Paste your Google Webmaster Tools verification code here

Em palestra proferida na Universidade de Harvard, estudante questiona o filósofo Olavo de Carvalho e, involuntariamente, ajuda a provar que 80% dos universitários brasileiros são analfabetos funcionais.

O filósofo Olavo de Carvalho participou hoje da principal conferência sobre o Brasil na América, o Brazil Conference, realizado pela Universidade de Harvard e pelo MIT, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

PUBLICIDADE

Olavo de Carvalho, Eduardo Suplicy, Hussein Kalout em HarvardO autor de “Aristóteles em Nova Perspectiva” integrou um painel composto por Eduardo Suplicy, vereador da cidade de São Paulo pelo PT, e Hussein Kalout, secretário de assuntos estratégicos da presidência da república. O painel girou em torno do tema “Reformas Sociais no Brasil” e, como não poderia deixar de ser, teve como ponto alto a apresentação de Olavo de Carvalho, de longe o dono da mente mais brilhante de nosso país.

No momento das perguntas e em resposta à afirmação feita pelo filósofo de que 80% dos universitários brasileiros são analfabetos funcionais, uma aluna, enfezada, questionou a afirmação, alegando que “a discussão precisava ser embasada em algum nível de realidade”, no que foi prontamente endossada pelo mediador, que não hesitou em proclamar que “a evidência científica é fundamental”.

Como não tem por costume afirmar o que não pode provar, Olavo respondeu que a informação que apresentou é amparada por uma série de estudos realizados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, a OCDE, e por outras instituições. A estudante então citou um estudo feito pelo Instituto Paulo Montenegro e descartou a afirmação de Olavo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Pois bem, fomos atrás da “evidência científica” e consultamos o estudo citado por ela. Ali encontramos a seguinte conclusão:

“A grande maioria de quem chegou ou concluiu a educação superior permanece nos grupos Elementar (32%) e Intermediário (42%), enquanto apenas 22% situam-se na condição de Proficiente da escala considerada

PUBLICIDADE

O que isso significa? Significa que mais uma vez Olavo estava com a razão e que, aparentemente, não são só os universitários que estudam no Brasil que sofrem de algum tipo de dificuldade no manuseio de textos — e que se demonstram incapazes de ir além das conclusões subjetivas de um pesquisador e inferir, de um conjunto de dados, suas conclusões óbvias. Aqueles que estão em Harvard e no MIT não parecem estar em situação muito melhor, after all.

__

No vídeo abaixo, você pode assistir o painel na íntegra:

—————

Assine nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

  • Helena Dias

    Voce sabe o que sao variaveis de analise? Sabe que no mundo existem matizes, e nao apenas 2 opções? O pensamento binario é a coisa mais pobre dos seguidores do astrologo.

  • Helena Dias

    A partir de uma pesquisa que voce afirma que “ nos grupos Elementar (32%) e Intermediário (42%), enquanto apenas 22% situam-se na condição de Proficiente da escala considerada“, a sua conclusão é que 80% são analfabetos funcionais????? É palhaçada ou incapacidade de analise de dados? Elementar e Intermediário são termos de avaliação extremamentes diferentes de analfabeto funcional.

  • Que mal lhe pergunte, em que “filósofos” Platão e Aristóteles se “basearam”? =O

  • Matheus Pavon

    Aiai. Essa matéria é muito engraçada, por dois motivos:
    1. Prova que Olavo de Carvalho tem razão;
    2. Prova que Olavo de Carvalho não tem razão.

