Por que se fala de aquecimento global como "consenso científico", sendo que o único consenso está na mídia com projeto de governança global?

Guten Morgen, Brasilien! O clima esquentou em nosso podcast, já que a discussão sobre aquecimento global voltou a pegar fogo após Donald Trump (sempre ele, tudo ele) retirar a América do Acordo de Paris. De acordo com Hillary Clinton e seus acólitos na grande e velha mídia, o Apocalipse está próximo, o planeta vai derreter e não há muito tempo para esperança.

PUBLICIDADE

O aquecimento global é considerado “consenso científico” pela grande e velha mídia, embora o termo “consenso científico” não seja exatamente um consenso entre cientistas – aliás, algo pode ser mais contraditório do que uma visão de consenso entre… cientistas?!

Apesar de a discussão sobre o aquecimento global existir ou não ser acalorada, e sempre ser uma chuva de dados conflitantes de cada lado, existe algo mais importante a ser debatido antes de chegarmos ao nível científico da análise de dados: o que, afinal, seria algo como o aquecimento global? Significa que todo o planeta esquenta, ao mesmo tempo, homogeneamente, por atividade humana capitalista que só pode ser controlada por mais impostos?

As próprias teses sobre a idéia de aquecimento global estão sendo revistas. Na década de 70 e 80 falava-se muito sobre o “buraco na camada de ozônio” causado pelo gás CFC (dos desodorantes e da geladeira, que fez com que a esquerda apostasse na comida orgânica e na falta de banho). A tese refutada pelo próprio “descobridor” do buraco (que delimitou que ele se expande e diminui sozinho, naturalmente, de boa, na moral e na humildade).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Hoje, ninguém mais fala em camada de ozônio, mas em aquecimento global antropogênico (já que até barcos para pesquisar o aquecimento global na Antártica ficaram encalhados… em gelo). Ou melhor, já se fala em “mudanças climáticas”, porque a tal atividade humana capitalista que só pode ser controlada por impostos também causa resfriamento em certas partes do globo.

E quem é tão interessado em falar de aquecimento global? Os chamados globalistas, como o Council of Foreign Relations, editor da publicação Foreign Affairs, tão misteriosamente interessado em questões como clima e segura no cyberspace, pois justamente essas duas grandes questões envolvem poder além das fronteiras das soberanias nacionais, que já discutimos aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

É o que o grande guru das relações internacionais e artífice do globalismo, Richard Haass, presidente do CFR, preconiza ao falar da World Order 2.0, como esclarecido em seu mais recente livro, A World in Disarray (2017), tendo as políticas chamadas “nacionalistas” de Donald Trump como grande empecilho.

De repente, ligando algumas peças do quebra-cabeça, começamos a entender por que tantas pessoas que odiavam as aulas de Física e Química têm opiniões tão aprofundadas sobre um tema sem consenso entre cientistas, jurando que já estudaram o assunto à exaustão, e não têm opinião nenhuma sobre nenhuma outra polêmica científica, como a briga entre mecânica quântica e teoria da relatividade. Afinal, basta concordar com o que diz a Superinteressante.

A produção é Filipe Trielli e David Mazzuca Neto, no estúdio Panela ProdutoraGuten Morgen, Brasilien!

  • Geovani S

    Aí Flávio, mas Descartes não morreu quando Newton tinha uns 6 anos? Como que ele foi influenciado pela filosofia e o mecanicismo de Newton?

  • Ricardo Pacheco

    Para os que acham que aquecimento global é unanimidade, segue abaixo o link com a entrevista da Professora Dra Valentina Zharkova da Northumbria University.

  • Vinicius Mathias

    línguas nórdicas são um saco! fy fan!

    vai estudar filipino que é muito melhor, cara!

