Colunista da Folha que nunca noticiou recepção de Bolsonaro espalhou que o presidenciável foi "xingado". Mônica Bergamo não falou do estado de embriaguez da "manifestante".

Toda a histeria mundial sobre supostas fake news foi criada ad hoc do dia para a noite para tentar limpar a barra da mídia, que errou vergonhosamente feio a eleição de Donald Trump. O que queriam era controlar a informação da internet: os canais tradicionais da grande e velha mídia seriam “notícia”, enquanto a internet só teria fake news. Malgrado da grande e velha mídia, o termo logo foi aplicado a ela própria. Vide a “notícia” de Mônica Bergamo sobre o presidenciável Jair Bolsonaro no aeroporto.

PUBLICIDADE

A colunista da Folha, sempre tão rigorosamente bem informada sobre os passos de José Dirceu e de alguns petistas, com uma bola de cristal infalível sobre como serão decisões que afetem esta turma, de repente resolveu prestar atenção na recepção que Bolsonaro tem em aeroportos.

De acordo com a manchete de Mônica Bergamo, Bolsonaro se esconde no banheiro para escapar de xingamentos. Uma manchete que, no mínimo, parece negativa ao presidenciável. Parece que o povo não pode vê-lo em público que demonstra seu repúdio pelo presidenciável.

Todavia, basta lembrar de que, pior do que as fake news, são as hidden news: as notícias escondidas pela grande e velha mídia. Como as inúmeras recepções de Bolsonaro em aeroportos, quase diárias, que simplesmente a mídia finge que não acontecem. Mônica Bergamo tinha como subtexto de seu chorume justamente o tanto de notícias que escondeu.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Na verdade, mesmo nessa “notícia” da colunista havia algo a se esconder: os “xingamentos” em questão não eram bem xingamentos, e sim palavras desconexas de uma mulher visivelmente trêbada, que mal conseguia pronunciar as palavras com a boca mole. E que agarrava Bolsonaro, já na área de embarque, gritando frases que nem se completavam.

Pelo que Mônica Bergamo não esperava é que a cena tinha sido filmada justamente por quem estava ao redor de Bolsonaro. E a realidade… bem, não tem nada de muito negativo para Bolsonaro como tentou fazer crer a colunista.

Pelo contrário: vemos uma mulher em nítida inconsciência, e uma colunista política se aproveitando de uma pessoa passando vergonha para tentar dar sua lacrada e fazer uma notícia negativa sobre seu desafeto político.

Em pouco tempo, todos os grandes jornais do país e a blogosfera progressista estavam replicando o que foi aventado por Mônica Bergamo, no máximo amenizando, dizendo que Bolsonaro se envolveu em “discussão” no aeroporto.

O teatrinho teria funcionado e a fake news teria se espalhado… não fosse a internet, que acabou com o monopólio da grande e velha mídia em determinar em quem devemos votar.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Dá pra entender por que a grande e velha mídia está tão preocupadas em controlar a internet acusando a mídia independente de não falar a verdade, já que seu monopólio de mentiras cai com a internet.

Post facto: O próprio Jair Bolsonaro postou o vídeo completo (que Mônica Bergamo nunca teria coragem de postar, para não contradizer sua narrativa), mas o YouTube, naquelas coincidências milagrosas que só acontecem com um lado, retirou o vídeo do ar por algum mistério insolúvel. Mas a internet continuou sendo mais rápida.

Post Scriptum: Alguém aí já viu as “recepções” de concorrentes do Bolsonaro em aeroportos, como Geraldo Alckmin, Flávio Rocha e Marina Silva, com militantes fingindo que tais figuras têm apoio popular como o primeiro lugar nas pesquisas? Não percam, são hilárias.

—————

A revista Senso Incomum número 3 está no ar, com a reportagem de capa “Trump x Kim: Armas nucleares, diplomacia e aço”. Assine no Patreon ou Apoia.se!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Faça os cursos de especiais para nossos leitores de neurolinguística empresarial e aprenda a convencer e negociar no Inemp, o Instituto de Neurolinguística Empresarial!

Conheça o curso Introdução à Filosofia Política de Olavo de Carvalho, ministrado por Filipe Martins na plataforma do Instituto Borborema. Conheça também o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern.

Faça sua inscrição para a série Brasil: A Última Cruzada, do Brasil Paralelo, e ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link. Ou você pode aproveitar a promoção com as duas temporadas por apenas 12 x R$ 59,90.

Sem mais artigos