    Prova que Olavo de Carvalho não tem razão porque o dado que ele falou é estatisticamente ridículo. De acordo com o PNAD de 2010 (https://noticias.uol.com.br/especiais/pnad/2010/ultimas-noticias/2010/09/08/pnad-um-em-cada-cinco-brasileiros-e-analfabeto-funcional.jhtm) 20% dos brasileiros são analfabetos funcionais. Isso inclue UNIVERSITÁRIOS E NÃO-UNIVERSITÁRIOS, ALFABETIZADOS E NÃO ALFABETIZADOS. Ou seja, para 80% ser analfabeto funcional, duas coisas precisam ser verdade:
    a. Entre 2010 e 2015, o alfabetismo funcional no Brasil cresceu 400% (de 20% pra 80%), o que qualquer um que sabe qualquer coisa de sociedade entende que é impossível;
    b. Além do primeiro, correlacionado ou ao menos consequentemente, é necessário assumir que todos os processos universitários (ENEM, VUNESP, FUVEST, etc.) são extremamente ineficientes E boa parte dos que vão em universidade paga são analfabetos funcionais. Se assumirmos essa última (universidade paga muitos analfabetos), então ainda assim é pouco, já que a maior parte dos universitários são de uni’s públicas. Ou seja, os processos não servem de M*RDA NENHUMA e não selecionam nada, já que 80% que são ANALFABETOS FUNCIONAIS conseguem passar. Qualquer um que prestou vestibular sabe que isso é absurdo além da conta.
    Vou deixar pra vocês fazerem correlação básica entre os dados e o porquê disso ser absurdo.

    Prova que Olavo de Carvalho tem razão porque o PROFESSOR DE POLÍTICA INTERNACIONAL Filipe Martins aparentemente é justamente o que Olavo critica: um analfabeto funcional (ou pelo menos age como). Peguemos o excerto novamente:
    “A grande maioria de quem chegou ou concluiu a educação superior permanece nos grupos Elementar (32%) e Intermediário (42%), enquanto apenas 22% situam-se na condição de Proficiente da escala considerada“
    (não consegui acessar o link original, page not found).

    Conforme o link (http://www.gazetadopovo.com.br/educacao/nem-1-nem-80-a-real-taxa-de-analfabetismo-funcional-entre-universitarios-8eipsba6xmr44t7602oum3pq4) diz:
    “cinco categorias (geralmente divididas entre analfabetismo total e níveis como alfabetização rudimentar, básica, intermediária e proficiência). Somente as duas primeiras categorias são consideradas analfabetismo funcional.”
    Ou seja, com os dados da moça, 42% + 22% = 64% de NÃO-ALFABETOS FUNCIONAIS.
    Ou seja, Olavo estava certo: há muitos ‘universitários’ que são ultra analfabetos funcionais. Ouvem o que o papai filósofo diz e defendem até a morte, mesmo ele errado.

    Aqui vai mais um estudo, que segue o mesmo raciocínio (~40% de analfabetos funcionais): http://www.estadao.com.br/noticias/geral,no-ensino-superior-38-dos-alunos-nao-sabem-ler-e-escrever-plenamente-imp-,901250

    —-

    É claro que isso não é motivo de orgulho. É uma grande vergonha termos tantos analfabetos funcionais. Só que é ainda mais vergonhoso um site ‘sério’ defender falaciosamente – descaradamente uma falsidade – uma MENTIRA INVENTADA por outro ‘filósofo’ ””’sério””’. A menina estava certa (com uma margem de erro, visivelmente), Olavo errado, e mesmo assim vocês defendem-no falsamente. É o sujo falando do rasgado: 40% dos universitários são analfabetos funcionais; pelo menos dois (Olavo e Filipe) são mentirosos e desonestos.

    É só pesquisar um pouco, gente. Não custa nada ser honesto.

  • Fred Giovani

    Esqueçam os 80% que isso tá dando polêmica. 22% são proeficientes na língua materna. Tá bom assim pra vocês?

  • Hoje eles pensam que vão mudar o mundo dando o cu, se vestindo de mulher e ensinando crianças a serem gays.

  • Newton (ArkAngel)

    Se formos seguir seu conceito, então o Prof. Cipro só teria valor se tivesse criado a própria língua, e não aprendido a língua portuguesa desde a mais tenra infância, já que tal idioma foi criação de alguém há séculos atrás.

