Digite para buscar

Eleições 2020

Tom Del Beccaro prevê “surpresa” de Trump por conta de 10 fatores

Projeção analisa fatores sempre repetidos, como o eleitorado negro, mas também votos por estados, prevendo nova vitória de Donald Trump

Avatar
Compartilhar
URGENTE: Partido Republicano afirma que software mudou votos de Trump para Biden Secretário do condado de Antrim, Michigan, confirmou a falha que desviou 6 mil votos para Biden. Software foi usado em outros 47 condados

Tom Del Beccaro, autor, palestrante e colunista da Fox News, Fox Business e Epoch Times foi presidente do Partido Republicano da Califórnia e candidato derrotado ao Senado dos EUA pelo seu estado. Em sua coluna na Fox News da última terça-feira, 20, o comentarista analisou dez fatores que indicam que Trump pode sair vencedor nas eleições que se aproximam, contrariando a maioria dos analistas da mídia tradicional.

Leia abaixo um resumo de cada um dos pontos analisados por Beccaro.

1. Registro de Eleitores da Pensilvânia

Em 2016, os 20 votos do colégio eleitoral da Pensilvânia foram decisivos para a vitória de Donald Trump. Ele venceu no estado por uma diferença ínfima de 44.292 votos de um total de 6 milhões.

Naquele mês de novembro, os Democratas tinham aproximadamente 900 mil eleitores registrados a mais do que os Republicanos. Hoje, a diferença caiu para 700 mil.

2. Da Flórida, também.

O registro de eleitores Republicanos vem crescendo desde 2008. Naquele ano, os Democratas tinham 700 mil eleitores a mais do que os Republicanos. Em 2020 a vantagem caiu para pouco mais de 134 mil eleitores. Isto significa que houve um forte movimento a favor dos Republicanos, o que é um bom presságio para Trump.

3. Latinos por Trump.

Considerando-se apenas as intenções de votos de latinos, Trump lidera na Flórida, segundo pesquisa da NBC/Marist: 50% contra 46% de Biden. Em 2016, Hillary Clinton ganhou 62% dos votos dos latinos. Trump, teve apenas 35%.

Há também a indicação de uma sondagem do canal Telemundo, com programação inteiramente em espanhol e público majoritariamente latino. Após o primeiro debate, a pesquisa entre os espectadores do canal indicou que para 66% dos entrevistados o vencedor foi Trump.

Aprenda mais e irrite seus amigos inscrevendo-se no Brasil Paralelo

4. Afro-americanos por Trump.

De acordo com uma pesquisa feita em setembro pelo Instituto Rasmussen, a taxa de aprovação ao governo Trump entre negros era de 45%. Em 2016, Trump contou com apenas 8% de votos de afro-americanos.

5. Biden o aumentador de impostos.

Candidatos que prometem aumento de impostos, perder contra os que pressionam por cortes.

Jimmy Carter perdeu para Ronald Reagan, Walter Mondale também perdeu para Reagan. Michael Dukakis perdeu para George Bush pai, que perdeu a reeleição após aumentar a carga tributária do cidadão americano. Bush filho venceu de Al Gore e John Kerry.

Barack Obama prometeu reduzir impostos e venceu John McCain, que não apresentou nenhuma proposta para esta plataforma. Obviamente, Trump prometeu corte de impostos quando venceu Hillary Clinton.

Joe Biden, por outro lado, promete o maior aumento de impostos da história.

 6. Entusiasmo do eleitorado

O NY Post publicou uma pesquisa mostrando que apenas 46% dos eleitores de Biden apóiam o seu candidato incondicionalmente, comparado com 66% da base de Trump. 

Uma diferença, portanto, de 20 pontos percentuais. Em 2016, a vantagem de Trump sobre Hillary neste aspecto era de 13 pontos. Este aumento de 7% favorece Trump.

Conheça a verdade: obedeça aos seus donos. Clique antes que te prendam.

7. Votação antecipada em Michigan, Wisconsin e Ohio

Pesquisa nacional da Pew Research indica que 55% dos eleitores que planejam antecipar seus votos são apoiadores de Biden, contra 40% dos que irão votar em Trump. 

Entretanto, em Michigan, Ohio e Wisconsin, locais onde a briga por eleitores é acirrada, a votação antecipada indica que “os republicanos estão antecipando os votos quase na mesma proporção que os democratas”. A disputa está equilibrada em Michigan, em Wisconsin houve aumento de 2% para os Democratas e os Republicanos aumentaram 2% em Ohio.

8. Os eleitores americanos estão mais satisfeitos em 2020 do que estavam em 2016.

Recente levantamento do Instituto Gallup mostra que 56% dos americanos dizem estar melhor atualmente do que há quatro anos. 

Isto é revelador, visto que quatro anos atrás Biden deixava a vice-presidência. Por que os eleitores votariam nele se eles estão mais felizes agora do que quando ele fazia parte do governo?

9. Identificação partidária

No fim de setembro, o Gallup fez a seguinte pergunta aos eleitores: “Hoje você se considera Democrata, Republicano ou independente?”

As respostas foram as seguintes: 28% Republicanos, 27% Democratas e 42% independentes.

Isto é bastante significativo, pois diversas pesquisas que apresentam Biden na liderança parecem captar mais democratas do que republicanos – às vezes por margens bastante amplas. Também, em 2016, o Gallup mostrava Democratas com 32% contra 27% dos Republicanos. Mas, bem, Trump ganhou.

10. Eleitores acham que Trump irá vencer

Na era Trump, tem se falado muito sobre se os eleitores do presidente se sentem à vontade para declarar seu voto. Alguns especialistas dizem que as pesquisas que perguntam aos eleitores quem eles acham que irá vencer são uma indicação mais verdadeira sobre quem o eleitorado apoia.

Novamente, isto parece favorecer o presidente Trump, uma vez que o Gallup indica que somente 40% dos americanos acreditam que Biden irá vencer, mas 56% acham que a vitória será de Trump.


Seja membro do Brasil Paralelo e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Avatar
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1