Digite para buscar

"Obra social"

Prefeito de BH reabriu só shopping de chineses porque “empregam gente com tornozeleira”

Alexandre Kalil preferiu legalizar apenas shopping chineses que empregam criminosos com tornozeleira eletrônica. Pessoas normais estavam proibidas

Avatar
Compartilhar
Alexandre Kalil preferiu legalizar apenas shopping chineses que empregam criminosos com tornozeleira eletrônica. Pessoas normais continuam proibidas

Em entrevista ao Roda Viva (TV Cultura) de Vera Magalhães que foi ao ar nesta segunda-feira, 30, o prefeito reeleito de Belo Horizonte, MG, (foto), tentou justificar a decisão da prefeitura em favorecer o shopping popular de um bilionário chinês em detrimento de todos os outros centros comerciais da cidade.

“…lá se emprega muita gente com tornozeleira eletrônica no pé. Então, é um caso excepcional de não criar um caos entre esse pessoal. Então, quem conhece aquela história… eu vou te explicar e ser muito sincero nisso. Aquilo é de um bilionário que tem aquilo como uma obra social… tá? Obra social… Então, aquilo pra ele não vale absolutamente nada… como negócio! Agora, lá tão acolhidos presidiários, ex-presidiários, que são o que trabalham no box (sic). Então, foi esse meu erro: não ter explicado isso com muita clareza.”

Nota: ainda não ficou explicado, prefeito. A tentativa falhou miseravelmente.

Veja a explicação no vídeo abaixo (a partir dos 2 minutos):


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nósVista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Avatar
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1