Revista “Exame” usa advogado de Gleisi que foi preso como fonte para denúncia contra Bolsonaro

Guilherme Salles foi preso na Operação Custo Brasil, que prendeu também o marido de Gleisi, o ex-ministro Paulo Bernardo. A Exame não informou seus leitores deste "detalhe"

Na ânsia de cumprir o clichê da mídia e chamar um “especialista” para dar uma opinião qualquer com ares de autoridade (confundindo a opinião de alguém com interesses com a própria verdade), a revista Exame afiançou que o caso revelado pela Folha é “caixa 2 duplamente qualificado” (sic), com o típico “diz advogado” a seguir. A revista só não informou seus leitores que o dito advogado, Guilherme Salles, defende Gleisi Hoffmann nos casos de corrupção que rondam a petista e já colocaram seu marido na cadeia. Uma verdadeira autoridade sem interesses em criticar Bolsonaro.

Mais do que isso: Guilherme Salles Gonçalves foi um dos alvos da Operação Custo Brasil (name is destiny). O “especialista” da Exame, foi preso em junho de 2016 após denúncia do Ministério Público Federal e Polícia Federal por possível envolvimento em irregularidades no Ministério do Planejamento.

O escritório em que Guilherme Salles trabalhava era suspeito de ter recebido mais de R$ 7 milhões entre 2010 e 2015, no esquema do Ministério do Planejamento que tornou o marido de Gleisi Hoffmann, o ex-ministro Paulo Bernardo, famoso.

Esses são os “especialistas” que fazem manchetes sensacionalistas em ex-revistas em franca decadência como a Exame, sabendo que ninguém lerá as matérias, mas irá espalhar aos quatro ventos e sete mares a impressão que teve da manchete.

O achado foi do investidor Leandro Ruschel, uma das arrobas mais obrigatórias de todo o Twitter.

—————

A revista Senso Incomum número 3 está no ar, com a reportagem de capa “Trump x Kim: Armas nucleares, diplomacia e aço”. Assine no Patreon ou Apoia.se!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Sem mais artigos