  • Devair Schitiko

    Diario de bordo:data estrelar :16 julho 2017 / hora local :14:03/ temperatura :29° Inverno.
    Local : Oeste /Parana

  • Neste aqui, que se chama “Apocalipse em Brasília”: http://sensoincomum.org/2017/05/24/guten-morgen-37-apocalipse-brasilia/

    • Huppert Holpurt

      muito obrigado, se voce estiver se perguntando este não é meu nome verdadeiro. Voce ja pensou em fazer um podcast sobre a origem socialista do feminismo e dos “direitos LGBT”? Eu ja sei que eles fazem parte de uma crença materialista socialista, não necessariamente marxista, que ve os impetos animalescos do ser humano como o natural a ele e partem de uma analise de ver o ser humano a partir de suas ações e o defini a partir de seus caprichos carnais, digo, nessa ótica sinistra você não enxerga o ser humano como ser espiritual e com direitos intrínsecos a ele para este manifestar sua natureza superior relacionada a Deus, mas como um ser de impetos que este manifesta na terceira dimensão é como um parametro de concretude e como ele manifesta seus fenomenos sem estes estarem relacionados ao espirito, estão isolados de parametros morais, logo a definição de familia tradicional de familia é vista como uma mera opressão de dogmaticos tolos, e como o homem e a mulher não são necessários parar criar a vida e apena para gerar ela, o ser humano pode se desenvolver de maneira saudável em um ambiente com pares que em suas relações carnais não gerar a vida. É isso não é? Sem falar que os socialistas usam essa pseudo politica de direitos humanos para bater de frente com as igrejas e discursos sobre pureza espiritual que condenam a homossexualidade, pela sexualidade do individuo e seus caprichos carnais serem vistos como uma caracteristica irrevogavel a este. Por favor fale sobre isso, quem orquestrou isso a realação entre estado totalitário e animalização e estado enxuto e natureza superior, uma analise da declaração de independencia, constituição e bill of rights são muito bem vindas, obviamente sou contra essa insanidade e as crianças precisam ter sua natureza espiritual respeitada, e não ficarem sujeitas a uma noção desvirtuada de familia de pessoas com caprichos carnais peculiares. Familia é pai, mãe e filhos e acabou, voce faz um excelente trabalho Flavio. Desculpe a falta de paragrafação e pontuação.

  • Humildade intelectual é se colocar em seu lugar, não se diminuir. Isso seria mentir. A leitora está certa e eu aceitei muito bem o erro, nem tentei “refutá-la”, o que seria errado. Mostrei que ela foi arrogante (e não “humilde intelectualmente”) em me mandar calar por uma simplicíssima inversão, que NADA afetou o tema abordado (mecanicismo). Há várias críticas aqui muito bem vindas, que sempre acatamos e corrigimos. Então, tenha humildade intelectual e cobre humildade intelectual de quem não foi humilde.

    • mayron

      Muito bem. Já não preciso dizer nada após tais colocações. O evidente se faz imanente.

  • Que ambas já foram testadas, é claro, mas uma não se encaixa bem com a outra, e o que físicos mais querem é unificar teorias (a ainda utópica Teoria M). Assim, uma vai precisar ceder a outra para formar um todo coerente. Ou ambas.

    • Mayron Felipe

      Disso eu discordo. Não acho que uma cederá a outra, mas que ambas contribuíram para elucidações que “superarão” ambas, seja por contiguidade ou dissonância conceitual, tecnológica, científica e/ou filosófica. Mas creio que nós dois podemos concordar em uma coisa: Nossa discordância provém de assumirmos paradigmas diferentes, sendo tais não excludentes. Pelo menos não do atual zeitgeist.

  • Algumas dessas coisas citadas não são consenso (a própria dinâmica da gravidade foi revista no século XX, por exemplo, e a evolução sempre esteve sob fogo cruzado, com problemas como a explosão cambriana). Mas, ainda assim, você pode dizer que certas coisas se tornaram consenso graças à observação de vários cientistas. O problema é que a ciência não AGE por consenso. Ou algo é consensual, ou é científico. Acreditar no aquecimento global porque muita gente acredita é bem menos científico do que a Santíssima Trindade, muito mais estudada, argumentada, com refutações e contra-refutações do que considerada “consenso”.

    • Lup Anjos

      Sim, coisas como a gravidade e a evolução das espécies possuem aspectos ainda desconhecidos. Mas o caso da explosão cambriana, por exemplo, não depõe contra a evolução… A questão é que existe ainda muito para se descobrir sobre os processos por trás da evolução da vida na terra. Mas nenhum cientista sério nega a verdade da evolução.

      Da mesma maneira, os estudos apontam correlações entre as mudanças climáticas e a atividade humana. Como eu disse, é possível que existam fatores desconhecidos influenciando o clima, fatores que não dizem respeito a atividade humana. Mas tais fatores não foram observados até agora. Temos que trabalhar com as evidências que temos no momento. Eu entendo o ceticismo com o aquecimento global, mas a prudência nesses casos é uma boa ideia… Simplesmente negar tudo e dizer que é tudo uma conspiração da ONU globalista também não é nada científico.

