decrepitude moral

Por que a Globo ainda não demitiu José de Abreu?

Depois de afastar Mauro Naves por dar o telefone do pai de Neymar a advogado, emissora se cala com incitação à violência de José de Abreu contra uma colega de trabalho e contra 57 milhões de brasileiros

Publicidade

No livro Hitler e os Alemães, Eric Voegelin diz que a perda da dignidade vem da negação da participação no divino, da desdivinização. “Não se pode desdivinizar-se sem se desumanizar.” É precisamente a desumanização que decorre da perda do contato com o divino que alimenta todos os regimes totalitários ao longo da história.

Esse fechamento do espírito e, consequentemente, a batalha imposta contra Deus e a Religião está no centro de todo genocídio. Separar e exterminar quem representa esse mundo “ultrapassado”, que respeita as tradições e se volta para Deus é tudo o que a elite progressista quer. 

No capítulo mais recente dessa luta, o suposto ator José de Abreu, referindo-se a sua colega de emissora Regina Duarte, que havia aceitado o cargo de secretária da Cultura do governo Bolsonaro, disse que “fascista a gente trata no cuspe. Não há como considerar o fascista um ser humano”. Sabe-se lá o que a inteligência pouco ativa de Zé pensa que é um fascista. “fascista não tem sexo. Vagina não transforma uma mulher em ser humano”, disse Zé. 

Para o pateta global, o fascista deve ser algum tipo de protozoário, imagino. “Vagina não transforma mulher em ser humano” é das sentenças mais bizarras já proferidas pelo ser humano desde que o primeiro osso hióide se formou na base da língua, permitindo-lhe articular uma sílaba.


Mas o que está claro é o apelo de Zé ao extermínio de quem esteja centímetros mais à direita que Fidel, Mao e Stalin. O caduco Zé faz jus à tradição que colocou judeus, ucranianos, cubanos, chineses e qualquer dissidente em campos de concentração e pelotões de fuzilamento.

Esperar de tipos como Zé de Abreu, o mais infame e decadente dos comunas brasileiros, algum refinamento no trato com quem pensa diferente é algo descabido. O que espanta é a emissora que o contrata, que gosta de posar contra o “discursos de ódio”, defendendo todas as pautas progressistas e lucrando muito com isso, não divulgar sequer uma nota sobre seu funcionário falastrão, mal educado e violento.

O silêncio da emissora parece demonstrar a compatibilidade de idéias com o suposto ator Zé de Abreu. Pelo jeito, cuspir em fascista (termo que a comunada usa sem saber o que significa) é a ordem do dia na União das Repúblicas Socialistas Projaquíticas. 

Por causa de uma piada (de muito mal gosto, diga-se), William Waack foi demitido da emissora. Mauro Naves foi afastado por ter fornecido o contato do pai de Neymar ao advogado de Nájila, que acusava o jogador de estupro. E José Mayer foi demitido por ter assediado uma figurinista. Sem entrar no mérito das demissões e afastamentos, o que causa estranhamento é a emissora não comentar as agressões de Zé a uma colega da própria emissora. 

Pior que isso! A Globo praticamente demitiu Regina Duarte ao vivo. A malta de atrizes globais, tão atuantes na defesa dos direitos da mulher, também não deu um pio sobre o ocorrido. Algumas das sumidades foram reclamar de uma foto em que apareciam defendendo Regina. 

Ninguém melhor que o decrépito José de Abreu representa a decadência do estilo Rede Globo de ser. Grosseiro, atrasado, brega, sem nenhum talento, mas disposto a tudo para emplacar sua ideologia sanguinária, desde que lucre muito com isso, o ator é a personificação do que se convencionou chamar erroneamente no Brasil, de artista: gente desprovida de uma cosmovisão abrangente, preocupada apenas com seus egos fracos e lutando contra sua persona real.

Daí se entende por que os riquinhos globais desejam com tanto ardor a liberação das drogas, sentido último de quem foge de si mesmo. E quem foge de si mesmo só vê dinheiro e poder pela frente e faz de tudo para acabar com quem se coloque no caminho. 

A trincheira formada por gente que, vejam o absurdo, quer um emprego honesto, menos impostos, ter suas tradições respeitadas e que o Estado não se meta a enfiar ideologia nos seus filhos, é vista pela elite falante como fascismo e atraso. O futuro perfeito para o nosso high society progressista é algo parecido com a União Soviética em 1935. 

A Rede Globo tem a obrigação de demitir José de Abreu. A permanência desse biltre entre os funcionários da emissora abre um precedente para que outros se achem no direito de ameaçar, assediar e até agredir quem se posicione contra suas pautas tresloucadas.

Enquanto a Globo não toma uma posição, conforme comentado aqui, quando encontrar o embolorado ator global em algum restaurante caríssimo ou num resort elegante, não se furte em lhe untar de saliva. 


————–

Livraria do Senso Incomum está em promoção de GUERRAS MUNDIAIS até quinta! Clique aqui!

Publicidade
Sem mais artigos