras empurradas goela abaixo pelos doutrinadores.

    • Reginaldo

      Parabéns, Ahyr. Proteja suas filhas das mazelas da esquerda, mesmo que muitos e muitas sejam cegos os suficiente para defender e proteger o próprio carrasco. Esquerda é um câncer a ser extirpado!

      • Mateus da silva

        Mas as vezes o cancêr extirpado volta.

  • Stephano

    Excelente texto. Também fui aluno de universidade federal, e digo: o pensamento de esquerda é único nestes locais. Qualquer tentativa de pensar diferente é o que chamo de “suicídio acadêmico”.
    Além das escolas e universidades, a doutrinação também é feita por outra via: SINDICATOS.

  • Lucília Simões

    Fascinante e aterrorizante. Algo que todo mundo deve ler e se precaver.

  • Alan

    Apareceu um ótimo espécime aqui para ser estudado. Aposto que ele acha que sabe mais que todos aqui, mesmo aqueles que vieram de onde ele está.

    Ele diz que o comportamento autoritário dos coletivos esquerdistas não é grave pq, afinal, criminosos cometem crimes maiores por aí. “Chico picadinho matava pessoas e esquartejava, logo posso interromper uma aula pq não gosto do que o professor diz que tá blz”. Traduzi pra uma versão mais obviamente errada.

    A gente percebe claramente a dificuldade de entender as categorias a que as coisas pertencem, misturando tudo de maneira que o resultado justifique o dogma pré-estabelecido.

    Várias crenças ficaram claras: nazismo e fascismo são direita, porque sim. Instituições conservadores dividem o mundo entre o bem e o mal, cujos exemplos são Igreja Católica e “religiões”. Essa foi ótima, dá pra ver o repertório da fera.

    Bom, eu gostaria de ve-lo explicar o que é fascismo e pq não é de esquerda, já que supostamente ele sim deve ter pesquisado esta história. Seria divertido vê-lo gaguejando, mas acho que ele não responde mais…

    • Fascismo é terceira via, acopla elementos da esquerda e direita, isso se formos pegar conceitos da época da revolução francesa onde a direita aceitava uma hierarquia e defendia que a mesma não devia ser alterada e a esquerda queria acabar com o status quo em prol de que havia injustiças que deviam ser combatidas.
      Sim, liberais também queriam isso só que diferente da esquerda e direita os liberais tanto criticavam a hierarquia e como ela afetava as liberdades individuais como também criticavam a intervenção do estado que afetava as liberdades economias(diferente da esquerda que não gostava muito disso), tanto que se você pegar os conservadores que eram pró-mercado como Burke vai ver que eles odiavam o liberalismo justamente por causa de que conservadores são diferentes quando se trata de liberdades individuais.
      Agora o significado de esquerda e direita vem sendo mudado a muito tempo, se formos pegar o contexto atual do Brasil e analisar todos os partidos olhando para o contexto da revolução francesa, você vê que até os partidos que são ditos de direita adotam medidas da esquerda.

      • Alan

        concordo com o que você diz, mas discordo em um ponto: o fascismo era visto e reconhecido como esquerda política na sua época, o que, para mim, elimina a ambiguidade da questão. O que eu reconheço como direita é o conservadorismo no sentido clássico. O liberalismo me parece algo híbrido, que nasce com um sentimento semelhante à esquerda revolucionária, de libertar o homem, mas tem algum apreço pela realidade, mantém um pezinho no chão, que é a marca da direita.

        • Leo

          errado, Alan, na sua época eles rejeitavam, no discurso, o espectro esquerda-direita. Mas em suas práticas (e mesmo nos discursos) eram claramente mais simpáticos à direita.

    • Leo

      (vou ARGUMENTAR, sem xingamentos e frases de efeito, que é só o que vocês sabem fazer)

      Comunistas e marxistas eram perseguidos em TODOS os regimes fascistas e no nazismo. Tanto Mussolini quanto Hitler PERSEGUIRAM trabalhadores, sindicalistas e revolucionários de esquerda (POR SEREM DE ESQUERDA), fora que eram inimigos mortais da URSS. Não são poucas as fontes históricas que mostram isso, vá pesquisar.

      Só umas dicas: pesquise os Freikorps (a origem do nazismo), grupo cuja a única atribuição era combater comunistas. O nazismo REJEITAVA a ideia de luta de classes e defendia a propriedade privada. Não tem pra onde. Nazismo era de direita!

