ancorando

Digite para buscar

Esportes

As mais belas (e as mais tristes) homenagens à Chapecoense

As homenagens mais belas da internet uniram todos os times em saudação à Chapecoense. E de Folha à Catraca Livre, houve cenas lamentáveis.

Avatar
Compartilhar
Homenagem dos clubes brasileiros à Chapecoense. #ForçaChape

Vimos as mais belas homenagens neste dia de luto após o horrível acidente que vitimou quase a totalidade do time da Chapecoense na Colômbia, quando iria disputar a final da Copa Sul Americana contra o Atlético Nacional de Medellín.

Se o futebol divide paixões pelo país e o clima político acirrado é geralmente comparado a um “Fla-Flu”, pela rivalidade irracional, os times brasileiros fizeram uma bela homenagem não ensaiada à Chapecoense, ao trocarem seus escudos, brasões, símbolos e insígnias nas redes sociais pelo símbolo da Chapecoense.

O Atlético Nacional de Mendelín, com quem a Chapecoense disputaria da final da Copa Sul-Americana, abriu mão do título para sagrar a Chapecoense campeã, o que foi confirmado pela CONMEBOL.

O Grêmio, que disputaria a final da Copa do Brasil neste fim de semana, terá seu final adiado e seu vice-presidente, junto com o arqui-rival Internacional, sugeriu emprestar jogadores sem custo para a Chapecoense. Sua torcida também sugere que o tricolor gaúcho jogue de Verde em homenagem.

https://twitter.com/Andreg1903/status/803619821745278976

Os rivais Criciúma, Avaí, além do fundo com “Força, Chape”, também vestiram o uniforme da Chapecoense:

Rogério Ceni, que seria empossado hoje como novo técnico do São Paulo, também teve sua cerimônia adiada.

O Palmeiras, contra quem a equipe realizou seu último jogo, e que se sagrou Campeão Brasileiro após o jogo com a equipe da Chapecoense, também expressou seu pesar, quando o time deveria estar comemorando a esperada vitória:

O Corinthians, mesmo com a rivalidade com o Palmeiras, se vestiu de verde:

Corinthians de verde - #ForçaChape

Vários times de todos os estados do Brasil fizeram suas homenagens:

Não foram apenas os times brasileiros que expressaram solidariedade com a Chapecoense:

 

Mesmo a NFL prestou homenagens:

Não foram apenas clubes e jogadores:

https://twitter.com/LewisHamilton/status/803630971257896961

Yzzer faz homenagem à Chapecoense - #ForçaChape!

Catraca Livre e os piores

Não foi apenas um dia de gestos bonitos pela tristeza da perda do time da Chapecoense. Algumas atitudes jornalísticas e de grupos de internet exageraram nas cenas lamentáveis.

O UOL, no mesmíssimo minuto, postou dois tweets contraditórios:

O coletivo feminista Não Me Kahlo postou (e posteriormente apagou) um tweet em que desprezava os homens que morreram na tragédia:

https://twitter.com/mareparts/status/803618946825863172

É o tipo de pensamento que gera isso:

https://twitter.com/vuintrieri/status/803639936192647170

O Brasil 247, de Leonardo Attuch, fez uma manchete de gosto duvidoso para tentar culpar a ANAC por não usar um avião venezuelano:

A própria Folha, do grupo UOL, não respeitou o belo momento que uniu o Brasil e preferiu focar em salários:

Como principal jornal do “Fora Temer” no Brasil, também soltou uma manchete em pleno momento de luto quando da descoberta do acidente para dar a entender que o presidente Michel Temer teria cometido uma gafe horrenda, que na verdade deve ser imputada à própria Folha de S. Paulo:

A militância de esquerda não respeitou este momento:

https://twitter.com/ibrags/status/803589860409901056

Que o diga José de Abreu, o ator que cuspiu em uma mulher dizendo que nunca “fez Rouanet” e terá de devolver 300 mil aos cofres públicos graças à mesma Lei Rouanet:

Mas nada foi tão grandioso quanto o Catraca Livre, página que foi perdendo seguidores durante toda a manhã. O site de extrema-esquerda, patrocinado por diversas empresas que precisam ser acionadas por seus clientes para retirar o dinheiro do site, e que se define como um site para se viver com menos dinheiro, ficou entre os primeiros lugares nos Trending Topics do Twitter (abaixo de #ForçaChape) por usar a tragédia para ganhar alguns cliques (e dinheiro). Perdeu mais de 60 mil curtidas apenas em uma hora:

https://twitter.com/ajulysantos/status/803642550175166464

https://twitter.com/reaconaria/status/803577693967097860?ref_src=twsrc%5Etfw

Conforme o site Reaçonaria compilou, foram diversas postagens tentando ganhar cliques desrespeitando vidas humanas, que o Catraca Livre trata apenas como votos:

https://twitter.com/reaconaria/status/803572208027271168

Como se não bastasse, o Estadão aproveitou para pedir seu marketing, após o Catraca Livre usar o seu conteúdo:

Estadão pede marketing ao Catraca Livre

https://twitter.com/bqeg/status/803567443302055936

https://twitter.com/flaviomorgen/status/803599547003994114

Um “Denunciaço” em massa já foi programado (é preciso organização e horário) para a página ser retirada do ar. Em tempos de #FakeNews, apenas isso pode restabelecer alguma normalidade na internet.

Ficam aqui nossas homenagens, orações e pesar para a Chapecoense, sua equipe, seus familiares e a todos afetados ainda mais diretamente por essa tragédia.

—————

Não perca o artigo exclusivo para nossos patronos. Basta contribuir no Patreon. Siga no Facebook e no Twitter: @sensoinc

Assuntos:
Avatar
Flavio Morgenstern

Flavio Morgenstern é escritor, analista político, palestrante e tradutor. Seu trabalho tem foco nas relações entre linguagem e poder e em construções de narrativas. É autor do livro "Por trás da máscara: do passe livre aos black blocs" (ed. Record).

  • 1