  • Luis Cavalli

    Mas astrologia e terra quadrada são reais, né Olavo? kkkkk

  • paulpaul

    não precisa de pesquisa, basta ver quantos alunos se formam na uninove, unip, e tantas outras unis , e se terá o número exato de analfas que nem sei se podem ser considerados funcionais

  • Ronaldo Olivera
  • Rodrigo Da Silva Cunha

    “O verdadeiro filósofo adquire o conhecimento por si próprio, por suas próprias reflexões, e não através do conhecimento de outros (como é o caso do Olavo, tudo que ele diz é decorrente de ideias de livros que leu).”
    Então neste caso apenas Sócrates foi filosofo; Platão e Aristóteles não foram…ou até mesmo socrates que aprendeu geometria com os matemáticos gregos.
    Está confundindo Filosofo com autodidata, outra questão…tirar conhecimento de um livro é completamente diferente de tirar conhecimento de um professor.Os livros não preveem perguntas sobre as afirmações.Se fosse o caso Kant conversaria com Aristóteles e Aristóteles conversaria com Kant.

    “Ele nunca fundou uma escola de pensamento, não adquiriu o conhecimento por experiência pessoal, e sim por uma infindável colcha de retalhos de experiência de terceiros. Portanto, ele não pode se autointitular filósofo, pois é no máximo um professor de filosofia”
    Ele fundou um curso de filosofia online e presencial nos EUA e criou o método de investigação chamado zentologia.

  • Rubens Cruz

    Bem, a grande pergunta é…. de onde veio a fonte dessa pesquisa? É, óbvio de algum órgão do governo. E, desde quando mostram a realidade no Brasil???!!! Assim, sendo, sabemos que desde muito tempo o Estado é absoluto nas decisões. Todavia, por outro lado existe de forma disfarçada uma democracia, fruto de uma ilusão, onde podemos ver na fala da moça que fez a tal pergunta ao professor Olavo de Carvalho, com bastante convicção, no entanto, sabemos que a realidade é outra. Bem, o que podemos ver é que ficam nítido que já foi retificado os percentuais a respeito do analfabetismo funcional no Brasil. Claro isso eles dão um jeitinho.
    Obs!: Segue o vídeo de uma pessoa habilitada para falar a respeito do assunto, um pesquisador da Universidade Católica: http://g1.globo.com/distrito-federal/videos/v/pesquisador-conclui-que-mais-de-50-dos-universitarios-sao-analfabetos-funcionais/2262537/
    Obs²: entendo o professor Olavo de Carvalho, às vezes esquecemos datas, dados, fonte e isso acontece. Portanto, postei um vídeo onde mostra pela boca de uma das pessoas habilitadas para falar desse assunto, um cientista. E, como nós sabemos são eles que deixam as diretrizes cientificas para nós seguirmos.

  • Marco Aorelio Quadros

    – 80% de nossos universitários são analfabetos funcionais!!!!
    – O que o Senhor quer dizer com isso???

  • Pingback: Olavo, mais uma vez, tem Razão. | beforeSpeak()

  • Marco Braniac

    Deve achar o Lula, Suplicy, Dilma, Aécio, FHC, Rodrigo Maia…

  • Marco Braniac

    Continuan se drogando e livremente pois agora não se prende usuários e continuam fazendo muito sexo, muitas doenças venéreas

  • Marco Braniac

    Paga nada, vem do Brasil sem Fronteiras, nós pagamos para ela passear!

    • paulpaul

      nada, br sem fronteiras tem estudantes de verdade

  • JESSÉ MOURA

    Não há analfabetos no Brasil, qualquer afirmação neste sentido é uma construção dos reacionários e anti-progressistas. rsrsrsrsrs……

  • Luiz da Nova

    O Senhor é bem desonesto e pelo visto é o que deveria estar no grupo de analfabetos funcionais, ou então é outro desonesto, pois na tabela da pesquisa está claro que: elementar, intermediário e proficiente está categorizado como alfabetizados funcionalmente e os que estão no analfabetos e rudimentares.
    Acho que o senhor precisa voltar aos estudos.