      “this
      is the century of authority, a century tending to the ‘right’, a
      Fascist century.” (Benito Mussolini, em A doutrina do Fascismo) http://www.worldfuturefund.org/wffmaster/Reading/Germany/mussolini.htm)
      Tradução: “este é um século da autoridade, um século que tende para a ‘direita’, um século Fascista”

      Na verdade, o Fascismo nega o espectro esquerda-direita, dando a liberdade de pegar elementos dos dois. Mas o fato é que eles perseguia a esquerda, não a direita. Era evidentemente mais simpático à direita do que à esquerda.

      Seria legal que você comentasse isso depois de pesquisar.

      • Alan

        Ok, Leo. Estou surpreso que tenha voltado, julguei-te mal. Peço desculpas por isto.

        Vamos lá.

        Sim, comunistas e marxistas eram perseguidos por fascistas e nazistas. Mas isto não significa que as ideias sejam opostas. O conteúdo é mais semelhante do que diferente, mas se odiavam pq eram ideologias concorrentes que tinham o mesmo objetivo: instaurar um poder totalitário onde Estado e Sociedade não se diferenciam.

        Esquerda não é só Marxismo, ou não poderíamos dizer que a Revolução Francesa foi um movimento de esquerda. Esquerda é Coletivismo, a ideia de que uma pessoa não é uma pessoa, é uma representante de um grupo a que pertence. A partir daí, o pensamento de esquerda passa a entender o mundo a partir dessas categorias em que classifica as pessoas, em grupo. No caso da esquerda marxista, a categoria é a “classe”. No caso da esquerda do tipo nazi-fascista é a raça, identidade nacional ou etnia. A esquerda moderna não é mais marxista, os grupos agora em que a sociedade é dividida são as chamadas minorias. Mas sempre a ideia é de gerar ressentimentos de um grupo contra outro para fomentar a “luta”. Mesmo a questão da propriedade privada já foi abandonada em grande parte pela esquerda mundial. A questão agora é controle, não posse. Só os mais radicais falam nisso ainda.

        Certamente tem gente aqui com melhores referências para te dar, mas um livro interessante, que contém muitos comentários de intelectuais feitos à época sobre o nazi-fascismo, é “Intelectuais e Sociedade” de Thomas Sowell.

        Existem interpretações que consideram o Nazi-fascismo a “extrema-direita”, mas note que se assemelha menos à direita (sem o extrema, e.g., Thatcher, Reagan) do que ao Stalinismo, por exemplo, com sua centralização do poder nas mãos do Partido. Por isto não concordo com esta distinção, mas é um assunto a se debater.

        As principais distinções entre o Comunismo e o Fascismo são duas, ao meu ver:

        i) o primeiro toma posse de toda produção industrial e agricola. O segundo apenas controla, regulando firmemente tanto empresas, do lado da produção, quanto trabalhadores do lado do sindicato. Essa solução de controle sem posse é tão boa para o Governo que a esquerda mundial tem adotado nos dias de hoje, vide China, Brasil, Argentina…

        O inimigo comum de todos estes são os conservadores e os liberais, pois ambos defendem formas de organização social ascendente, advindas da livre iniciativa dos indivíduos. Embora diferentes, liberais e conservadores desconfiam do poder estatal em comparação com a iniciativa governamental. Isto é o que eu entendo como Direita ao longo da história.

        Mas é claro que vc pode discordar de tudo o que eu digo. Só que para fazer isto de maneira convincente, me responda uma pergunta crucial: Getúlio Vargas, era de direita ou de esquerda?

      • Alan

        Droga, esqueci de escrever o segundo ponto.

        2) O Comunismo tinha o objetivo de espalhar pelo mundo. O nazi-fascismo se contenta em dominar uma nação e expandi-la, mas não tinha pretensões de se propagar pelo resto do mundo.

      • Rafael Guimarães

        Seu argumento prova demais. O regime soviético e o chinês mataram comunistas literalmente aos milhares. Se perseguir comunistas retira o caráter comunista de um regime, então provavelmente Lênin e Stalin eram conservadores cristãos.

      • Karine Matias

        O PCC e Família do Norte também brigam e se matam. Mas são iguais, não? Mesmo objetivo? Mesmo “ofício”?