  • Ailton Ferreira

    Opa, vou dar um confere nesse ai, único podcast que ouço atualmente é o Guten Morgen, to precisando de mais uns pra playlist.
    Valeu

  • Lucas Avelino Souza

    Muito bom o podcast, as referências também foram de muita utilidade, obg Flavio, seu bandjido ixpertim.

  • Aderbal Matias

    Caro Flávio, nesse podcast vc perdeu muito tempo menosprezando quem pensa diferente de vc, e ridicularizando os ambientalistas. Mas muito tempo mesmo…!

    Geralmente um ambientalista sempre vai alegar estar do lado da “ciência”, por isso a importância de vc ser conciso, direto ao ponto, apresentando vários dados e fontes que refutem essa ideia maligna e tosca do aquecimento global. Do contrário vc apenas afastará as almas perdidas que porventura chegarem a esse material tão bom.

    Vc também perdeu muito tempo tecendo considerações pessoais e divagações. Esse tipo de gente que acredita no Greenpeace não pode ter tempo pra pensar, tem que entupir a cabeça deles com dados e fontes científicas.

    Minha sugestão é vc fazer um segundo podcast sobre isso, dessa vez indo direto ao ponto. Pra ajudar tem esse vídeo aqui, lotado de dados científicos, entrevistando o professor da USP Ricardo Felício:

    • Aderbal, agradeço as críticas, mas como disse, não sou cientista e o foco do podcast não é esse, é mostrar justamente o que está por trás destes “dados” de um lado pro outro e da discussão em si. Vomitar dados de um lado só vai ter efeito de terem dados de outros. Mostrei justamente o que está por trás: a troca de efeito estufa pra aquecimento global, depois mudanças climáticas etc. O tema é polêmico inclusive sem se dividir entre esquerda e direita, e ainda assim foi um dos podcasts mais ouvidos e elogiados. Me desculpe, mas não compro essa de “esse povo é muito ocupado, cientista, quer ir direto ao ponto”. Não faço isso, e olha que estudo mitologia comparada (em quanto tempo dá pra comparar os Edda com a Odisséia?). Isso aí é preguiça, e contra ela, não posso fazer nada. Agradeço, mas o foco não será citar dados recortados, de maneira nenhuma. Abraço!

    • Gregório Manoel

      Eu gostei do podcast justamente por ele não ser “científico” e analisar mais o contexto político e cultural da coisa. Sobre dados científicos tem uma enxurrada de vídeos do PragerU sobre o assunto com pessoas bem gabaritadas (professor de clima do MIT e tudo), mas esse tema não e só um tema científico. É um tema político e cultural, pois tem causas e implicações nesses contextos. Inclusive a ideia das pessoas repetirem tudo que sai a imprensa sobre ciência como verdade absoluta e inquestionável.

    • Pedro

      Esse não é aquele cara que disse que o próprio Carl Sagan admitiu que fazia política e não ciência? E nem se deu ao trabalho de provar o que estava dizendo?

  • Obrigado, Lucas! Infelizmente não conheço o conceito de Adler, não sei se tem algo a ver com o globalismo que analisamos.

  • MudaBrasil

    Belo podcast, mas a parte da geladeira ficou exagerado.

  • Zagueiro Baldochi

    Flavio, eu entendo a necessidade de produzir conteúdo para uma massa não-pensante pode tornar-se massivo e chato, mas quando você não conhecer do assunto, procure um profissional capaz e capacitado para comentar do assunto e não se baseie nos artigos, notícias e teorias que elucidam ou corroboram o que você quer provar. Isso não é digno.

    • Oi, menino. Estou cercado destes profissionais e sou um deles. E você, que não é, nem sequer conseguiu OUVIR o podcast, que dirá encontrar um errinho em uma frasezinha que eu tenha dito, e está querendo minha atenção?

  • José Paulo

    Não sei o porquê, mas lá pelos 37 minutos do podcast pensei na Marilena Chauí… hahahahaha

  • Pobretano
  • Douglas. de Sá

    Flavio poderia citar algumas bibliografia sobre a farsa do aquecimento global.

