fbpx

Digite para buscar

Hunter Biden manteve laços com “maior espião da China”, relatório conclui

Compartilhar

O jornal britânico Daily Mail publicou e-mails do laptop que “supostamente” pertencia a Hunter Biden (foto), filho do presidente Joe Biden, demonstrando a íntima relação que ele construiu com uma secretária chinesa indicada por seu parceiro de negócios, o também chinês Patrick Ho – a quem Hunter chamou de “o principal espião da China” em uma mensagem de voz enviada a um amigo.

De acordo com o jornal, JiaQi Bao, 29, foi indicada por Ho para atuar como secretária de Hunter após o lançamento de sua joint-venture multimilionária com a gigante petrolífera chinesa CEFC.

A princípio, os e-mails mostram o trabalho comum de uma secretária, como reservas de voos e hotéis e agendamentos de consultas médicas para o filho do presidente.

“Mas, misteriosamente, a jovem assistente também lhe enviou uma pesquisa para ajudar na candidatura de Joe Biden às eleições de 2020, incentivou-o a sacar dinheiro das contas da joint-venture quando o negócio começou a desmoronar, escreveu mensagens pessoais e de flerte e até acabou com as etiquetas militares de Hunter em seu apartamento em Nova York – as mesmas etiquetas que ele usa em vídeos pornôs caseiros que gravou em seu laptop”, escreve o Daily Mail.

O empreendimento comercial entre Hunter e CEFC ruiu em 2018, apenas um ano depois que o filho e o irmão do presidente, tio Jim, aderiu ao negócio sob a impressão de que renderia bilhões de dólares.

Logo após a dissolução da joint venture, Bao enviou e-mail pedindo que Hunter apoiasse a candidatura de seu pai à presidência e listou alguns pontos para combater as críticas aos negócios de Hunter com os chineses.

Sob o título “Tio Joe 2020”, a ex-assistente incentivou o filho do presidente a dizer a seu pai para ‘liderar pelo exemplo’, ‘trazer de volta a sensibilidade’ e enfatizar sua experiência e idade como uma vantagem.

Um relatório conjunto dos comitês de Segurança Interna e Finanças do Senado americano, publicado em setembro de 2020, examinou o acordo comercial de Hunter com o CEFC, observando os profundos laços da empresa com o governo comunista chinês. O texto determinou que os milhões de dólares transferidos da empresa para Hunter e seu tio “levantam questões financeiras criminais, contra-espionagem e extorsão.”

Depois que Hunter chamou seu parceiro de negócios de “o principal espião na China”, a polícia dos EUA supostamente vigiou o empresário chinês mais tarde como uma “ameaça de inteligência estrangeira” antes de sua condenação por suborno em 2018.

“Ho era suspeito de trabalhar com os serviços de inteligência chineses e havia sido monitorado pelo FBI”, observou o Daily Mail, citando documentos judiciais.

Com informações de Breitbart News e Daily Mail


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1