  • Gustavo Borges

    O que aconteceria se um professor imprimisse esse texto e passasse para seus alunos? Ele provavelmente seria expulso da escola.

  • jack

    Sobre o caso da garota que perdeu um olho num protesto, parece que é fake: https://twitter.com/aeciofaraujo/status/773873602248663040

  • Jorge Tadeu

    Parabéns, Texto muito bom!

  • Edgard Buganemi Botelho

    Já vi casos desses nos dois lados da moeda,na mesma proporção de gravidade. O extremismo pega fácil os que têm “certezas absolutas”.

    • Samantha Vieira

      Eu fiquei até preocupada quando falou de percings, tatuagens e cabelo bagunçado, já que eu possuo os três, mas sempre tenho discussões com feministas, e sempre questiono quem acredita cegamnte em socialismo hahaha

      Eu não me sinto representada por nenhum dos lados. Vejo um padrão de comportamento de pessoas mais conservadores, assim como vejo padrão de comportamento do lado esquerdo, e ambos não questionam por que agem daquela forma.

      • Mateus da silva

        Você têm problemas com padrões ? Agir na sociedade sempre com bom-senso, justiça, humildade, moderação e democraticamente é um padrão ruim pra vc ?

        • Leo

          aqui nessa discussão você pode ver claros exemplos da humildade da direita! #sqn

          • Vander Lei

            E vc não tem argumentos. Só pode ser.

          • Vander Lei

            Cara, não sei se você sabe, para ganhar Bolsa-família é obrigatório que o(s) filho(s) esteja(m) matriculado(s) na escola. Mas realmente, existem fraudes no Bolsa-família e isso deve ser corrigido e a educação tá uma bosta (hierárquica, que só ensina a decorar e obedecer, e não a pensar).

    • fachetti

      Mostre então casos de doutrinação de direita, casos de lobotomização e violência cometidos por pessoas de extrema direita, que se comportam como um culto e saem por ai fazendo baderna, quebrando tudo…na teoria suas palavras fazem todo o sentido, o problema é que na prática tu não acha esse tal movimento de extrema direita, ta mais pra lenda urbana…em geral as pessoas de direita trabalham, estão cuidando da própria vida e não tem muito tempo pra querer “mudar o mundo” não, isso é uma tremenda desvantagem na verdade, a direita não tem tempo pra ficar militando, isso é coisa de vagabundo que é o que mais tem na esquerda…

    • Diogo

      A esquerdista aí nem consegue interpretar o que escreveram pra ela e responde “cadê o senso de humanidade?” Minha querida, preste atenção. Ninguém aqui é contra o ser humano e os bons valores. Apenas dizem em uníssono que as táticas esquerdista usam estes valores apenas de PRETEXTO para conseguir poder. Entendeu? Não querem te ajudar, querem PODER. Quando chegarem lá, vc estará f…

  • Marcelo Abdul

    Parabéns pelo artigo Tom Martins. Vou repassar pois esses fatos merecem uma reflexão em nossa sociedade. Já fui um jovem de esquerda há 30 anos. Fui meio que doutrinado como esses jovens de hoje. Porém, a diferença daquela época é que não conhecíamos o PT no poder e tínhamos saído de uma ditadura de 20 anos. Fora, que não havia o mesmo volume de informação que temos hoje. Eram tempos mais ingênuos eu diria. Porém, quando se está dentro da máquina você pode perceber o quanto a esquerda pode ser nociva e calamitosa para o mundo e quando percebi isso deixei esses energúmenos de lado. Retomei o convívio com a minha família que já estava se deteriorando e hoje sou um árduo defensor do liberalismo e da economia de mercado. Fico triste ao constatar apesar de todo o enorme fluxo de informação que o jovem tem hoje em dia, ele parece ainda mais radical e insano que os mancebos do passado. Nem dá para comparar os protestos dos estudantes “cara pintadas” em 1992 com a violência dos grupos black blocks de hoje. Repito: é necessário uma grande reflexão de nossa sociedade e também informação para mostrar a esses rapazes e moças, que sempre existe o outro lado. Fator fundamental para a fundamentação de uma democracia.

  • DRIVEwiLzZz .

    Que text, meus amigos. QUE TEXTO!

    SENSACIONAL!

