Fechou o bonde

“Conheça Bonde do Tigrão, o novo símbolo da extrema-direita”

Depois da resposta dos funkeiros do Bonde do Tigrão ao episódio envolvendo Zeca Dirceu e Paulo Guedes, é de se esperar uma reportagem com esse título nos BuzzFeeds da vida

Publicidade

Os anos 2000 voltaram. Felizmente, não se trata de Lula presidente (este continua preso, confirmaria Cid Gomes), mas de um conjunto de funk carioca que fez sucesso no início daquela década, o Bonde do Tigrão.

Em sua página oficial do Facebook, o grupo publicou nota a respeito do contexto em que os termos tigrão e tchutchuca, consagrados em suas músicas, voltaram à boca do povo, ou seja, o ataque do deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) ao ministro da Economia Paulo Guedes, chamado de “tchutchuca dos banqueiros”.

Bonde do Tigrão - Declaração oficial

Para surpresa do público, os funkeiros não buscaram um tom conciliador e isento, artificialmente filtrado, mas tomaram lado: o do ministro Guedes – enquanto senhor de idade e autoridade que tratava ali de assunto sério para a sociedade, a Reforma da Previdência, nos dizeres da nota. De quebra, divulgaram seu DVD. Senso de oportunidade!

Com essa postura simples e sincera, não causaria espanto que sites populares de entretenimento apresentassem o Bonde do Tigrão como novo símbolo da “extrema-direita”, rótulo que, já usado em reportagens pretensamente sérias (porém fatalmente risíveis), virou meme e piada exatamente pela banalização absurda do conceito.

—————

Confuso com o governo Bolsonaro? Desvendamos o nó na revista exclusiva para patronos através do Patreon ou Apoia.se.

Assine e assista o documentário 1964: O Brasil entre armas e livros e ganhe um e-book.

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Adquira as camisetas e canecas do Senso Incomum na Vista Direita.

Sem mais artigos