Impunidade

Há 5 anos, traficantes mataram jovem filmada em sessão de torturas no Rio

A jovem Rayssa Sarpi teve até o couro cabeludo arrancado para se escrever a sigla de uma facção. Não causou comoção nem ninguém cobrou justiça

Publicidade

Há cinco anos, Rayssa Sarpi foi torturada e estuprada por várias horas na favela Faz Quem Quer, em Rocha Miranda.

A jovem, de acordo com as testemunhas,  tinha trocado beijos com o gerente do tráfico da favela. Foi cobrar explicações ao ver o bandido com outra mulher. O traficante não gostou. O bandido e outros criminosos, a arrastaram a um beco e a torturaram. Gravaram o ato hediondo no celular.

A jovem Rayssa Sarpi teve até o couro cabeludo arrancado para se escrever a sigla de uma facção.

Ao ser entrevistado, o pai, abalado, disse:

“Eu e minha mulher não conseguimos assistir ao vídeo. Só vimos o resultado, o jeito que ela voltou pra casa”.

Rayssa Sarpi faleceu no hospital Carlos Chagas. Foi enterrado no cemitério do Caju.

Veja o vídeo:

Não causou comoção na turma do left-leblon, pois, para eles, traficante tem consciência social.


O Senso Incomum agora tem uma livraria! Entupa sua estante, fique mais inteligente e perca mais amigos aqui.

Publicidade
Sem mais artigos