  • CeciBon

    Essa lavagem cerebral nas faculdades – qualquer uma – é um fato. Minha sobrinha tem 2 amigas que depois que entraram na faculdade (humanas usp – um clássico) e arquitetura mackenzie viraram completos robôs repetindo esses mantras esquerdistas. Pararam de pensar como indivíduos (um pouco difícil enquanto adolescentes) e passaram a fazer parte do rebanho esquerdista, politicamente correto e contra tudo o que está aí. O engraçado é que nenhum deles viveu na ditadura (como eu) mas se sentem oprimidos… Estranho mundo que vivemos!

    • Wilson Quinette

      Ótimo texto, belos comentários e mais a impagável participação da Bernardete Baronti, exemplificando a todos aqui o tipo de pessoa a que o texto se refere. Fantástico.

    • Leo

      nenhum esquerdista viveu na ditadura? oi? muitos foram assassinados e torturados, é verdade, mas tem um monte que sobreviveu. parem de falar inverdades

      • Vander Lei

        Na moral, qual a brisa de vocês de ficar confundindo as pessoas com mentiras e desonestidades?

      • Vander Lei

        aqui nessa discussão você pode ver claros exemplos da humildade da esquerda! #sqn

  • Claudio Hess

    ao invés da tarja preta, um spray pompom vermelinho nas partes pudendas das moçoilas ficou deveras mui sexy mesmo! ai ai!

  • Ricardo Bordin

    Velho, fiquei até emocionado nos últimos parágrafos: eu não tenho filhos ainda, mas deve ser muito doloroso para um pai ou uma mãe ver seu filho virar idiota útil na mão desses vagabundos. Como diz o rapaz do perfil “EditoraHumanas”, é pra chorar no banho por horas e horas. Parabéns. Nem vale a pena tecer comentários sobre teu artigo, tal o alcance e a profundidade que lograstes atingir. Resta apenas compartilhar com o maior número possível de pessoas – especialmente esquerdistas. Abraço e obrigado
    https://bordinburke.wordpress.com/2016/09/08/mais-mulheres-na-politica-basta-elas-quererem/

  • Juliana Amato

    Oi, Tom. Gostei muito do seu texto e vou compartilhar.

    Passei pela FFLCH, Letras, e entendo exatamente do que você está falando aqui — fiz parte do movimento, inclusive. Há uns 2 anos, depois de sair de lá, andei questionando tudo e “vim para o outro lado”, para usar uma expressão clara. Tem sido solitário e difícil muitas vezes ser xingada pelos meus ex colegas, mas agora estou começando a parar de me importar. O curioso — e o melhor — é que hoje em dia me sinto muito mais capaz de argumentar e defender meus pontos de vista, além de compreender as coisas melhor. Na minha época de Usp, não sabia discutir política.

    Haha, desabafei. Obrigada mais uma vez pelo texto!

    • Ahyr Maya Filho

      Parabéns por relatar sua experiência.

    • Secret Face

      pessoas de antigamente, quando voce muda eles se tornam uma praga. começam a perseguir, e ate planejar contra. passei e ainda passo muito por isso. isos se chama inveja, a escoria inveja mesmo quando a gente muda.

    • Julio Alacarte

      Engraçado como as pessoas que sempre dizem pregar a tolerância se tornam extremamente intolerantes quando descobrem que você não concorda mais com elas não é mesmo?
      “A esquerda é a favor da tolerância. Você é de esquerda?”. Não sou.
      “Saia daqui fascista, racista, elitista, xenófobo, islamofóbico, homofóbico, racista, machista…”

  • Alan

    Grande texto!

    Deixo aqui um relato pessoal para contribuir. Não é fanfic!