  • Iara Grisi

    Oi… Passei só para uma informação: sobre Descartes ter sido influenciado por Newton, bem… Qdo Descartes morreu Newton tinha 06 anos. Assim, impossível sua colocação ser verdadeira. Uma sugestão? Estude mais, fale menos

    • Ui, só por inverter um com o outro, e ambos continuarem sendo mecanicistas como disse? Realmente, preciso estudar muuuuuuuuito pra chegar no seu nível. A propósito, você sabia o que é mecanicismo e nem vai correndo no Google verificar, né?

      • Iara Grisi

        Precisa estudar não… Só fui checar a informação q forneceu. No Google. É o q eu faço quando recebo alguma informação nova. Verifico se é verdade ou não. Ciência é assim.

        • Matheus Elias

          n querendo falar mal nem nada mas qual sua ideologia politica sendo sincera

        • Matheus Elias

          hummmmm

        • Matheus Elias

          va procurar assistir o anticast, vc n fortalece debate nenhum

  • Paulo Ferreira

    O que é uma farsa não é o aquecimento global e sim dizer que a culpa é do ser humano, pois o clima é cíclico no planeta e nada tem a ver com participação humana e muito menos com o CO2.

  • Paulo Ferreira

    Na verdade,é lamentável ver gente que ainda defende estas bobagens de aquecimento global, sem nenhum embasamento científico.

  • Matheus Pavon

    Criar um puta strawman e refutá-lo e fácil, como você fez.

    Quero ver refutar embasamento científico. https://skepticalscience.com/argument.php

    Ah, me desculpa, esses papers científicos fazem parte da mídia globalista então não são válidos né? Acho que só são válidos mesmo o que a Exxon Mobil/Shell/Donald Trump produzem, mals aí…

    Vergonha, um site ‘sério’ como esse regurgitando o que think tanks petrolíferos vomitaram no oco cefálico americano da década de 80…

  • biancavani

    Assisti recentemente a uns quatro vídeos, todos apontando os erros crassos desses que defendem a tese do aquecimento global, bem como sua relação com o globalismo, e, embora não querendo incorrer naquilo que odeio e que chamo de “Complexo de Highlander”, tenho de reconhecer que este podcast a-rra-sou!
    Off topic (mas nem tanto): agradecimentos ao Flavio pela indicação da ótima série The Ranch. É muito difícil encontrar filme/série que não siga – explicita ou implicitamente – a agenda esquerdalha/globalista. Os livros e as bandas estão igualmente sendo muito apreciados.

    • Pobretano

      Diga-se de passagem, não é mais “aquecimento global”, é “mudança climática” (com um “antropogênica” – causada peluzome – e “catastrófica” se quiser adicionar)…

  • Talita Arantes

    O melhor Podcast de todos os tempos.

  • Carlos Tabarnac

    interessante ver com voce apresenta o termo Ecologista sendo menos “tree huger” do que Ambientalista, coisa que achava totalmente ao contrario. Explico o porque:

    Alguem formado em biologia, por exemplo, tende a ser um ecologista, e por consequência o primeiro a doar dinheiro pro Greenpeace e ser contra qualquer tipo de industrialização.
    Eu como sou formado em eng. Ambiental, pelo menos a maioria q não vira “abraçador de arvores”, trabalhamos para que haja uma industrialização, ou seja, criação de novas geladeiras, mas de uma maneira que não mate todas as florestas e que não poluem “tanto” os rios e o ar, respeitando leis AMBIENTAIS, que no caso, nao sao leis ECOLOGICAS. E todo esse controle, de não pode isso, não pode aquilo, é justamente para evitar essas ilhas de calor no meio urbano.

    Porem, contudo, todavia e no entanto encomendei na amazon o livro do Roger Scruton, ja que diferente de você, eu nao sei de tudo 🙂

  • Douglas Martineli

    Esse era pra ser um podcast sobre aquecimento global, no final a melhor parte acabou sendo o exemplo da Geladeira e a resposta ao “Gênio” Danilo Corci, e a pequena parte sobre os mitos fundadores dos povos pagãos do norte da Europa. Não nego que realmente a cosmologia Ásatrú, por mais irreal que seja têm a sua beleza.

    https://uploads.disquscdn.com/images/6a3c19f82fdd3d0df5ac2e6cc532ed5237f3e24ed4d16172fd2dfabae0add6f0.jpg

  • Douglas Martineli

    Tradução para a música do final:
    https://www.letras.mus.br/wardruna/odal/traducao.html

    • Marcos

      Qual é nome da banda e musica da abertura?

