BANG!

Desarmamento é a arma secreta dos ditadores

Não é a arma que mata, não é a caneta que escreve, não é o garfo que engorda, mas a grande questão é: como as pessoas utilizam esses instrumentos

Se o Estado abandona seus cidadãos e os deixa órfãos e entregues à própria sorte, como ele teria alguma capacidade de decidir como os civis podem ou não agir em circunstâncias de extremo risco à sua própria vida, e ou a vida de seus familiares? Por que criminalizar e vetar a tentativa honesta de se proteger e assegurar seu bem maior que é a própria existência?

O que se deve entender é que a arma não deve ser vista como uma questão de poder: “eu possuo uma arma e sou poderoso”, mas como uma questão de equidade: “se um bandido armado tentar contra a minha vida, eu também devo estar em pé de igualdade para poder me defender”. Não é a arma que mata, não é a caneta que escreve, não é o garfo que engorda, mas a grande questão é: como as pessoas utilizam esses instrumentos.

Ouça a explicação e a análise de Teff Ferrari:

 

Para encontrar na sua plataforma favorita de podcast ou no Youtube, digite tudo junto: olivertalk. 

 


Confuso com o governo Bolsonaro? Desvendamos o nó na revista exclusiva para patronos através do Patreon ou Apoia.se.

Assine o Brasil Paralelo e tenha acesso à biblioteca de vídeos com mais de 300 horas de conteúdo!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Adquira as camisetas e canecas do Senso Incomum na Vista Direita.

Não perca o curso Ciência, Política e Ideologia em Eric Voegelin, de Flavio Morgenstern, no Instituto Borborema!

Publicidade
Sem mais artigos