    • Newton (ArkAngel)

      Mas a menina que questionou o Olavo citou uma pesquisa que nada mais fez do que confirmar a afirmação do Olavo! Se isso não for um tiro no pé, o analfabeto funcional sou eu.

  • Tutameia

    em qualquer sessão de comentários sobre filmes no you tube por exemplo vc pode ler coisas assim:
    “mais ese filmi e da inglatera ou istadu zunidu”?????
    isso não é criação minha..pode ser encontrado lá por quem quiser…

  • Jonatas Silva

    Godofredo, por favor… Informe-se. NUNCA foi células de fetos (até esse plural está errado, coisa de quem não se informa, outro defeito de Olavo), mas culturas de células geradas a partir de células de UM ÚNICO feto original, que foi feita com fins de pesquisa, antes duma empresa se interessar na utilidade industrial das referidas culturas.
    A preocupação com isso é ridícula. O feto já havia morrido, e simplesmente ia ser jogado fora, como geralmente acontece.

  • Jonatas Silva

    Fabiana, até concordo que a pesquisa é deficiente na conclusão, mas os dados dela estão validados até por essa matéria aqui apresentada. É desses dados que tirei minha conclusão pessoal, e na definição mais clara que encontrei de analfabetismo funcional em função da escala de cinco níveis. Interpretei perfeitamente esses dados, e conclui diferente da pesquisa, justamente porque não gosto de me basear em apenas uma única fonte.

  • Jonatas Silva

    E como eu previa, pros olavistas de plantão ou Olavo tem razão, ou a realidade deve ser distorcida até que Olavo tenha, e os cinco níveis devem ter sido inventados por algum esquerdista comunista ateu do mal do foro de são paulo, e não por acadêmicos especializados que estudaram muito mais que Olavo este assunto em específico, né?
    Afinal, se olavo diz que a evolução é mentira, todos os Biólogos estão errados. Se diz que não há aquecimento global, os climatologistas estão errados. Se diz que Newton era cretino, logo ele não é mais uma das maiores mentes de todos os tempos. E ele diz que cigarro não faz mal à saúde, logo, se entupam de nicotina.
    Na boa, nada mais a dizer. Meu comentário foi suficientemente objetivo pra dizer o que eu queria (o analfabetismo existe, é um número grande e a preocupação é legítima – sequer to discordando do todo sagrado guru Olavo nisto, só os números e a definição usada por ele é que estão errados, paciência); E se soubessem reconhecer um gênio de verdade, saberiam que não tem problema algum em perceber quando ele está ERRADO; gênios erram, e olavo também (embora eu não o considere um gênio). Vocês são apenas fãs, infelizmente. Não acho que possamos ter um debate saudável; haja visto esses ataques a uma pessoa, a estudante, que é completamente desconhecida; porém completamente hostilizada – nem importa direito se ela estava certa ou não, mas refutar Olavo é algo profano; digno de apedrejamento, mesmo que verbal.
    Algumas coisas nunca mudam…

  • Samara

    Que coragem dessa guria fazer uma pergunta pro Olavo…rsrsrs…

  • fausto atilio

    Vamos supor que 80% seja um “exagero”, certo ? Baixemos para…77-65-56-49%, que seja, ok ? Vamos baixar para um valor super-mega-blaster otimista de 40%. Agora imagine a percentagem de analfabetos funcionais de 20 à 50 anos que não frenquentaram o ensino superior e some com os 40% citados antes. Imagine agora o total de analfabetos funcionais que temos no Brasil. Alguma dúvida sobre o pq somos um país tão desgraçado em tantas áreas do conhecimento, entre outros atrasos ?