    Numa das greves de alunos da USP, em 2013, o Instituto de Física, onde eu trabalhava, foi bloqueado por um “cadeiraço”, um piquete feito com cadeiras das salas de aulas. Por acaso, eu desci do meu escritório enquanto alguns estudantes montavam o bloqueio e fiquei parado assistindo à cena. Um deles, bem jovem, aparentava no máximo 20 anos, se aproximou e me perguntou se eu conhecia os objetivos daquela ação e, caso não, estava disposto a me esclarecer. Respondi algo como: “pelo método escolhido, desconfio que coisa boa não é”. Ele disse que era contra os cortes de gastos promovidos pela reitoria, que afetaram bolsas para alunos e etc. Perguntei-lhe se os colegas estudantes dele que iriam ficar sem aulas eram responsáveis pelos cortes. Ele concordou que não. Depois perguntei quem sofria mais com isso, os alunos ou o reitor? Ele concordou, gaguejando um pouco, que eram os alunos. Finalmente, perguntei algo como:”portanto, não faz sentido prejudicar os alunos em nome de não prejudicar os alunos, certo? Pra que continuar?”
    Ele me respondeu, nestas palavras, recuperando a segurança :”por que você não vem dizer isso em assembléia?”
    Isto me deixou desconcertado, nunca tinha visto uma mente se portar de maneira tão coletivizada, incapaz de julgar nada por sua própria conta. Eu até disse que já estava dizendo a ele, e cabia a ele decidir, já que não havia conseguido justificar a ação diante das minhas perguntas. Mas ele insistiu que precisava levar o assunto a votação e acabei desistindo em face da minha perplexidade.
    Lembrei-me de uma cena de Atlas Shrugged quando a protagonista Dagny Taggart, para salvar John Galt, precisa matar um guarda mas, por este se mostrar incapaz de tomar uma decisão simples sozinho, sem aprovação de superiores, ela não sente que matou um ser humano.

    • Julio Alacarte

      Você está utilizando um conceito que é pouco conhecido pelos esquerdistas juvenis: lógica.
      A lógica requer a utilização de instâncias superiores de cognição, cada vez mais raras entre estes indivíduos, que são emoção pura. Os esquerdistas mais velhos, por outro lado, sabem dessa limitação orgânica e intelectual dos jovens e usam isso para controla-los por meio de palavras de ordem. Assim, o professor esquerdista veterano fala para o aluno de 18 anos presidente do DCE revoltado coma reitoria: “Na minha época nós tacávamos fogo em pneus na rua para lutar contra a ditadura”. O que o estudante, movido pela emoção e uma lógica rudimentar, interpreta? “O meu ídolo lutou contra a opressão quando era jovem, eu vou lutar contra a opressão também”. Ele não analisa a forma, o conteúdo e a eficácia do protesto em si (queimar pneus ou empilhar cadeiras não vai fazer absolutamente nada contra a ditadura, apenas vai atrapalhar quem ali transita), apenas se preocupa, de forma robótica, com a execução do plano, ainda que evidentemente seu efeito seja nulo.

  • Pats Breitner

    Há pouco mais de 2 horas, assisti um video que viralizou no fb, de um pobre diabo desse citado acima, contra um tenente coronel. A petulancia, arrogancia, soberba e incapacidade emocional e intelectual do garoto é assombrosa.

    O artigo veio bem a calhar, muito bem elaborado e escrito. Parabéns!

  • Pedro Henrique Caldas
  • Flavia Tavares

    Drogas!

  • WUNDERBAR!!!

  • Jessé Arfaxade

    Ótimo texto.

  • Mauricio Mallet

    Excelente artigo. Denúncia urgente do avanço totalitário no Brasil. Abrangente e bem explicado. Grande apresentação de bibliografia. Parabéns!!!

  • Hawk

    Maestro uma coisa posso te dizer como ex-esquerdista, a maior parte dessa lavagem acontece em jovens ricos e de classe média alta. Eles se sentem tão culpados por ter tudo do bom é do melhor que entram de cabeça nesses discursos de um mundo melhor onde todos são iguais. Outros acham que o povo não sabe o que é melhor pra ele e por isso acham que alguém deve decidir por eles tudo o que eles devem ou não fazer e por fim aqueles que são vadios mesmo e ao invés de trabalhar preferem entregar seu futuro na mão de quem pode sustenta-los mesmo que seja com um salário-miséria, desde que sobre pra festa e pra maconha está bom.

    • Secret Face

      mas se parar pra pensar. sao eles que controlam a sociedade, entao nao sofrem lavagem cerebral, fazem lavagem cerebral. esses jovens sao os futuros maçons, políticos,coisas do tipo

  • Donizete

    O Melhor artigo que li nos últimos tempos. Parabéns! Pena que não estão deixando compartilhar….

  • Kal-el Saadjian Damasceno

    Belo texto!

  • Excelente texto do Tom. Estou feliz com a minha contribuição mensal ao Senso Incomum, o portal realmente tem me surpreendido.

Sem mais artigos