Fake CPMI

O Destemido Sujeito da Frase

Na CPMI das Fake News, os deputados não sabem o que é fake. Não sabem o que são news. E, pudemos descobrir, não fazem a menor noção sequer do que seja digital

Publicidade

Um dos maiores cineastas de todos os tempos, Clint Eastwood, rodou um de seus mais brilhantes trabalhos nos anos 1980’: O Destemido Senhor da Guerra, nome local para Heartbreak Ridge, ou “Sargento Casca-Grossa”.

Conta a história de Thomas Highway, veterano das Guerras da Coreia e do Vietnã; personagem de “outros tempos”. Ao voltar ao seu antigo quartel, o vê comandado por burocratas ignorantes, líderes sem comando e sem qualquer experiência sequer em “guerra de travesseiros”, a frente de um tropa (mais semelhante a “um bando”) de moleques sem qualquer compromisso com o ofício militar.

O treinamento militar não era levado a sério, pois os recrutas sequer acreditavam na possibilidade de outra guerra.

Ao longo do treinamento e com seus métodos, digamos, tradicionais, Highway vai colocando a tropa nos eixos e mostrando o lado medíocre sobretudo de seus comandantes, todos esmerados em burocracias.

Eis que, nesta semana, vejo algo parecido por aqui no Brasil.

Na CPMI das Fake News, o tema já mudou – tornou-se uma CPMI das milícias digitais. Está absolutamente claro que ninguém ali é dotado do mínimo preparo. Não sabem o que é fake. Não sabem o que são news. Não sabem o que são milícias. E, pudemos descobrir, não fazem a menor noção sequer do que seja digital.

Líderes enredados em burocracias estúpidas e comandados indisciplinados, prepotentes e completamente despreparados, como os deputados Davi Miranda Verdevaldo e Tulio “Fátima Bernardes” Gadelha desfilam uma procura por sujeitos de frases que lhes mandam ler.

O show a parte coube a Alexandre Frota, um campeão de gafes e de produção, ele mesmo, de inúmeras inverdades ao longo do processo, misturadas a um ranço de perseguição.

Essa postura, tal qual vimos no filme de Eastwood, era alimentada pela crença absoluta de que uma guerra jamais estouraria e que aquele treinamento jamais iria ser demandado.

Deputados e Senadores abrem uma CPI Mista, usam recursos públicos, tempo de trabalho de ambas as casas legislativas, movem esforços, tudo isso em torno de uma grande molecagem.

E, aos poucos, a turma da bolha legislativa vai tomando contato com uma série de “Sargentos Highways” que andam soltos por ai. Allan dos Santos foi apenas o primeiro. E não será o único.

Meninos mimados do Congresso aprenderão da forma clássica a perder a arrogância.

E assim como a tropa de Highway, Lula andou muito tempo soberbo, achando que nenhuma guerra o atingiria – lá no Congresso, idem: só que, sinto-lhes informar; Granada é logo ali.

————–

Saiba o que está por trás da CPMI das Fake News, o tema mais urgente do ano, em nossa nossa revista.

O Senso Incomum agora tem uma livraria! Confira livros com até 55% de desconto exclusivo para nossos ouvintes aqui

Faça o melhor currículo para arrumar um emprego e uma promoção com a CVpraVC

Compre sua camiseta, caneca e quadro do Senso Incomum em nossa loja na Vista Direita

Conheça a loja Marbella Infantil de roupas para seus pequenos (também no Instagram)

Faça os cursos sobre linguagem e sobre Eric Voegelin (e muitos outros) no Instituto Borborema

Faça gestão de resíduos da sua empresa com a Trashin

Siga-nos no YouTube Instagram

Publicidade
Sem mais artigos