Quem diria

Empresa confirma relato de Hans River e afirma que fez disparo para Haddad e Meirelles

Enquanto só falam da historieta de Patrícia Campos Mello, esquecem-se do principal: a reportagem fake da Folha mentiu e omitiu para quem a empresa fez mesmo campanha

Publicidade

Lindolfo Antônio Alves Neto, um dos sócios da Yacows, empresa que fez disparos de mensagens em massa na campanha eleitoral de 2018, confirmou ontem, dia 19, na CPMI das Fake News, que prestou serviço para Fernando Haddad e Henrique Meireles durante a corrida presidencial.

Segundo Alves Neto, no caso de Haddad, o serviço de disparo de mensagens foi feito por intermédio de uma agência para impulsionar a campanha do petista. Uma triangulação.

“Fernando Haddad é um caso específico, porque uma agência, que eu acredito que faça campanha para ele, já utilizava a plataforma e utilizou a nossa ferramenta. Logo, diretamente não foi feito [disparo em massa para a campanha], indiretamente sim.”

Sobre  Meirelles, Alves Neto disse que recebeu R$ 2 milhões para enviar entre 10 e 15 milhões de disparos.

 


Conheça a importância da Primeira Guerra Mundial assinando o Guten Morgen Go – go.sensoincomum,org!

Publicidade
Sem mais artigos