Absurdo

Redação sobre boquete e 69 na 6.ª série: Não é tudo paranoia nossa?

Mídia no máximo noticia como nota de rodapé. A sexualização precoce e facilitação da pedofilia são temas fundamentais para a esquerda

Publicidade

No dia 13 de novembro de 2019, Wendel Santana, professor temporário da rede publica do Distrito Federal, pediu aos alunos da sexta série, na faixa dos 12 anos de idade, que escrevessem uma redação sobre sexo oral e anal.

Após ter sido denunciado pelos pais dos alunos, Wendel disse que propôs apenas um exercício de linguagem:

“A linguagem que eles trazem pra mim é uma linguagem totalmente informal. Foi isso que eu vi. O exercício que eu propus foi trazer essa informação de linguagem informal e adaptá-la para uma linguagem formal, que é a linguagem da educação de fato.”

A mãe de um dos alunos, Vanessa Damares, disse ter ficado chocada com o que viu:

“Primeiro que aquilo ali não é educação sexual. Eu acho que aquilo é pornografia, uma coisa vulgar coisa que criança nenhuma merece passar por isso.”

O professor foi afastado após a polêmica. Veja as imagens abaixo.


Saiba o que está por trás da CPMI das Fake News, o tema mais urgente do ano, em nossa nossa revista.

O Senso Incomum agora tem uma livraria! Confira livros com até 55% de desconto exclusivo para nossos ouvintes aqui

Faça o melhor currículo para arrumar um emprego e uma promoção com a CVpraVC

Compre sua camiseta, caneca e quadro do Senso Incomum em nossa loja na Vista Direita

Conheça a loja Marbella Infantil de roupas para seus pequenos (também no Instagram)

Faça os cursos sobre linguagem e sobre Eric Voegelin (e muitos outros) no Instituto Borborema

Faça gestão de resíduos da sua empresa com a Trashin

Siga-nos no YouTube Instagram

Publicidade
Sem mais artigos