Digite para buscar

Terrorismo

Mídia chamou terrorista Al Aliwi Alissa de “supremacista branco”

Atirador de Boulder foi chamado de "supremacista branco" sem provas por mídia que diz combater "fake news". Era muçulmano e não tinha namorada

Compartilhar
Mídia chamou terrorista Al Aliwi Alissa de "supremacista branco"

O atirador que abriu fogo contra um supermercado na cidade de Boulder, Colorado, matando uma policial e nove civis, na última segunda-feira, 22, foi identificado como Ahmad Al Aliwi Alissa, 21, de Arvada (CO). Segundo a polícia, sua página no Facebook exibia posts elogiando o Islã e lamentando o fato de ele não ter namorada. A página da rede social também indica que o atirador é originário da Síria.

Contudo, imediatamente após a tragédia, muito antes de Alissa ser identificado, a mídia esquerdista correu para o Twitter acusando o “homem branco” pelo massacre.

Segundo o portal Washington Examiner, a editora sênior do blog de esportes Deadspin , Julie DiCaro, postou em sua página (atualmente fechada para não-seguidores):

“Extremamente cansada de [ver] a vida dos outros dependendo se um homem branco com um AR-15 está tendo um bom dia ou não”

A editora e colunista do USA Today , Hemal Jhaveri, respondeu a DiCaro:

“É sempre um homem branco furioso. Sempre.”

O escritor e advogado Qasim Rashid twitou:

“Tamir Rice era uma criança negra de 12 anos. A polícia atirou nele (…) e o deixou agonizando por 4 minutos até morrer. O terrorista do Colorado é um homem branco adulto que matou 10 pessoas, incluindo um policial. Os policiais o prenderam vivo e o ajudaram a ir para uma maca para atendimento médico imediato.”

https://twitter.com/QasimRashid/status/1374369298873978882?s=20

Meena Harris, sobrinha da vice-presidente Kamala Harris, reagiu à tragédia com um tweet culpando “homens brancos violentos”.

Posteriormente Harris apagou o tweet e explicou que presumiu que o atirador fosse branco porque foi preso vivo:

“Excluí o tweet anterior sobre o suspeito do tiroteio em Boulder. Fiz uma suposição com base no fato de ele ter sido levado sob custódia vivo e no fato de que a maioria dos assassinatos em massa nos Estados Unidos são executados por homens brancos.”

O correspondente do site de notícias Byline Times Global, CJ Werleman postou:

“O suposto atirador no tiroteio em massa de Boulder, Colorado, é um cara branco. Sete mortos! Sugira ‘problemas mentais’, ‘dia ruim’, ‘disputa de estacionamento’ ou qualquer outra coisa além do que ele provavelmente é – um terrorista doméstico branco.”

A escritora feminista Amy Siskind twitou: “O atirador foi levado sob custódia. Em outras palavras, quase certamente era um homem branco (de novo). Se ele fosse negro ou pardo, estaria morto.”

As dez vítimas do terrorista foram identificadas.

Além policial Eric Talley, de 51 anos, também foram mortos os civís Denny Stong, 20; Neven Stanisic, 23; Rikki Olds, 25; Tralona Bartkowiak, 49; Fonte de Suzanne, 59; Teri Leiker, 51; Kevin Mahoney, 61; Lynn Murray, 62; e Jody Waters, 65.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Luigi Marnoto

Luigi Marnoto é cozinheiro e só não foi guia de cego e bombeiro. Atualmente escreve no Senso em troca de uns caraminguas. É pai e avô quase exemplar e campeão de porrinha.

  • 1