      • Vintersorg – Svältvinter. Uma das minhas bandas preferidas de todos os tempos.

  • Thadeu Antonio Ferreira Melo

    Pelo visto essa é mais uma aula de masturbação intelectual.

  • Flávio Zen

    Muita coisa boa, mas está viajando demais e o assunto não é turismo 😀 hehehe! Mais foco seria melhor! Quanto a discussão sobre “Ecologia” recomendável dar uma olhada na diferença entre conservacionismo e preservacionismo, incluindo a questão de valoração ambiental e serviços ecossistêmicos (dica: Manual para Valoração Economica de Recursos Ambientais em https://goo.gl/9oiDkT). Agora um dos grandes mistérios não colocado é porque a Direita ou Conservadores, perderam o controle do discurso ambientalista! Outra dica: “O mito da natureza intocada” (https://goo.gl/XMFaLm) são clássicos.

  • Hiarison Gigante
  • Diego

    Se o aquecimento é local e, como o podcaster disse, resultado de urbanização, como explica-se consequências de perda de território em lugares pouco urbanizados como na Groenlândia? Além disso, há algum estudo que demonstre o “trend” de aquecimento médio é diferente entre áreas urbanas e rurais? Por fim, como urbanização (e, de novo, tendo em vista o argumento “local” proposto) explica aumento na temperatura média dos oceanos ao longo dos últimos anos?

    Falhou muita argumentação nesse ponto até para tentar contrariar. A analogia da Daniela Mercury devia ganhar algum prêmio do Sensacionalista no final do ano, junto do Sol no período de esfriamento atual que aquece mais o planeta do Alexandre Garcia.

  • Leo Gutierrez

    O Flavio usted ja viu o podcast do Xadrez Verbal? eles colocam isso como algo concreto e inclusive tem até video de um tal de Atila do Nerdologia. Mas de fato encontrei seu site hoje e vejo que você defende os valores cristãos sendo que li em um antigo blog seu criticando a própia religião per se.

    • Mateus Roger

      Ele era ateu até pouco tempo, recentemente virou cristão.

    • Ailton Ferreira

      Cara, a galera do xadrez verbal é parça dos bicho do anticast, daí tu já vê o nível dos cara, e o Atila do nerdologia (familia nerdcast) também é um sem noção seguidor de ideias progressistas, não leve a sério o que esses caras falam.

      Eu sou nerd e vou ser a vida toda, passei anos seguindo esses cara, escutava anticast, nerdcast diariamente, mas depois que a gente começa a ter noção real das coisas o conteúdo desses caras se torna intragável, embora o nerdcast ainda dê pra se aproveitar alguma coisa quando não estão cagando regra falando do que não sabem.

      • Leo Gutierrez

        Sim, mas infelizmente o Xadrez Verbal é o unico podcast que fala em politica internacional semanal de uma maneira geral. Se tiver outro ai deixarei de escuta-los

    • Douglas. de Sá

      Os caras do Xadrez Verbal e do Jovem Nerd são gente boa o problema que eles seguem a cartilha gramsciniana acredito que não seja culpa deles. Pois já faz tempos que a nossa educação sofre essa lavagem cerebral. Basta ver as fontes citadas nos programas dele: CNN, Times, the new york times, The Guardian etc. Concluindo só bebem da fonte de informações globalista. Mas aos poucos, conforme é ensinado pelo professor Olavo de carvalho, vamos ocupando todos os espaços e mudaremos o pensamento critico da nação.

  • K.Salles

    E eu ainda não terminei de compreender o episódio 38 hehehehehe.

  • vanessa gaspar de lima

    ótimo episódio. sobre o comentarista que é tão fodão que sequer ouviu o outro episodio inteiro e disse que a igreja alemã apoiou o nazismo só digo um nome: Dietrich Bonhoeffer. Sobre o tema de hoje, eu queria lembrar que em 2006 um país latino americano desenvolveu um combustível sustentável, baixissima emissão de CO2, e que a ONU fingiu que não viu, sequer é mencionado. Ué? Por que será?

  • Breno Angelotti

    Vintersorg no começo do podcast, muito foda !

Sem mais artigos