  • fausto atilio

    Cite os livros do Olavo que vc conhece. Por acaso tem conhecimento dos cursos online que ele ministrou e ministra ? Explique sua expressão “um pouco exagerado”. (existe “um muito exagerado” ?).

  • fausto atilio

    Né ?

  • Gregório Manoel

    Não. Maceió, Alagoas rsrs

  • Gregório Manoel

    http://www.ebc.com.br/educacao/2012/07/pesquisa-mostra-que-menos-de-30-dos-brasileiros-sao-plenamente-alfabetizados

    Analfabetos: não conseguem realizar nem mesmo tarefas
    simples que envolvem a leitura de palavras e frases ainda que uma
    parcela destes consiga ler números familiares.

    Alfabetizados em nível rudimentar: localizam uma
    informação explícita em textos curtos, leem e escrevem números usuais e
    realizam operações simples, como manusear dinheiro para o pagamento de
    pequenas quantias.

    Alfabetizados em nível básico: leem e compreendem
    textos de média extensão, localizam informações mesmo com pequenas
    inferências, leem números na casa dos milhões, resolvem problemas
    envolvendo uma sequência simples de operações e têm noção de
    proporcionalidade.

    Alfabetizados em nível pleno: leem textos mais longos,
    analisam e relacionam suas partes, comparam e avaliam informações,
    distinguem fato de opinião, realizam inferências e sínteses. Resolvem
    problemas que exigem maior planejamento e controle, envolvendo
    percentuais, proporções e cálculo de área, além de interpretar tabelas,
    mapas e gráficos.

  • Gregório Manoel

    Pode ser que simplesmente as definições de plenamente alfabetizados dele seja mais elevada. Se a pessoa não está na faixa de “proficiente” (fora dos 22%) ela tem algum grau de analfabetismo (deficiência de alfabetização). Isso não tem relação com o nome “analfabeto funcional” dado pelo instituto. O instituto (não vi os critérios do estudo) pode ter considerado analfabeto funcional quem não consegue ler um texto simples. Mas será que alguém do nível intermediário consegue entender o viés, as intenções, as entrelinhas de um texto político, filosófico, etc?

    • Jonatas Silva

      Gregório, a questão é se as pessoas desse nível intermediário precisam entender as entrelinhas de um texto político e filosófico. Há uma vasta gama de cursos, muitos deles sequer passam perto de precisar aprofundar essas capacidades, e aprofundam mais umas que as outras. Alguém do curso de exatas, muitas vezes pode ter uma dificuldade maior na parte de interpretação de textos, por exemplo, e vice versa.
      O próprio Olavo é visivelmente fraco no entendimento a respeito de ciências, onde vive dando seus pitacos incoerentes. Obvio que nem ele nem seus fãs admitiriam uma coisa destas.

  • Lucas Marquardt

    Galera, olhando a pesquisa da para ver que eles consideram como funcionalmente alfabetizados 96% dos alunos de ensino superior, pode-se questionar os métodos deles, mas a interpretação deles é essa!

  • Ilbirs

    Sobre o episódio:

  • Celio Azevedo

    Ela querendo questionar um gênio como o Olavo.

  • Daniel Donatangelo

    Os outros 20 por cento nem funcionais devem ser

  • José Roberto Silva dos Santos

    Prezado Filipe,

    A respeito da pesquisa do Instituto Paulo Montenegro, pelo que li esta se baseia em uma escala de proficiência com a seguinte interpretação, segundo definição que pode ser vista no final da página 4 e na Tabela 1 que define:

    Analfabeto (grupo 1) + rudimentar (grupo 2): analfabetos funcionais e

    Elementar (grupo 3) + intermediário (grupo 4) + proficiente (grupo 5): alfabetizados funcionalmente.

