Para entender os interesses por trás da proposta de desmilitarização, é útil seguir o velho bordão e se perguntar "Quem financia?"

Facebooktwittermail

O conhecido bordão “follow the money” (siga o dinheiro) foi popularizado no filme Todos os Homens do Presidente, de 1976, que trata do escândalo de Watergate. E ele continua útil.

Por exemplo. Os leitores já devem ter visto uma pesquisa, muito difundida pela esquerda, que informa sobre o apoio de quase 80% dos policiais militares à desmilitarização. Ela foi promovida por uma organização chamada Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

E sabem quem financia o FBSP?

A Ford Foundation dispensa apresentações. Já a Open Society, para quem ainda não sabe, é a fundação do bilionário George Soros, hoje o maior patrocinador da agenda da esquerda mundial, que tem a desmilitarização como pauta, além da legalização do aborto, das drogas, entre muitas outras.

Pois é. Follow the money! Não custa ter essa informação em mente ao refletir sobre o tema. Como já sugerimos em outro artigo, não é possível analisar a proposta de desmilitarização no Brasil sem abordar o globalismo. Este, aliás, é o assunto do último podcast aqui do Senso Incomum. Não deixem de ouvir.

—————

Assine nosso Patreon e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

  • Carlos Castro

    O big business sempre atrelado à esquerda. A fórmula é big business + big government (incluindo ONU e fundaçoes privadas) + esquerda + globalismo. O problema é fazer a grande maioria do povo entender tudo isso! Como?

Sem mais artigos