Digite para buscar

Reboot

Novo “Animaniacs” cita “neutralidade de gênero” na abertura

Famosa na década de 1990 pelo politicamente incorreto, animação da Warner Bros volta ao ar dominada pela cultura woke que sequestrou a mente de Hollywood

Compartilhar
Novo "Animaniacs" cita "neutralidade de gênero" na abertura

A série animada Animaniacs, sucesso da Warner Bros que foi ao ar na década de 1990 voltou a ser produzida no ano passado, mas estreou no Brasil apenas em agosto deste ano.

Se em sua primeira versão o desenho ficou famoso pela incorreção política dos irmãos Yakko e Wakko Warner e sua irmã Dot Warner, o reboot da série é decepcionante.

A abertura da série traz uma amostra da cultura woke dominante que sequestrou a mente dos roteiristas de Hollywood. Primeiro, a música de abertura menciona “diversidade e neutralidade de gênero” e, em seguida, afirma que quem reclama da abordagem dos temas são “trolls.”

Diferente das bobagens engraçadinhas e despretensiosas da primeira versão, a produção de 2020 carrega no conteúdo político – pró Partido Democrata, por óbvio.

Quem também não ficou contente com a nova versão foi o criador original da animação, Tom Ruegger, segundo uma reportagem da Rolling Stone Brasil. “Eu não gostaria de fazer o show sem os escritores e artistas brilhantes que o criaram. Acho que os fãs vão adorar um revival se realmente capturar a essência, a diversão, a anarquia e o humor do original.”

A animação está disponível para assinantes da plataforma HBO Max.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1