    Ou seja, segundo os critérios adotados pelo estudo, o grupo 5 (proficiente) é apenas o grupo mais alto na escala de alfabetismo e a conclusão é que, apenas 4% dos que chegaram a concluir o ensino superior (segundo a Tabela 2a) pertence ao grupo rudimentar, que está na faixa de analfabetismo funcional.

    Eu não estou dizendo que o Prof. Olavo está errado, pois sei que ele se baseou em pesquisas de outros institutos. Realmente os parâmetros utilizados pelo Instituto Paulo Montenegro parecem ser bastante lenientes, e com certeza devem ser questionados e confrontados com outros critérios. Mas a interpretação que estas fazendo da escala de proficiência adotada por esse estudo não está correta.

    Abraço

    • Fabiana Ferreira

      Prezados João e Filipe,

      de fato, se lermos o resultado da pesquisa segundo os critérios próprios dela, podemos dormir felizes hoje, porque nesse caso só haveria 4% de analfabetos funcionais entre estudantes de universidades brasileiras. Seria um dos melhores índices DO MUNDO.

      O que é pior é que aplaudiram essa intervenção com uma empáfia de estarem defendendo o “conhecimento baseado na realidade” e o “rigor científico”, no momento mesmo em que usavam uma pesquisa absurda, que não passa de malabarismo estatístico e que converte num passe de mágica o Brasil num dos países com o melhor ensino deste planeta.

      Percebam bem: a pesquisa afirma que 96% dos estudantes universitários brasileiros são alfabetizados funcionalmente (segundo o critério dela). Encontrei pesquisas indicando o número de 73% para o Canadá. Encontrei pesquisas afirmando que 12% dos analfabetos funcionais alemães têm ensino superior. Há pesquisas assim aos montes, todas indicando, pelo visto, que o Brasil comparativamente talvez tenha o melhor ensino superior do mundo, de acordo com o entendimento do instituto Paulo Montenegro e dessa estudante perspicaz.

      Seria como se eu dissesse que 90% dos brasileiros são altos, de acordo com uma pesquisa X, e a platéia toda aplaudisse ferozmente, sem saber – ou sem ter entendido – que o critério de “alto” para a pesquisa é ter mais de 1m 50 cm. Tudo isso ao mesmo tempo em que se proclama guardiã da ciência e conhecedora da realidade.

      Foi grotesco.

    • BuffyDawn Summers

      O grupo q conta para mim é o 5. Rudimentar é ruim mesmo. Elementar e Intermediário são tão ruins quanto, mas a gente chama de regular só pra ficar bonito na foto. Todos os localizados nestes grupos terão dificuldade para entender o que a gente fala que o proficiente não terá. Estou cheia de alunos rudimentares, elementares e intermediários q não sei como chegaram na universidade (sarcasmo) e que não conseguem tirar a vergonhosa nota 5,0, q é a “nota para passar” na federal q leciono.

    • Newton (ArkAngel)

      O que muitos não entenderam é que o conceito de analfabeto funcional varia de acordo com o nível de escolaridade da pessoa, afinal, a proficiência vai se incrementando (ou pelo menos deveria) ao longo da jornada de estudos. A progressão continuada nos diversos níveis de escolaridade, desde o primário até o doutorado, porém sem aumentar a proficiência, que deveria ser uma consequência lógica, implica em analfabetismo funcional. Pressupõe-se que o que se chama de “Ensino Superior” realmente faça jus ao título. Proficiência é o mínimo que se espera de alguém que, por exemplo, vai realizar cirurgias ou construir pontes que podem ruir.

  • Night Side

    Nenhuma novidade, eu já sabia disso…

  • Thiago Rossellini

    Não, Olavo! O senhor está enganado! A alegação de que 80% dos estudantes brasileiros são analfabetos funcionais é falsa. Tenho uma pesquisa provando que 20% dos estudantes não são analfabetos funcionais. Agora te peguei!

    • João Paulo Mendes de Carvalho

      kkkkkkkk

    • João Gabriel

      “a evidência científica é fundamental”.

