A manchete sobre aumento da jornada de trabalho para 12 horas enfureceu petistas que criticam a mídia. Era manipulação petista da mesma mídia.

Uma manchete publicada ontem gerou faniquito, siricotico, chilique, fricote, ataque de pelanca e textões indignadíssimos na galera politizada e crítica o povo não é bobo abaixo a rede Globo: a ditadura de Michel Temer, instituída por golpe sem voto popular e rasgando a Constituição democrática, instaurou no Brasil uma jornada de trabalho de 12 horas, e agora todos serão obrigados a trabalhar em carvoarias insalubres tendo apenas grama e cascas de árvore como alimento, enquanto tanques na rua, financiados pela sub-ditadura de FHC, Serra, Cunha e Alckmin arregimentam o povo à força a ir para os campos de concentração do novo tirano.

PUBLICIDADE

Tudo porque quase em uníssono, na autofagia jornalística já denunciada por Rolf Kuntz (jornalistas só lêem outros jornalistas), uma manchete saiu dizendo que a reforma trabalhista de Temer “prevê jornada de 12 horas”, ou coisa do tipo, e todos os outros sabichões do bereguenaite saíram apressadíssimos a aumentar sua dose de preposições, palavras suprimidas e semântica nas frinchas do ridículo para fazer com que o povão que só lê manchete saia por aí apontando dedos e repetindo parvoices, sem perceber que o único toscão da manobra foi ele próprio.

Google - manchetes sobre "jornada de 12 horas".

Faça o seguinte: pense naquele seu amigo de Facebook que odeia a mídia conservadora, que é crítico, que denuncia manipulação, que ri de quem fala em doutrinação, que estudou História enquanto os coxinhas reaças nunca lêem nada e veja se ele saiu postando notícias, dando RT e curtidas em comentários malucos sobre a “jornada de 12 horas” instituída por Michel Temer, o Usurpador?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

CATAPIMBA!!! Como esse povo é previsível e facilmente manipulável, hein?

CarvoariaO que acontece é que a CLT, inspirada na Carta Del Lavoro de Mussolini (a importação do modelo corporativista do fascismo, em que as “entidades de classe” ou “movimentos sociais” forçam seus interesses e benesses aos investidores através do Estado) e implantada no Brasil pelo mais sanguinário e assassino dos ditadores brasileiros, Getúlio Vargas, citado por 9 em cada 10 petistas na defesa de Dilma Rousseff, afundou a crise de benesses com o dinheiro dos outros que o PT legou do Brasil.

PUBLICIDADE

Ou seja: se os conchavos com os bancos geraram os decretos pelos quais Dilma Rousseff sofreu impeachment (que “crítico foratemerista” sabe disso?), fazendo com que o povo pagasse pelos gastos governamentais (incluso, por exemplo, a suíte Tiffany onde Dilma ficou hospedada em Nova York pela bagatela de 22 mil rousseffs por noite) através dos bancos, a coisa ainda piora quando empresários precisam demitir trabalhadores para pagar as contas do PT (que inteligentão “Dilma nunca cometeu nenhum crime” sabe disso?) e, sem poder contratar por causa de uma legislação de “direitos trabalhistas” (estes sim comprovadamente fascistas, até historicamente), aumentam o desemprego.

Como fazer o povo trabalhar de novo e não entupir todo o país com a maior rede se espalhando pelo Brasil, a “aluga-se”, com sua subsidiária “Passo o ponto”? Com uma lei trabalhista realista.

“Ah, mas vão cortar direitos trabalhistas e agora vão poder me obrigar a trabalhar 12 horas por dia!” Não, não vão. Apenas se regulamentou quem precisa fazer isso e ficava sempre numa greta legislativa. E há quem faça isso há tempos: motoristas, pilotos, policiais, cirurgiões e, ah, essa turma que não tem uma porcariazinha de “direito trabalhista” para chorar suas lágrimas, os autônomos! Aliás, empresário também não tem e pode ter de trabalhar 16 horas por dia sem ganhar 1 centavo a mais por isso.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Então, agora ficou mais fácil contratar, e Michel Temer, a Besta do Apocalipse, irá melhorar a sua situação, que está na pindaíba e achando que foi o PT de Lula e Dilma que te deixou devendo até as cuecas sujas pro mesmo banco que lucrou com os decretos de Dilma (e que financiou as campanhas petistas, enquanto você morre de medo de “capitalismo” e “sistema bancário”, mas vota no que o banco manda e quer), enquanto diz que ela não cometeu crime nenhum e que isso é invenção da mídia golpista.

Aliás, reparou como você acha que não é manipulado pela mídia por acreditar cegamente em outras mídias que são pró-PT, sem nunca achar que é manipulado por ela?

EscravidãoGrande destaque para a sutileza do Tijolaço, de Brizola Neto (em inicial minúscula, “jornada de trabalho de 12 horas está nos planos de Temer”), e o melhor, Paulo Henrique Amorim, que recebeu R$ 865 mil do governo só em 2016 (por que será que defende Dilma? certamente porque pesquisou e concluiu que ela é inocente, após avaliação imparcial e técnica) para soltar manchetes como “Jornada vai ser de 12 horas diárias”.

Assim, o povo que denuncia todo mundo como “fascista!”, enquanto defende uma legislação abertamente fascista, que denuncia o capitalismo dos bancos enquanto vota no candidato dos bancos, que entra em crise e pede como salvador quem lhe enfiou numa crise, que paga (literalmente, em espécie, retida na fonte) pelos crimes de Dilma para afirmar que Dilma não cometeu crime nenhum e, sobretudo, que afirma que quem pesquisou notícias para entender o que raios é uma “pedalada fiscal” ou um “decreto legislativo” é “manipulado”, se assusta com manchetes e sai declarando que Michel Temer instituiu o trabalho escravo maoísta. O que, aliás, é exatamente o sistema socialista que eles próprios tanto defendem!

Dá pra se contradizer mais em tão pouco espaço? Fica o desafio.

Ah, espere, não terminou. A humorista Criss Paiva escreveu no Facebook:

Vc pode escolher entre:

Ler as manchetes caça-click apelativas sobre “governo aprova jornada de 12h”, falar merda e passar vergonha.

Ou pode se informar, ver que se trata de “12h sendo no máximo 48h semanais”, usar a calculadora do seu celular pra multiplicar 24h x 7dias, descobrir que 7 dias tem 168h e que, se (eu disse SE) por acaso vc fizer um acordo trabalhista para cumprir 12h x 4dias/semana, vai estar na famigerada e já existente “escala 12×36” (onde se trabalha 12h e descansa as 36h seguintes). Isso já funciona pra policiais, por exemplo.

Mas a escolha é sua, claro.
Beijo e bom dia!

Fez as contas? Se não fez, informe-se com quem fez. Nunca ficou tão claro que esquerdistas dividem-se entre manipuladores imorais e uma massa que não sabe o que está defendendo: seu próprio suicídio. Aprenda a lição e largue de ser trouxa.

Contribua para manter o Senso Incomum no ar sendo nosso patrão através do Patreon

Não perca nossas análises culturais e políticas curtindo nossa página no Facebook 

E espalhe novos pensamentos seguindo nosso perfil no Twitter: @sensoinc

Saiba mais:

Sem mais artigos