Digite para buscar

Genuflexão

Secretário de Estado americano exclui tuíte de apoio a Hong Kong

Postagem foi substituída após crítica do Ministério das Relações Exteriores da China. Será que certos políticos brasileiros citariam Hong Kong, Taiwan ou Tibete?

Compartilhar
Secretário de Estado americano exclui tuíte de apoio a Hong Kong

O Secretário de Estado americano, Antony Blinken, apagou, na quinta-feira (16), uma declaração de apoio a Hong Kong postada em sua conta oficial no Twitter.

“Pequim deve permitir que as vozes de todos os cidadãos de Hong Kong sejam ouvidas. A desqualificação dos conselheiros distritais pela RPC [República Popular da China] apenas enfraquece a estabilidade política e social de longo prazo de Hong Kong. Estamos ao lado do povo de Hong Kong e continuamos a apoiar seus direitos humanos e liberdades fundamentais”, dizia o tuíte excluído.

A mensagem de Blinken fazia menção à recente substituição, pelo Partido Comunista Chinês (PCCh), de sete vereadores distritais da Região Administrativa Especial de Hong Honk (HKSAR) por políticos pró-China.

O atual governo de Hong Kong disse que descredenciou os funcionários distritais após determinar que eles haviam prestado juramentos “inválidos” de lealdade ao PCCh.

Um comunicado do gabinete do Ministério das Relações Exteriores da região administrativa fez uma aparente menção ao tuíte do Secretário de Estado dos EUA.

Na declaração, o Ministério diz se opor fortemente aos “comentários irresponsáveis ​​de certos políticos dos EUA”, acrescentando que “nenhuma calúnia dos EUA” deteria os esforços do PCCh para garantir que “patriotas administrem Hong Kong.”

O rugido do PCCh fez efeito. Tanto que, na mesma noite, Blinken escreveu outra postagem, desta vez sem mencionar o Partido Comunista.

“A desqualificação, pela RPC, de sete conselheiros distritais pró-democracia mina a capacidade das pessoas em Hong Kong de participar de sua governança. Governos devem servir às pessoas que representam. A diminuição da representação vai contra o espírito da Lei Básica de Hong Kong.”

Um porta-voz da Secretaria de Estado Americano disse que a primeira postagem foi um “engano administrativo”:

“A equipe que gerencia a conta do secretário no Twitter, por engano, enviou um tuíte que deveria ser do porta-voz. Corrigimos esse erro e tuitamos [uma nova mensagem] em ambas as contas, falando sobre a desqualificação de conselheiros distritais pró-democracia pelas autoridades de Hong Kong.”

A Secretaria de Estado negou que as mudanças nas postagens tenham tido motivações política.

Com informações de Breitbart News e South China Morning Post


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Senso Incomum

Senso Incomum é um portal de idéias e opiniões contra a corrente de pensamentos automáticos da última moda. Apenas com uma âncora se pode navegar mais longe, ao invés de boiar à deriva. Siga no Twitter: @sensoinc e no Facebook: /sensoincomumorg.

  • 1