    • Aparecido Lima

      Rá! Refutei o Olavo!

  • Rodrigo Da Silva Cunha

    O termo: Analfabetismo funcional é meio nebuloso.
    Uma pessoa que consegue extrair sentido de um texto pode ou não ser considerada “analfabeta funcional”.
    Se por exemplo o sujeito consegue ler um manual de como montar uma cadeira MAS não consegue compreender as idéias centrais dos diálogos de Platão ou compreender os romances de F. Dostoiévski pode ser considerada analfabeta funcional?
    Eu acredito que grande parte das pessoas no país não conseguem ler os Diálogos de Platão de forma ideal(compreender do que Platão estafa tratando) mas dizer que não conseguem extrair sentido de texto algum é um absurdo.
    Creio que uma definição sobre o que é o analfabetismo funcional é necessária.
    O problema é que nem todo texto é igual; assim como nenhum dialogo é igual…posso compreender perfeitamente o dialogo entre dois padeiros de como fazer pão e não fazer idéia de um dialogo entre dois filosofos sobre ontologia.

    • Ubulunga Zubatu

      São chamados de analfabetos funcionais os indivíduos que, embora saibam reconhecer letras e números, são incapazes de compreender textos simples (acredito que Platão não esteja enquadrado na categoria simples)

      Os dados apresentados não são tão absurdos.
      Entre em uma turma de universidade e dê aula por um semestre. Você verá que esses dados são bastante reais.
      Pessoas cursando licenciatura em matemática que não sabem somar.
      Pessoas que não conseguem interpretar um enunciado de 3 linhas para um problema.
      Pessoas cursando letras que mal sabem escrever o nome.
      (só para citar alguns exemplos)

      • BuffyDawn Summers

        Eu sou professora de Federal. Pelo amor! Hoje, corrigindo prova, me deparo com um aluno q deu resposta de uma questão (errada), justificando que 245 É MENOR q 8,48. Não não não! Chega juízo final!

        Tenho alunos q contam nos dedos. Já vi futura universitária levar 1 HORA para preencher um formulário de matrícula com dados pessoais (nome do pai, da mãe, etc) porque NÃO SABIA LER O QUE CADA CAMPO DO FORMULÁRIO PEDIA (e ficou com vergonha de pedir ajuda… como se não fôssemos capazes de ver q ela estava ali há 1 hora)… isso para ser universitária de LICENCIATURA. Já vi aluno perguntar “q bolinha é essa” quando a professora escreveu um O no quadro, símbolo do oxigênio.

        Pior é que na educação pública, o ensino é uma porcaria, e na privada, os alunos aprendem a decoreba para passar no ENEM (mesmo no tal do cursinho). Já tive caderneta rasurada para aprovar aluno que reprovei na marra (e pedi demissão por isso).

        Os profissionais formados nessa geração serão medíocres, se tivermos sorte.

        • Cida PS

          Chorei!
          Bem por aí.

    • Lucas Sebastião De Almeida Cas

      A fala de Platão é elementar, não exigindo qualquer conhecimento prévio; com effeito, é ella própria o conhecimento prévio pera toda a philosophia posterior.

  • Francci Kelvin

    É sério que essa louca pensa que há 99% de alfabetizados funcionais no Brasil? Em que mundo ela vive, na Disneylandia?

  • Antonio Neto

    Uma analfabeta funcional diz que o nível de analfabetismo funcional é muito pequeno no Brasil, com base num estudo que interpretou errado por ser justamente analfabeta funcional. Cenário mais grotesco do que esse não há.

