Estreamos nosso canal no Youtube, com drops do Guten Morgen em formato vídeo no meio da semana. E polêmica segue com a filiação do nazismo.

Guten Morgen, Brasilien! Eis mais uma novidade do Senso Incomum para nossos queridos leitores (e também para os mais pentelhos): estamos agora iniciando nosso canal de vídeo no YouTube, atendendo a uma enxurrada de pedidos, mais alguns faniquitos e até algumas ameaças de morte isoladas. E começamos nosso canal comentando o que mais esquentou a internet na última semana: a renovada discussão sobre a filiação ideológica do nazismo: o nacional-socialismo alemão era de direita ou de esquerda?

PUBLICIDADE

Já tratamos o tema tanto em podcast quanto em dois artigos (aqui e aqui) no Senso Incomum, mas o clima esquentou com o debate entre Nando Moura e o casal Leon e Nilce, do canal Coisa de Nerd.

Nando Moura perguntou como o nazismo poderia ser chamado de “direita”, se não há nenhuma relação entre Hitler e os grandes ícones da direita, como Reagan, Churchill, Trump ou Bolsonaro, sendo tão fácil notar semelhanças entre Hitler e Stalin, ou Mao, ou Kim Jong-un. Leon e Nilce (minhas desculpas antecipadas por ter esquecido seu nome), replicaram que o que une os dois lados não é o socialismo, mas sim o fato de serem todos totalitários, e que totalitarismo tanto pode vir da esquerda (caso de Stalin) quanto da direita (caso de Hitler).

Será mesmo que esta definição é válida? Por acaso Adolf Hitler ou qualquer outro nazista se considerou direitista? Afirmou fazer parte da “extrema-direita”? Auto-declarou-se “conservador”? Ou até mesmo capitalista? Se toda a definição é baseada em quem é inimigo do marxismo, como sempre se tenta fazer, não será todo o mundo livre de “extrema-direita”?

PUBLICIDADE

É o que explicamos no episódio piloto do nosso canal do Youtube, com nossos Guten Morgen Drops. Apesar deste episódio piloto ser longo, assine o canal e logo teremos comentários no meio da semana, entre os episódios de nosso podcast Guten Morgen, comentamos assuntos mais rápidos que não precisam de uma “aula” completa como em nosso podcast.

Não se esqueçam de assinar o canal e divulgar para seus amigos para que possamos crescer. Guten Morgen, Brasilien!


—————

Assine nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

Conheça o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern pelo Instituto Borborema para aprender como a política se faz pelo controle da linguagem e de sentimentos.

Faça sua inscrição para o 2.º Congresso Virtual do Brasil Paralelo e, de quebra, ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link.

  • Denis Gomes
  • Raphael Jannuzzi

    ?????????? Ele citou o Bolsonaro pq quem defende que o Nazismo é de Direita compara Bolsonaro à Hitler.
    Não foi pelo mérito conservador de Bolsonaro que ele esteve, no comentário do Flávio, ao lado Reagan e Churchill, mas sim porque ambos estão nos argumentos comparativos dos desinformados.
    Menos raiva e mais interpretação aí, manin.

  • Telmo Ferreira

    Excelente um canal no Youtube!!! Parabéns pela iniciativa.

