Para a imprensa, Obama beira a perfeição, deixando como legado um mundo feliz e esperançoso. Por que então a América votou no outro cara?

Guten Morgen, Brasilien! Estamos aqui de volta depois de umas merecidas férias de nosso podcast – nossa querida Panela Produtora merecia descansar depois do seu maravilhoso trabalho em 2016. E voltamos para comentar o grande fim de 2016: o legado de Barack Obama.

Sua gestão foi chamada de “scandal-free”, e a imprensa brasileira repetiu o dog whistle, afiançando que Obama passou 8 anos na Casa Branca tendo como legado uma administração completamente lisa, sem nenhum escândalo.

Será que este é mesmo o legado do primeiro presidente negro da história americana? É possível mesmo crer que sua gestão foram 8 anos do mais bem aventurado bom mocismo mundial, e que o mundo “sentirá falta de um estadista”, como pontuou uma grande revista brasileira?

Definitivamente, a revista não diria isso a algumas centenas de mexicanos, a iemenitas sob drones, a alguém trabalhando no serviço de operações secretas na Líbia.

Neste episódio do Guten Morgen, você poderá conhecer um Barack Obama que poucos brasileiros conhecem. Um verdadeiro passeio pelos escândalos de sua gestão – escândalos que, por não serem noticiados por uma mídia obamista, podem ser tratados como não-existentes por esta mesma mídia. O famoso ad ignorantiam: o que eu não conheço, não existe. Com a diferença de que a ignorância da mídia obamista, que tanto edulcora seu legado, é deliberada: seus escândalos também envolvem a própria mídia.

A começar pela estranha questão de sua certidão de nascimento, cuja investigação foi reaberta ainda antes de Donald Trump assumir a Casa Branca. Vamos direto a seu primeiro escândalo como presidente: a operação Fast and Furious, em que armas dadas pelos pagadores de impostos americanos foram parar nas mãos de cartéis mexicanos, causando a morte de cerca de 300 mexicanos, além de um americano. As armas foram parar nas mãos de terroristas, e a operação Fast and Furious ainda foi explorada politicamente.

E o escândalo do IRS, quando Obama perseguiu adversários políticos usando a Receita Federal americana? A perseguição atingiu até um de seus principais adversários, o cineasta Dinesh D’Souza, que foi parar na cadeia por dar mais dinheiro do que o permitido em uma doação de campanha, deixando um legado de silêncio sobre seus desmandos.

Andam dizendo que Donald Trump é uma ameaça à “democracia”? Que tal Barack Obama catalogar jornalistas adversários? E o escândalo da NSA espionando cidadãos, que ainda deixam como legado ao mundo figuras como Edward Snoweden e Julian Assange?

No campo militar, que tal falar do escândalo que foi a troca do soldado Bowe Bergdahl por 5 terroristas em Guantánamo? E o dinheiro para o Irã em troca de prisioneiros? E por que não falar em Benghazi, quando Obama, tendo Hillary Clinton como Secretária de Estado, ignorou o chamado de um atentado a uma instalação militar americana na Líbia, deixando 4 vidas para trás, criando um sortilégio de mentiras para encobrir o fato que deixaria as falas mais desajustadas de Donald Trump parecendo frases de um filme infantil?

Isso e muito mais nós vamos deslindar nesse Guten Morgen, o podcast do Senso Incomum, para vocês que já não agüentavam mais de saudade. A produção é de Filipe Trielli e David Mazzuca Neto, no estúdio Panela ProdutoraGuten Morgen, Brasilien!

—————

Não perca o artigo exclusivo para nossos patronos. Basta contribuir no Patreon. Siga no Facebook e no Twitter: @sensoinc

  • Ricardo

    Flávio .. se eu não fosse colaborador nato do Instituto Lula .. eu colaboraria com você … excelente trabalho..

  • Felicio Arsuffi

    A história da libertação do desertor me fez pensar no seriado Homeland…

  • Luciano Gomes

    A intenção foi boa, porém a forma de usar politica para forçar planos de saúde a aceitarem o programa foi um tiro que não acertou.

  • Welbert Morrison

    o Dr. Eneas falou sobre George Soros uns 20 anos atrás, na época não existia mídias sociais e suas ideias não foram propagadas… Flávio, o que pode dizer sobre o Dr. Eneas? tenho minha opinião e lamento sua morte (?) ou foi morto? ninguém questionou pois não haviam midias e suas entrevistas não eram divulgadas.. hoje hã um canal compilando todos os vídeos deste gênio visionário…

  • Welbert Morrison

    Todo SER PENSANTE deve ler e ouvir sensoincomum.org.

  • Fernando

    Qual o nome do filme que trata sobre o partido democrata, que foi mencionado no podcast?

    • biancavani

      Hillary’s America – the secrety history of the democratic party

  • Pingback: Desmistificando Obama, o Contador de Histórias – Bom Senso()

  • Grouxo, o Marx que vale!!!

    Excelente podcast Flavio…”desconstruiu” com perfeição o mito Obama
    Só uma errata… Saul Alinsky foi discípulo de Frank “The Enforcer” Nitti, não de Al Caponne
    esse inclusive foi o bastardo que matou o Sean Connery nos ” Os Intocáveis”

  • Grouxo, o Marx que vale!!!

    Excelente podcast,

  • Miles Morales

    Crítica de um ouvinte meio burro. Flávio, teria como deixar o podcast mais dinâmico? Dar uma agilizada no formato? Talvez, dividir em blocos, colocar uma música de fundo. Criar uma leitura de e-mails, fazer uma edição mais curta…não sei, adoro o conteúdo, pode me xingar, mas tem hora que da sono e eu perco o foco. Pior que eu escuto enquanto trabalho, aí já viu. Talvez um co-host pra ficar de escada? Ou uma co-host com voz sexy de veludo. Não é haterismo hein é tentativa de crítica construtiva. Abraço!

  • Pedro Santos

    O mentor do Saul Alinsky foi o Frank Nitti, não o Al Caponni. Mas isso não faz de Alinsky um anjo, pois Nitti era nada mais, nada menos que o carrasco do Caponni.

  • Junior Silva

    kkkkkkkkkkkkkkkkk

    Scandal-free é uma sacanagem inacreditável.

    parabéns pelo trabalho, Flavio!

  • Spotniks e Guten Morgen: Curta antes de ler!

    Só uma detalhe: vermelho lá nos EUa é a cor do Trump!

  • Josias Ramos

    Não consegui achar o Guten Morgen no Stitcher.

  • Phillip Garrard

    Legado de Obama? A mesma qualidade do legado do Lula ai no Brasil. Mentiras, mortes e destruicao com suporte de uma midia totalmente marxista gramscista fascista.

  • Não há como pagar o Patreon com boleto? não tenho cartão crédito.

  • Enéas Carneiro

    Ansioso para ouvir 🙂

  • Guten Morgen, eu sou Josmar França e você não é! aeee saudade!!!

  • Pécheur

    Quando um político diz que vai fazer alguma coisa e não faz, a mídia chama isso de “promessa não cumprida”, exceto se esse político for o Obama. Obama tinha um “sonho”, um sonho que não se realizou por ser avançado demais para esse mundo ainda tão atrasado e obscurantista. Nesse e noutros pontos, a linguagem usada pela mídia sempre foi a de uma agência de propaganda do referido. Chamar isso de jornalismo é uma ofensa aos poucos sobreviventes que ainda fazem jornalismo de verdade.

Sem mais artigos