    • Coments

      Na verdade quem interpretou o estudo errado foi esse site. O estudo considera analfabetismo funcional aqueles que se enquadram em analfabetos ou rudimentares como pode ser observado na tabela da pagina 7: https://uploads.disquscdn.com/images/cb4fd5758c7e8603881cea36f25308e16e1493326348d0b3d87680532a0f11c6.png

      Logo abaixo da tabela o artigo conclui: “27% das pessoas foram classificadas como analfabetas funcionais, sendo apenas 4% correspondente ao grupo de pessoas consideradas analfabetas funcionais, já que não conseguem realizar tarefas simples que envolvam leitura de palavras e frases.”

      Olhando a Tabela 2a na pagina pode-se verificar que apenas 4% da população com curso superior se enquadra na categoria analfabeto funcional segundo o critério da própria publicação.

      Seria bastante irreal achar que a porcentagem de pessoas analfabetas funcionais formadas seja 3 vezes maior do que na população brasileira total.

      • Robson Jorge

        De acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto Paulo Montenegro, podem ser considerados como “analfabetos funcionais” apenas os indivíduos dos grupos “analfabetos” e “rudimentares” (respectivamente, 4% e 23% do universo de amostra), o que já derruba a afirmação do filósofo. O que me causou estupefação foi o articulista afirmar que Olavo de Carvalho é “[…] de longe o dono da mente mais brilhante de nosso país”!!! Se isto for verdade, o Brasil está condenado a ser um limbo intelectual!

        • Helena Dias

          isso foi muito chocante mesmo.

      • Constantin Bartosek

        O nível de alfabetização necessário para desempenhar a função de pipoqueiro é bem diferente do nível de alfabetização necessário para desempenhar a função de estudante universitário. Entendeu ou quer que desenhe?

    • Márcia Sipavicius Seide

      No texto citado entre aspas há a informação de que 22% da grande maioria tem um nível de proficiência, então eu pergunto em % quanto é a grande maioria? Por hipótese se a grande maioria é 80% do conjunto de pessoas pesquisadas, quanto é 22% de 80%?

      • paulpaul

      • paulpaul

        100% é o total, 22% é proficiente o resto não, o resto de 22 para 100 é 78, ou aproximadamente 80%

    • Fabio Ferrara

      Olasno do Caráleo é o Mestre dos Embusteiros, o suprassumo da ausência de inteligência da Direita acéfala brasileira, e seu maior guru!

  • Le Zuero

    #OlavoTemRazao

  • Alice Olivia

    Tudo verdade, a maioria, só estuda querendo o diploma e não sabem de nada, principalmente a classe médica!

  • Gregório Manoel

    Eu acabei de assistir o debate (curtíssimo e com o Suplicy dando nos nervos). É impressionante o abismo entre o Olavo e os outros. Todos os outros pareciam aqueles jovens idiot… ops, idealistas, que acham que podem mudar o mundo apenas com a força da vontade da juventude (olhe que com meus poucos 29 anos já vi coisa o suficiente para duvidar muito de “soluções” para a humanidade e mundos ideais, talvez por isso esteja me identificando como um conservador). Tirando o Olavo, todos os outros me deram nos nervos. Achei que iria ver um debate de alto nível por estar em Harvard (coloque aqui umas batatas na boca para parecer mais esnobe), mas o nível parecia de um debate aqui da minha pequena UFAL.

  • Thalles Vinicius

    Olavo explicou o problema do projeto INTEIRO, enquanto outros palestrantes SÓ falavam dos traços…..

  • Mauro Silva

    Foi de fato vergonhoso perceber que os estudantes de uma Ivy League School e de uma outra Top Tier School não tem habilidade para interagir com as “primary resources” (fontes primárias) em português; a língua dos estudantes brasileiros das respectivas escolas. Sacré blue!

  • Para quem ainda não viu, segue o vídeo da conferência: https://www.youtube.com/watch?v=t3gHVkMJZ6A

  • Lucas Barbosa Marcos

    Não abriu o link do estudo aqui para mim.

  • Brunno Pinto

    Então, para refutar o Professor, ela usa uma pesquisa que endossa o que ele fala. Makes sense.

Sem mais artigos