  • Ilbirs

    Em tempos, parece que o ocorrido em Charlottesville foi mesmo balão de ensaio e apito de cachorro para que comecem a ser feitas ações parecidas em outros países contaminados pelo comunismo, caso do nosso: eis que uma ação conjuntamente movida por Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas do Paraná (Sindarq-PR), Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac) e Centro Acadêmico Hugo Simas (CAHS), este último da UFPR, pede a retirada de retratos dos presidentes do período militar. Se isso não é análogo a querer retirar estátuas de confederados, não saberei mais o que é. Também dá sequência de ação a algo parecido que já vinha sido feito em São Paulo durante o mandato do ex-prefeito paulistano Fernando Haddad, que mudou o nome oficial do Minhocão de Elevado Presidente Costa e Silva para Elevado Presidente João Goulart. Aliás, o cara que diz “cabeçário” sequer notou que deu o nome do Lula do passado a uma estrutura feia, que todos querem ver ser derrubada, que durante a semana útil por vezes recebe óleo que goteja de diversos cárteres e nos fins de semana, de madrugada, é palco de consumo de crack.
    Observe-se que não pediram a retirada da foto de Getúlio Vargas, cujo Estado Novo matou praticamente dez vezes mais gente em 15 anos do que o regime militar em 21, até porque aí estariam tirando da memória popular a recordação de alguém a quem os esquerdistas veneram. Os advogados (quem paga os mesmos? Imaginamos que sejam Sindarq-PR, Sismmac e CAHS, mas como eles nada produzem…) dizem que seria algo análogo à Alemanha ter tirado Hitler da linha oficial de governantes, mas se formos pela mesma Alemanha iremos prender pessoas por simplesmente mostrarem fotos históricas em matérias jornalísticas, como ocorreu com este jornalista preso por seis meses por usar a foto oficial do Adolf em questão com o grão-mufti de Jerusalém e mostrar ter sim havido uma ligação entre nazistas e certos setores islâmicos:

    Também me chama a atenção essa ação ter sido impetrada em Curitiba. Fico com a impressão de que ela já estava pronta e esperavam apenas ocorrer algo como o ocorrido na cidade da Virgínia para que o pontapé inicial fosse dado, mais ou menos como foi aquele pedido de impeachment do Temer entregue pelo Molon apenas 20 minutos depois de a gravação do Joesley ser divulgada. A capital paranaense fica como simbolismo importante, quase como se estivessem querendo dizer algo como “estão vendo, seus coxinhas batedores de panela? Nós vamos acabar com vocês partindo da cidade onde mora Sérgio Moro e depois disso os trucidaremos Brasil afora”. Aqui também há o fato de que Curitiba foi também o principal foco daqueles piquetes promovidos por alunos secundaristas que veneram foice e martelo e que foram erroneamente chamados de “greves estudantis”, além de o Paraná em si ser terra de Gleisi Hoffmann, Roberto Requião e outras figuras importantes da esquerda brasileira. Portanto, aqui caímos naquilo que Yuri Bezmenov dizia: são sempre os mesmos tipos de ações em todos os lugares do mundo.
    Como conhecemos a mecânica dos tinhosos, sabemos que esse seria um “pé na porta” para depois quererem coisas maiores, como retirar estátuas de Duque de Caxias, por exemplo. Aqui também envolveria criar mais uns falsos heróis, mais ou menos como já fizeram ao promover o dono de escravos de nome Zumbi como supostamente alguém que queria libertar aqueles a quem ele próprio mantinha cativos. Portanto, que mais e mais pessoas fiquem atentas a isso e que tal coisa seja ridicularizada o quanto antes, pois sabemos que esquerdista para com algo quando nota que está tornando a causa deles “por um mundo melhor” em causa de fazer as pessoas rirem da agenda que querem implantar.

    • Ilbirs

      Vídeo sobre a ação impetrada em Curitiba pedindo a retirada dos retratos dos presidentes do regime militar:

      Urge que ridicularizemos esses esquerdistas que jamais tirariam de suas bandeiras as fotos de Lenin, Stalin, Mao e outros que geraram uma soma de milhões de mortos.

  • Obrigado pelo aviso, Renato! Já estamos torturando o responsável pela cagada!

    • Renato Lorenzoni Perim

      Hahahaha… Não faça isso com o rapaz… todo mundo, sem exceção, erra em algum momento…

  • jeffborba

    Hahaha, não pode ser caracterizado dessa forma porque não tem os “cortes djinâmicos” a cada palavra.

  • WillMDias

    Caramba!!
    Que bela surpresa.

    Já assinei o canal.

    Senso incomum growing!

    Parabéns

  • Douglas. de Sá

    Depois dessa vou baixar o Pokemon GO. Vocês não sabem brincar de história.

  • João Marcos

    O pior de tudo é esse pingue pongue.

  • Matheus Vieira

    Você tanto pode comparar Stalin a Obama, quanto o próprio Olavo tem um ESTUDO sobre isso, que se chama Mentalidade Revolucionária

Sem mais artigos